Páginas

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

TUDO PRONTO PARA O CARNAVAL DA CAMPANHA.

Tudo pronto para o reinado de Momo. A estrutura física preparada para o carnaval da Campanha de 2017, nada ficou devendo aos anteriores. Tendas padronizadas, banheiros químicos, palcos, até São Pedro já colaborou e mandou uma chuvinha refrescante e agora é só aguardar a noite chegar para cair 
na folia.
Um ótimo carnaval à todos vocês!

STEVEN PAUL JOBS. 24 DE FEVEREIRO DE 2017.



STEVEN PAUL JOBS etsria comemorando hoje 62 anos de nascimento 
Nasceu em São Francisco na California em 24 de fevereiro de 1955. Um homem de muito sucesso  e obstinado pela perfeição, foi um inventor, empresário e magnata.

31 Fatos e curiosidades sobre Steve Jobs.Gostaram da nossa lista de fatos sobre o Bill Gates? Continuamos nossa minissérie falando do gênio por trás da Apple. Confira abaixo 31 curiosidades sobre Steve Jobs.Comentários Maximiliano Meyer   - 06/01/2015 - atualização: 14/01/2016 10:23 
Certamente você já ouviu falar do gênio por trás da Apple, certo? Que ele era excêntrico e obcecado pelos detalhes também, mas você sabia que ele fora abandonado por seus pais? Ou então que ele foi um aluno, no máximo, mediano?
Nem desconfiava, pois é, confira abaixo nossa lista com 31 fatos sobre o homem da Apple. Sabia que temos ainda um post fatos e curiosidades sobre Bill Gates? Não viu ainda? Clique aqui e confira agora!! 

01 – Steve Jobs foi abandonado por seus pais biológicos. Seu pai, Abdulfattah “John” Jandali, um sírio muçulmano que migrou para os EUA nos anos 50 para estudar e acabou engravidando Joanne Carole Sciebele, a mãe de Steve. No entanto, por causa da desaprovação do pai de John, um muçulmano radical que não aceitaria um bebê sem que os pais estivessem plenamente casados, eles deram o recém-nascido para a adoção. A única condição feita pelos pais biológicos era que os novos pais deveria dar educação universitária a ele;

02 – Steve Jobs não foi o único filho bem sucedido do casal John Jandali e Joanne, eles tiveram uma menina, Mona Simpson, uma autora famosa nos Estados Unidos. Um livro da irmã de Jobs virou o filme “Em Qualquer Outro Lugar”, com Natalie Portman e Susan Sarandon. Este livro contém uma dedicatória para “meu irmão Steve”; RELACIONADO 41 Fatos e curiosidades sobre Mark Zuckerberg 

03 – Quando era novo, Jobs conseguiu um emprego de verão na HP... na oitava série. A oportunidade veio depois que ele entrou em contato com William Hewlett, co-fundador da empresa, aos 12 anos para pedir uma peça para um frequenciômetro que ele estava produzindo para um projeto de ciências. No final da ligação, após 20 minutos, ele conseguiu um kit com várias peças e ainda uma chance de emprego; 

04 – Embora se dedicasse muito aos projetos de seu gosto, como vimos anteriormente, sua nota na escola não era nem um pouco boa: 2,65 de 4 no GPA, um teste aplicado aos alunos americanos e que pode ser considerado bastante fraca. Ele preferia aprender de maneiras diferentes e não da forma tradicional de ensino das escolas. Estas informações foram reveladas em um relatório apresentado pelo FBI quando o presidente americano George Bush cogitou contratar Steve para trabalhar na administração de seu governo;

05 – Ainda em sua juventude, reza a lenda que o primeiro produto dele e de Steve Wozniak, o outro fundador da Apple, foi o Blue Box, um aparelho que podia “enganar” os telefones e ligar de graça para qualquer lugar do mundo de graça. Eles teriam arrecadado um total de U$$6.000 com a invenção. A primeira ligação foi de Wozniak, que ligou para o Vaticano dizendo ser Henry Kissinger (diplomata judeu americano) e tentou falar com o papa. No entanto, não houve sucesso; RELACIONADO Como foi inventado o arcade? 

06 – Jobs trabalhou na Atari antes de criar a Apple, oportunidade em que desenvolveu um dos primeiros arcades comerciais. Nesta época ele foi colocado no turno da noite por causa de seu mau cheiro. Seus antigos companheiros de escritório dizem que ele não tomava banho e que tinha um cheiro horrível. E ele ainda só andava de pés descalços; 

07 – Nesta oportunidade em que trabalhou na Atari, Jobs e Wozniak tinham um acordo de metade a metade, onde todos os lucros seriam divididos igualmente. Legal na teoria, mas a verdade é que Jobs recebeu U$$ 5 mil dólares da Atari e disse para Wozniak que havia recebido apenas U$$ 700. Resumo: Wozniak foi pra casa com míseros U$$ 375 dólares;

08 – Ele recebeu, em 1985 a Medalha Nacional de Tecnologia e Inovação concedida pelo presidente americano a inventores americanos e que tiveram grande contribuição para o mundo. Na ocasião, Jobs e Wozniak receberam o prêmio pela “introdução do computador pessoal.” Leia também 25 fatos e curiosidades sobre Steve Wozniak.

09 – Steve Jobs, que era disléxico, levava um estilo de vida mais alternativo. Durante sua juventude ele experimentou LSD, e disse que essa foi uma das duas ou três melhores experiências de sua vida. Ele também mantinha uma dieta livre de carne vermelha e quando descobriu seu câncer retardou o tratamento químico pois acreditava que podia se curar através de plantas medicinais, acupuntura, etc. Segundo um dos maiores especialistas em câncer no mundo, isso foi o fator que determinou sua morte. Para saber mais sobre essa história, clique no link à direita;

10 – Diferentemente do que muitos pensam, Steve Jobs não era vegano, ele era pescetariano. As pessoas que adotam este regime alimentar comem peixes e frutos do mar, mas excluem a carne de outros animais. A dieta inclui também hortaliças, frutos, nozes, cereais e leguminosas, ovos e laticínios; RELACIONADO A História da Apple (parte final)

11 – Jobs foi sem-teto durante um tempo em que estava na universidade. Ele disse em uma palestra em Stanford em 2005: "Eu não tinha um quarto no dormitório, por isso eu dormia no chão do quarto de amigos. Eu recolhia garrafas de Coca-Cola para os depósitos por 5 cêntimos para comprar comida, e ia a pé por 11 quilômetros pela cidade todo domingo à noite para ter uma boa refeição por semana no templo Hare Krishna";

12 – Pelo jeito Steve Jobs criou um grande afeto pelos dos Hare Krishnas, tanto que foi à Índia aprender sobre o jeito simples de vida dos budistas. Ao voltar estava com a cabeça raspada. Ele tinha a intenção de virar um monge budista; bom, ele não virou budista, mas adotou esta filosofia como religião até o fim de sua vida;

13 – Steve entrou para a Universidade Reed College, a qual cursou, formalmente, por apenas 6 meses, desistindo para evitar que seus pais gastassem todas as suas economias com algo que ele nem mesmo sabia se queria. Depois disso Steve Jobs ficou mais 1 ano e meio frequentando o campus e dormindo no chão do dormitório da faculdade, em quartos de amigos e estudando “por fora” apenas o que ele gostava;

14 – Ele aparece entre os responsáveis por 317 patentes da Apple, inclusive a famosa escada de vidro da sede; RELACIONADO Resenha do livro A cabeça de Steve Jobs

15 – Na Apple Ele ficou por mais de 10 anos recebendo um salário anual de U$$ 1 (desde 1997). Ele brincaria dizendo que ganhava 50 centavos por ir trabalhar e outros 50 baseado em seu desempenho. Bom, mas isto não foi motivado por altruísmo ou qualquer outro motivo. A verdade é que dessa forma ele pagava menos impostos, sem contar que neste momento de sua vida ele já havia vendido a Pixar, tornando-se o maior acionista individual da Disney e acumulando uma fortuna de bilhões de dólares; 

16 – Essa daqui é boa: Assim que o Macintosh foi finalizado houve uma festa na casa de Jobs. Lá, ele fez todos da equipe assinarem uma folha de papel, essa folha, por sua vez, tornou-se um modelo para uma placa de metal que foi inserida em cada Mac vendido então. O motivo seria que Jobs considerava a máquina uma verdadeira peça de arte, e por isso, merecia uma assinatura dos “artistas” que a fizeram;

17 – Uma das suas características mais marcantes era com certeza sua obstinação pelos detalhes, certo? Então veja essa: Uma vez ele chamou Vic Gundotra, que foi responsável por todas as aplicações do Google Mobile, em 2008, às pressas em um domingo, com o seguinte pedido: Então, Vic, temos um problema urgente, um que eu preciso que seja resolvido imediatamente. Eu já atribuí alguém da minha equipe para ajudá-lo, e eu espero que vocês possam corrigir isso amanhã. Eu estive olhando o logotipo do Google no iPhone e não estou feliz com o ícone. O segundo O em Google não tem o amarelo gradiente dos demais. É simplesmente errado e eu mandei Greg corrigi-lo amanhã. Tudo bem para você? No final, por incrível que pareça, Vic gostou da situação, segundo ele: "Foi uma lição que eu nunca vou esquecer. CEO’s devem se preocupar com detalhes. Mesmo tons de amarelo em um domingo”;

18 – Em outro exemplo de dedicação extrema aos detalhes, Steve Jobs abria centenas de caixas vazias de todos as formas, modelos e estilos que ele e seus designers conseguiam criar. O objetivo era tentar encontrar a emoção perfeita para proporcioná-la aos clientes todas as vezes que abrissem a embalagem de um produto novo da marca;

19 – Steve Jobs foi mentor de Sergey Brin e Larry Page, criadores do Google. Quando Jobs viu a pequena empresa notou que eles tinham muito potencial e que deveria fazer algo para ajuda-los a desenvolver seu negócio. Ele cedeu alguns de seus assessores para o Google, e mais, Jobs até “pegaria” o CEO da Google para integrar o conselho da Apple. Mais tarde Steve Jobs sentir-se-ia traído pelos antigos companheiros ao ver o crescimento do Google no mercado de celulares, segundo ele: "a Apple não entra no negócio de busca, então por que o Google tem que entrar no negócio de telefone?" Ele também acreditava que a Google havia roubado algumas das características do iPhone e, por isso, decidiu manter o desenvolvimento do iPad em segredo de Schmidt, o CEO do Google que ele havia roubado anos antes;

20 – Steve Jobs foi demitido por John Sculley, antigo CEO da Pepsi, que ele tinha convencido a juntar-se a Apple anos antes. Mas se você acha que Jobs ficou triste com a demissão, veja o que ele disse na ocasião: “O peso de ser bem sucedido foi substituído pela leveza de ser de novo um iniciante, com menos certezas sobre tudo. Isso me libertou para entrar em um dos períodos mais criativos da minha vida.”; RELACIONADO 15 frases de Steve Jobs

21 – Veja o currículo de Steve Jobs quando procurava se reenquadrar no mercado: "Estou procurando um lugar que necessite de muitas reformas e consertos, mas que tenha fundações sólidas. Estou disposto a demolir paredes, construir pontes e acender fogueiras. Tenho uma grande experiência, um monte de energia, um pouco dessa coisa de ‘visão’ e não tenho medo de começar do zero".

22 – Depois que foi demitido Jobs criou a Next, outra empresa do ramo da tecnologia (que inclusive foi comprada depois pela própria Apple). Em um dia, quando investidores foram visitar a Next, Jobs mandou correu para o estacionamento para esconder seu Porsche, ele disse para um de seus empregados fazer o mesmo. Segundo ele: “Eles [os investidores] vão ver que temos dinheiro se virem os Porsches”;

23 – Quando voltou para a Apple com a missão de tirá-la do buraco Jobs doou todos os antigos computadores e máquinas em geral da empresa para o museu da Universidade de Stanford. Ele disse que precisava deixar o passado para trás e tinha que ter espaço para fazer o “novo”;

24 – Ainda nos anos 80 Steve Jobs comprou a Pixar de George Lucas por 5 milhões de dólares e manteve a empresa mesmo após anos fechando constantemente no vermelho. A decisão de manter uma empresa que dava prejuízos milionários era que ele acreditava que a computação digital seria o futuro dos filmes de animação. O primeiro sucesso do estúdio veio em 1995 com Toy Story, que arrecadou mais de 360 milhões de dólares e calou a boca de todos que diziam que Steve Jobs estava louco; RELACIONADO 25 Fatos e curiosidades sobre Steve Wozniak  
25 – Em 2006 a Pixar foi comprada pela Disney por 7,4 bilhões de dólares e Steve Jobs se tornou o maior acionista individual da Walt Disney;

26 – Na Apple, segundo boatos, o iPhone 4S, o primeiro a receber a versão “S”, recebeu essa letra por causa de Steve; E outra, ele não aceitava de formal alguma que seus produtos saíssem da fábrica na cor branca. Isso só mudou quando um de seus designers, Jonathan Ive lhe mostrou o design de sombra “Moon Gray”;

27 – Steve Jobs nunca emplacou seus carros. Uma das explicações seria uma brecha na lei californiana que permite aos motoristas até 6 meses para colocar uma placa no veículo. O único “problema” era que ele tinha de trocar de carro de 6 em 6 meses; E mais: quando estacionava Jobs procurava sempre estacionar em vagas para deficientes físicos;

28 – Steve teve 4 filhos, sendo uma delas fora do casamento. Jobs negou a paternidade de sua primeira filha, alegando ser estéril. Com a recusa da ajuda de Steve Jobs, a mãe teve que recorrer à ajuda do governo americano para sustentá-la. No entanto, após um primeiro contato conturbado, Steve Jobs assumiu a filha e deu o nome de um computador em sua homenagem. O famoso Apple Lisa;

29 – Jobs se casou “secretamente” com Laurene Powell Jobs, graduada com MBA em Stanford e que foi apontada por Obama para se juntar ao Conselho da Casa Branca para Soluções Comunitárias por conta de seu envolvimento em causas sociais e sem fins lucrativos; E mesmo com todo o trabalho voluntário da esposa, Jobs cortou todos os trabalhos filantrópicos da Apple no início da empresa. Na ocasião ele disse que aguardaria até que eles se tornassem rentáveis. Os programas nunca foram reativados; 

30 – Após uma batalha contra o câncer pancreático, as últimas palavras de Steve Jobs foram "Oh wow. Oh wow. Oh wow", segundo sua família;

31 - Um filme chamado “Piratas do Vale do Silício” foi lançado em 1999 e mostra a relação e a rivalidade entre Apple e Steve Jobs e a Microsoft e Bill Gates. O filme compreende os anos de 1971 até 1997. Confira o trailer: Sabem de alguma curiosidade que não foi citada? Conte-nos logo abaixo nos comentários.
Post completo em:
https://www.oficinadanet.com.br/post/13907-fatos-e-curiosidades-sobre-steve-jobs
O conteúdo do Oficina da Net é protegido sob a licença Creative Commons (CC BY-NC-ND). Você pode reproduzi-lo, desde que insira créditos COM O LINK para o CONTEÚDO ORIGINAL e não faça uso comercial de nossa produção.

ADEPTAS DA "DESESCOLARIZAÇÃO", FAMÍLIAS TIRAM FILHOS DO COLÉGIO EM SP.

Adeptas da ‘desescolarização’, famílias tiram filhos do colégio em SP

Angela Pinho - Folha de S.Paulo - 12/02/2017
Elas estão em bairros paulistanos como Aclimação ou Vila Madalena. Em cidades do interior como Joanópolis e Piracaia, ou do litoral, como Ubatuba. São filhos de artista, médica, economista, cabeleireiro, entre outras profissões. Em 2017, não vão tirar férias, matar aula, repetir ou passar de ano.

Mais de cinco séculos após o surgimento de escolas nos moldes atuais, pais de classe média e alta optam por tirar os filhos do colégio ou sequer matriculá-los.

São adeptos da chamada “desescolarização”, ou “unschooling”. Diferente do que ocorre na educação domiciliar, ou “homeschooling”, essas famílias não ensinam em casa a grade curricular. A ideia é, justamente, fugir de objetivos e regras da vida da escola.

As duas práticas costumam ser rejeitadas quando questionadas nos tribunais, por causa de artigo do Estatuto da Criança e do Adolescente que diz: “os pais ou responsável têm a obrigação de matricular seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino”.

A interpretação jurídica do tema, porém, está sob análise do STF (Supremo Tribunal Federal), que julga ação sobre o ensino domiciliar e suspendeu a tramitação de processos em 2016.

PRECURSORA

A “desescolarização” não era um assunto para a educadora Ana Thomaz, 49, quando, nove anos atrás, seu filho, aos 13, pediu para sair do colégio. “Ele disse que sentia ter algo dentro dele que ele queria fazer, mas não tinha tempo”, diz ela. Um ano depois, Ana aceitou o pedido.

Na época, era a única entre seus conhecidos. Hoje, isso está longe de ser verdade. Na última quarta (8), mais de uma dezena de pais que tiraram ou pensam em tirar os filhos do colégio pegaram 7 km de estrada de terra para um encontro no sítio onde ela vive, em Piracaia (a 88 km de SP).

Ali, além de Ana, moram seu marido, suas duas meninas caçulas (o mais velho virou mágico e foi viajar) e outra família com dois filhos. Com idades de 5 a 10 anos, as quatro crianças nunca foram a uma escola. Aprenderam sozinhas a ler e escrever.

Com exceção de alguns compromissos fixos, como uma refeição no fim da tarde, não têm rotina pré estabelecida. A expectativa é desenvolver o potencial de criação e o que ela chama de “auto-responsabilidade”. Algo como um contraponto à atitude de esperar que outro pessoa –um professor ou chefe– determine a sua atuação. Isso, diz, vale para adultos e crianças.

NA CIDADE

Para ela, sair da escola é consequência da busca por outro modo de vida. Talvez por isso, quando o filme “Capitão Fantástico”, em cartaz, foi lançado, amigos lhe escreveram. A história mostra um pai que educa os filhos em uma floresta nos EUA. Ela rejeita a comparação com o personagem. “Ele é um escravo na luta contra o sistema. Não acho que meus filhos são melhores do que os que vão à escola. Não sou ativista”.

A realidade das famílias que praticam a “desescolarização” em São Paulo também é diferente da que mostra o filme. Exemplo é um grupo de crianças que se encontra semanalmente na Aclimação, na capital. Ele reúne 10 meninos e meninas de 3 a 16 anos, filhos de profissionais como médica, cabeleireiro, empresária e massagista.

Formada pela Faculdade de Educação da USP, Bia Conde faz uma espécie de tutoria para os “unschoolers”. Chegou a viver a experiência como mãe. Conta que tirou as filhas da escola quando tinham 4 e 6 anos, mas matriculou-as novamente sob risco de perder a guarda, após seu ex-marido entrar com uma ação.

No grupo que atende, ela dá orientações a partir dos interesses das crianças. Observa dimensões emocionais e intelectuais, diz, mas não segue um currículo escolar.

Uma das mães que a procurou é a médica Maria (nome fictício), que não quer ser identificada por medo das consequências judiciais. “Sempre fui boa aluna e gostava disso. Por isso, para mim, foi uma grande novidade quando vi que meus filhos não gostavam de ir à escola”, diz.

Quando ofereceu a eles a possibilidade de sair do colégio, o mais velho, adolescente, recusou. Está agora na faculdade. O mais novo, então com 8 anos, aceitou.

Faz aulas de música, programação e, a seu pedido, português e matemática com professor particular. Se quiser seguir o exemplo do irmão, precisará de um diploma de ensino médio. Para isso, ou terá de fazer supletivo, ou estudar para obter certificado.

Até o ano passado, uma nota mínima no Enem servia como certificação para maiores de 18 anos. Mas, para este ano, o governo vai retirar essa função do exame e criar uma prova específica para isso.

Se o conteúdo curricular até pode ser aprendido depois, a experiência de socialização da escola é única, dizem educadores contrários ao “unschooling”. “A grande vantagem da escola é a possibilidade de sair da família”, diz o filósofo e ex-ministro da Educação Renato Janine Ribeiro.

O convívio, porém, pode levar a conclusão diferente. A artista Leila Garcia, 53, tirou o filho da escola, em São Paulo, após episódios de bullying. “Não acho que a escola socialize. É um grupo de crianças juntadas aleatoriamente. Você sofre e no dia seguinte tem que estar de novo com o agressor.” Hoje, ela vive com o garoto, de 12 anos, em Ubatuba.

Os dois seguem uma programação de estudos, na qual ele escolhe o que vai aprender. Seu caso ilustra um consenso entre adeptos da “desescolarização” e críticos à prática: a necessidade de adulto por perto e de um ambiente que possibilite o desenvolvimento das crianças.

“Para recusar a escola e seguir no meu modo de criação, eu tenho que trabalhar menos e ganhar menos”, diz Leila. “Não é o mundo da fantasia.”

JUSTIÇA

Desde novembro do ano passado, todas as ações judiciais sobre educação domiciliar no país estão suspensas por determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal).

A medida é válida até o julgamento de um processo na corte, do qual ele é relator. A ação opõe o município de Canelas (RS) a pais que querem ensinar os filhos em casa.

Embora não trate do “unschooling”, a decisão pode dar uma sinalização jurídica para a prática. Os ministros do STF irão decidir se a educação pelas famílias pode ser tida como meio lícito para garantir o direito à educação. Diz o artigo 205 da Constituição: “a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade”.

Muitos dos pais que optam por tirar os filhos da escola dizem que a decisão tem mais a ver com a opção por um modo de vida diferente do que com a discordância em relação ao modelo tradicional de ensino.

“Minhas escolhas sempre tiveram o pressuposto da liberdade e, de repente, minha filha entrou em uma cadeia de comportamento em massa”, diz Dúnia La Luna, que prefere ser identificada pelo nome artístico, ao explicar por que desmatriculou a filha, com quem vive em Joanópolis, interior de SP.

De fato, o ensino formal molda uma socialização que ultrapassa a instituição escolar, diz a professora Carlota Boto, da Faculdade de Educação da USP. “Por exemplo, a ideia de colocar as pessoas em fila é um procedimento do qual a escola se vale e que organiza outras instâncias da vida social.”

“A escola se coloca como o anteparo entre a família e a vida social”, afirma. “Trata-se de uma instituição de transição entre a vida privada familiar e o mundo público.”

MENSAGEM ESPIRITUAL REVELA ESPERANÇAS NO FUTURO DO BRASIL.

Mensagem espiritual revela esperanças no futuro do Brasil


Em meio a crises sociais de todos os gêneros surgem dezenas de mensagens espirituais sobre o futuro planetário, em especial no Brasil, que passa por um momento de grande dificuldade politica e economicamente. Na mensagem a seguir do espírito Alfred Schutz, sociólogo que desencarnou no final da década de 50 e vem a nós deixar suas impressões sobre o momento de transição planetária que vivemos. Convido aos nossos leitores a uma leitura crítica e um debate SADIO em que ganharemos muitas experiências em boas vibrações e esperança num futuro melhor!


Depois que desencarnei, estou trabalhando na área de planejamento reencarnatório na colônia espiritual de alvorada nova. Falei aqui, há uns meses que os europeus iriam pagar pelo imperialismo contra os povos da África, Ásia e Oriente Médio. Essa Crise de refugiados é só um começo antes da grande invasão militar organizada que os deserdados do mundo farão naquele continente. Muitos desses navios de refugiados afundam não por causas naturais, mas por submarinos em missões secretas. A Europa está decrepta do ponto de vista espiritual e caberá a America do Sul oxigenar a sociedade mundial. E vocês que questionam sobre o Brasil? Lhes digo que haverá anarquia e caos antes de uma nova organização da sociedade. Os trevosos nos dois planos de vida, depois de estarem fortes, brigam entre si e se exterminarão. A atual classe política do Brasil deve ser renovada, pois os seus métodos se assemelham na mentira, corrupção e engano. Jovens estão reencarnados para mudar este país, depois da instabilidade política. O Brasil sairá mais forte e encontrará seu destino, fiquem tranquilos! O número de acidentes automobilísticos, patologias mentais e suicídios crescerão pela ofensiva da espiritualidade inferior que sabe que tem seus dias contados. Recomendo aos encarnados muita cautela nas distrações noturnas aonde a bebida ou as drogas criam um campo magnético deletério. Meus amados, levem uma vida mais simples e sem ostentação. Tenham em mente que neste período de transição planetária, precisamos ser 
cautelosos, prudentes e sóbrios. Por favor, cobrem deste Médium a mensagem da Semana que vêm, Domingo, aonde falarei como se dá a avaliação da suas reencarnações na atual conjuntura. Saibam que o Mestre Jesus está no Comando da barca terrestre, não há que temer! Um abraço deste sociólogo no Plano Espiritual, 
Alfred Schutz.
a2
Mensagem recebida em trabalho espiritual no GFA- Grupo Francisco de Assis, 19/09/2015

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

QUANTOS DIAS DO ÓCIO TEREMOS AINDA ESTE ANO, ACOMPANHEM.

 Os brasileiros, especialmente os campanhenses tiveram que se virar em 21 dias úteis para honrarem os compromissos de fevereiro. Mas, se você é daqueles que pensam que depois do carnaval o ano começa pra valer, se preparem. O mês de março dará para trabalhar bem, teremos de 23 a 27 dias de trabalho. Mas, para o mês de abril, teremos apenas de 16 a 18 dias úteis. Vejamos:

Dia 12 de abril, feriado municipal. Dia de Padre Victor.Se pelo ao menos acontecesse alguma coisa na cidade, tudo bem. Mas, no máximo deverá ter um missa, onde não é costume fazer um comentário sobre a sua vida, seus valores, os porquês de existir um processo para sua canonização.

Dia 13 Quinta-feira da Paixão.

Dia 14 Sexta-feira da Paixão.

Dia 21 Sexta-feira, feriado nacional.Há muitos anos Campanha não comemora nada, é mais um dia para o campanhense sair às compras.

Logo teremos o dia 01 de maio, um segunda-feira para ser emendada com o final de abril.

Calma aí  que tem mais. No mês de junho teremos praticamente uma semana perdida. 

Dia 13, terça-feira é Dia de Santo Antônio padroeiro da cidade. Feriado municipal.

Dia 15, quinta-feira Corpus Christi. Dia Santo.

Em julho teremos de 21 a 26 dias de trabalho.

Em agosto, vamos poder trabalhar também.Teremos de 23 a 27 dias para trabalhar.

Dia 07 de setembro cairá numa quinta-feira.

Dia 02 de outubro, feriado municipal. Dia dos 280 anos do descobrimento da Campanha. Cairá numa segunda-feira. 

Dia 12 de outubro. Quinta-feira. Dia da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida e Dia da Criança.

Em novembro tem mais. Dia 02 Quinta-feira que é Finados, Logo depois vem o dia 15 Quarta-feira Proclamação da República.

Vamos torcer para que a nova administração municipal crie pelo menos alguma coisa que lembre à todos nós porque não vamos trabalhar e estudar neste dias. Há muito que estes dias, são apenas o "dia do ócio."

COLÔNIAS ESPIRITUAIS.

COLÔNIAS ESPIRITUAIS - INTRODUÇÃO

Para algumas pessoas pode parecer estranho eu estar apresentando um pouco da nossa história doutrinária, porém quem abraça o discipulado de Jesus não pode fugir ao testemunho.
Assim é que movimentamos companheiros, para que se tornem conhecidas, em nossa cidade terrestre, as CONSTRUÇÕES ESPIRITUAIS que nos servem de base, para a realização das tarefas iniciadas.
Amigos, a transformação anunciada pelo Apocalipse está chegando, porém não esperemos que esta modificação se faça, através de decretos ou movimentos revolucionários, pois, para o Planeta se transformar, é preciso que se concretize primeiro a REEDUCAÇÃO DO SER HUMANO.
É do coração do homem que vai sair o movimento libertador das consciências; por conseguinte, aquele que se torna verdadeiramente cristão, automaticamente vai cristianizando os que com ele convivem.
A necessidade de uma real confraternização deve ser baseada no respeito mútuo, porque só se respeitarmos o semelhante é que seremos respeitados, e só assim estaremos estruturação uma base sólida para a vivência cristã, baseando os nossos atos no amor ao próximo como a nós mesmos.
A criatura que não se respeita, nem se ama, não saberá amar nem o próximo, nem o mundo em que vive, porquanto, quem não ama o seu semelhante jamais amará o Criador.
Quando, na década de 40, tivemos o primeiro contato com dr. Bezerra de Menezes, através da mediunidade da sra. N.A., ele nos asseverou que:

"No mundo, o Brasil; no Brasil, esta terra que tem o nome do grande Apóstolo, e aqui, esta nossa Casa (Federação Espírita do Estado de São Paulo) , que será um farol a iluminar a Humanidade."

Mas, para que a nossa Casa crescesse, precisávamos de proteção e orientação; por isto, permitiu o Divino Mestre que as Grandes Fraternidades trouxessem consigo um grande contingente de trabalhadores, para que, realmente, o nosso Brasil se tornasse a "Pátria do Evangelho",

Foram necessárias muitas experiências, a fim de que se comprovasse a existência desses beneméritos companheiros espirituais. E quando, por ocasião da nossa desencarnação, pensávamos que a nossa tarefa dentro do Espiritismo Evangélico estivesse terminando, eis que somos convocados a retomar a luta, servindo-nos de companheiros encarnados.

Muitas foram as experimentações no campo da mediunidade, para que a luz da Verdade continuasse brilhando na Casa que acolheu esses grupos fraternais, a fim de que, continuando juntos como operários do Bem, pudéssemos, realmente, edificar, na Terra, o Reinado do Amor inspirados no exemplo do Mestre por nós escolhido.

Alguns dos adjetivos com que me qualificaram talvez tenham sido ditados pela gratidão de alguém que conosco tomou parte nessas experimentações. No entanto, não vejam neste testemunho o trabalho do uma única pessoa; vejam, isto sim, o esforço conjunto de companheiros encarnados e desencarnados, demonstrando que só a fidelidade e a convivência fraternal é que poderão continuar trazendo à Terra notícias das nossas construções espirituais nos diversos Planos da Crosta Terrestre.

Que o Nosso Divino Mestre Jesus continue conquistando novos discípulos, é o que lhes deseja o amigo fiel
EDGARD ARMOND
(Psicografia da médium Martha Gallego Thomaz) 

ESCOLA ACABA COM LIÇÃO DE CASA E ÍNDICE DE LEITURA AUMENTA.

Escola acaba com a lição de casa e índice de leitura aumenta

Gazeta do Povo - 13/02/2017
É possível acabar com a lição de casa? Uma escola norte-americana está provando que sim – e mais: com apoio dos pais e bons efeitos colaterais. Passados cinco meses do início de uma política que aboliu as tarefas de casa na Orchard Elementary, escola primária localizada no distrito de South Burlington, nos Estados Unidos, os pais dos estudantes relatam que os índices de leitura de seus filhos têm melhorado.

A medida foi tomada antes do início do ano letivo, quando os professores da instituição decidiram, por unanimidade, extinguir o dever de casa dos alunos do jardim de infância até a quinta série. Ao invés disso, no entanto, os estudantes são incentivados a ler, brincar e “serem crianças”. A proposta recebeu o apoio de cerca de 80% dos pais que responderam à pesquisa realizada pela direção da escola.

“Nosso filho está no primeiro ano e, em sua idade, [a lição de casa] é tanto uma tarefa para os pais como para os pequenos. Em vez disso, passamos o tempo lendo, não precisamos nos apressar”, disse Rani Philip, mãe de um estudante, em entrevista ao Burlington Free Press. Outros pais também se mostraram surpresos com a medida de não haver tarefa de casa, mas também afirmaram que seus filhos estão lendo mais.

Especialistas em Educação, no entanto, defendem que a lição de casa é uma oportunidade para a criança complementar os estudos, mas que para isso ela precisa ter seus objetivos bem delimitados. Entre eles estão o de fixar ou dar significado ao conteúdo que foi visto em sala de aula ou desenvolver habilidades cognitivas, por exemplo.

O primeiro aspecto a ser destacado, como lembra Daniele Saheb, doutora em Educação e coordenadora do curso de Pedagogia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), são as diferenças culturais entre os países que têm reflexos diretos sobre seus sistemas de ensino. “Nos Estados Unidos, por exemplo, as crianças passam mais tempo na escola durante o ensino fundamental do que no Brasil, onde o período costuma ser de quatro horas diárias”, pontua.

Neste sentido, uma das principais funções da tarefa de casa é a de possibilitar ao aluno desenvolver o hábito e a autonomia para o estudo, como acrescenta Viviane Stacheski, coordenadora dos cursos de pós-graduação em Educação Infantil, Alfabetização e Letramento do Centro Universitário Internacional Uninter.

“Se a criança não desenvolve isso nas séries iniciais, ficará mais difícil para ela fazê-lo na adolescência, o que poderá acarretar prejuízos a partir do sexto ano, período no qual os alunos passam a ter as disciplinas separadas por aulas [e precisam aprender a organizar os estudos]”, explica.

Preocupação

Mesmo aprovando a medida, muitos pais da Orchard Elementary manifestaram a preocupação de que, sem a lição de casa, seus filhos não desenvolvam habilidades que os auxiliarão a serem bem-sucedidos nos demais anos escolares. Alguns deles, inclusive, esperam que um trabalho adicional seja desenvolvido na quinta série como forma de evitar possíveis prejuízos.

Nem todos os pais, no entanto, concordaram com a extinção da l ição de casa pela escola. A mãe de um estudante contou ao Burlington Free Press que optou por tirar a filha da instituição e a matricular em uma escola na qual a criança tem cerca de 30 minutos de tarefa por noite.

Complemento do estudo

As especialistas lembram que as discussões sobre a necessidade ou não de as crianças levarem tarefas para casa são amplas e envolvem diferentes vertentes, que vão de sua quantidade e objetivo ao papel que a família desempenha junto aos filhos nos momentos em que ele está fora da escola.

Por isso, é necessário que as tarefas sejam bem planejadas pelos professores, de forma que não se tornem muito longas e/ou que os estudantes tenham condições de resolvê-las sozinhos.

“A tarefa não pode ter uma conotação tecnicista, no sentido de simplesmente ocupar o tempo da criança”, orienta Daniele, da PUCPR. Ela acrescenta, ainda, que a aprendizagem não acontece só no período escolar, o que faz com que a participação e o comprometimento da família sejam fundamentais para se garantir a qualidade do tempo que a criança passa fora da escola.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

CÂMARA SOLICITA EXPLICAÇÕES DA COPASA.


REQUERIMENTO SOLICITA O COMPARECIMENTO NA CÂMARA DO GERENTE DA COPASA OU RESPONSÁVEL PELO MUNICÍPIO COM OBJETIVO DE PRESTAR INFORMAÇÕES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO EM CAMPANHA

ESCRITO POR ANDRÉ LUIZ FERREIRA EM .

Configuração do Tamanho do Texto
iconecopasa
Outro requerimento aprovado na noite dessa terça-feira (21) solicita o comparecimento de Gerente da Copasa, ou responsável pelo município, com a finalidade de prestar informações sobre a implantação da Estação de Tratamento de Esgoto e o cumprimento das cláusulas contratuais, considerando o prazo para a execução das obras e a cobrança da taxa de esgoto. A proposição aprovada pela unanimidade dos presentes, é de autoria do Vereador Hamilton Pires de Rezende e deve ser encaminhada pelo Presidente da Câmara à Copasa, nos próximos dias.
“Considerando o nosso papel de zelar pelo bem da comunidade e que estamos sendo cobrados pela população, uma vez que esta Casa Legislativa autorizou os serviços de saneamento pela Copasa, solicitamos a atenção da empresa para que possamos dirimir as dúvidas e prestar os esclarecimentos àqueles que nos procuram. Nós, membros do Poder Legislativo, fomos eleitos para prestar todos os serviços que atendam ao interesse público do cidadão ou das instituições públicas nas suas relações recíprocas. Desta forma, vimos interceder em prol da comunidade campanhense, no sentido de buscar uma solução para o problema que hoje enfrentamos com a falta da efetiva implantação da rede de esgotamento sanitário e o cumprimento das cláusulas contratuais. É notória a preocupação da empresa com a qualidade dos seus serviços, razão pela qual solicito a presença do representante da COPASA e atenção da empresa para com esta Casa Legislativa”, ressaltou o autor da proposição discutida na noite de ontem em Plenário.
Votação:
A proposta foi aprovada pela unanimidade dos vereadores presentes. Votaram a favor da proposição os Vereadores Hamilton Pires de Rezende, Rodrigo José de Carvalho, Nevitom Borges da Costa, Paulo Henrique Furtado, Edvaldo Lira da Silva, João Paulo Baena Alves, Carlos César de Castro, Gilson Cezar Prok e a Vereadora Lourdes Silva de Souza. Ausente à sessão, o Vereador Guilherme de Souza Serrano. O Presidente da Câmara Leandro Prock Valério, por força regimental não vota, uma vez que não houve empate.

Leia também:
Opinião:
Com mais de 8 anos de atraso, é solicitada a presença de um representante da COPASA para prestar esclarecimento ao povo da Campanha que, não é de hoje que, vem pagando por um serviço que não é prestado.  Você cidadão, pode olhar em sua conta de água, há muito tempo você está pagando pelo tratamento do esgoto. Faça a sua parte também proteste, peça expliações, não seja omisso. Tem coisas no Brasil que só funcionam na base da pressão. Se ninguém protesta seus direitos são empurrados com a barriga. 

MÉDIUM INCORPORA PINTORES FAMOSOS PARA AJUDAR EM CAUSAS SOCIAIS.

MÉDIUM incorpora PINTORES FAMOSOS para AJUDAR em CAUSAS SOCIAIS !

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado
As obras executadas em sessões mediúnicas abertas ganham assinatura de artistas plásticos como Van Gogh, Picasso, Portinari e Monet. O material é leiloado e a renda é revertida para causas sociais de centros espíritas
Ao som de música clássica surgem as primeiras cores sobre as telas estendidas em uma mesa. Cerca de 350 pessoas observam impressionadas a feitura de dois quadros confeccionados simultaneamente. Em menos de vinte minutos, estão prontas duas telas inéditas com assinatura de Pierre-Auguste Renoir, pintor francês impressionista que morreu em 1919.
Trata-se de uma sessão mediúnica realizada pelo médium baiano Florêncio Anton, 43, na última segunda-feira, 24, no centro espírita Casa da Caridade Dr. Adolph Fritz. A sessão resultou na pintura de nove obras que teriam sido realizadas por espíritos de artistas plásticos famosos. Todos os quadros seguem para leilão e o dinheiro é revertido para ações sociais.
Conhecida como psicopictografia, a manifestação se assemelha à psicografia, onde, segundo a doutrina, espíritos se comunicam por meio de cartas com pessoas vivas. “Não se trata de reprodução, são quadros originais. Os espíritos já fizeram mais de 35 mil telas pelo meu intermédio nas mais diversas condições, inclusive contrariando aspectos metodológicos de confecção de obras de arte”, explica Florêncio. Graduado em Pedagogia, Psicologia e Enfermagem, ele explica que pessoalmente não domina nenhuma técnica de pintura e não tem interesse pelas artes plásticas.
Durante sessão mediúnica acompanhada pelo jornal O POVO, o médium utilizava as próprias mãos, de pincéis de tipos variados e lenços. Em questão de minutos surgiam as obras com assinatura e estilo similar ao do artista referenciado.
O arquiteto Diego Zaranza, 33, já tentou arrematar algumas vezes os quadros, mas nunca conseguiu. “A psicopictografia foi minha porta de entrada também para o espiritismo. Eu conheci em 2011, a convite de uma amigo. Relutei porque eu já tinha estudado sobre arte, eu não queria ir para criticar, estava com o pé atrás e acreditava ser algum tipo charlatanismo”, conta.
A opinião mudou quando participou de uma das sessões e, segundo ele, viu as particularidades do processo. “A pessoa usa tinta óleo e as cores não se misturam. A velocidade com que são feitos os quadros seguindo a tendência do pintor em questão me fez perceber que tem algo aí. Comecei a estudar”, conta.
Além de Renoir, foram feitas telas inéditas com assinaturas de Van Gogh, Camille Pissarro, Claude Monet, Picasso, Raimundo Cela e Carybé. Todas foram arrematadas no leilão na Casa da Caridade. “Como a mediunidade no espiritismo é gratuita, o médium não pode levar nenhuma vantagem. Então os quadros são leiloados e a renda é partida entre as duas instituições que fazem o evento”, explica Roberto Barbosa, conselheiro da Casa da Caridade.
Questionado sobre as críticas de uma possível apropriação indevida, o médium comenta: “Os espíritos explicam que se eles reproduzissem obras que fizeram quando estavam aqui (vivos) muito possivelmente a crítica materialista e os céticos iriam dizer que eu era um copista ou que eu seria um estelionatário”, reflete Florêncio.
Créditos: Jornal O Povo

PROJETO QUE ESTIMULA LEITURA ALIADA À CULTURA DIGITAL RECEBE PRÊMIO.

Projeto que estimula leitura aliada à cultura digital recebe prêmio

Universia Brasil - 08/02/2017

Foi decidido no início da noite desta terça-feira (7/2), o vencedor da 16ª edição do Prêmio Péter Murányi – Educação. Intitulado “E se eu fosse o autor? – Laboratórios criativos de leitura e cultura digital”, o projeto, criado pela ONG Casa da Árvore, já atendeu, ao longo dos últimos sete anos, em Tocantins, Goiás, Minas Gerais e Bahia, mais de mil crianças e adolescentes matriculados em cerca de 60 escolas públicas, além de professores e educadores de comunidades em situação de risco social.

Um dos principais resultados obtidos foi o aumento do índice de leitura literária espontânea entre os estudantes participantes. Pesquisa realizada entre 2013 e 2014 constatou que, quando os alunos entraram no projeto, 31% não recordavam de nenhum livro lido nos últimos três meses; 57% lembraram de um ou dois títulos; e 12% citaram quatro ou cinco obras. Após três meses de atividades, todos os participantes lembraram pelo menos de dois títulos lidos; 37,5% leram três ou quatro obras; e 50% leram entre cinco e sete livros.

De acordo com a presidente da ONG Casa da Árvore, Leila Dias, essa é uma tecnologia social que tem o objetivo de ajudar comunidades escolares a repensarem de maneira inovadora o estímulo à leitura e à literatura entre os estudantes de escolas públicas brasileiras. Para isso, reúne um conjunto de práticas educativas e formativas que explora o ato da leitura integrado à ampliação de habilidades e expressão, por meio de linguagens midiáticas, como o vídeo, a imagem e o hipertexto. Dessa forma, o projeto aproxima a literatura do contexto digital, em que crianças e adolescentes constroem, hoje, sua relação com o mundo.

“É muito difícil conseguir recursos para instituições. Por isso, quando um prêmio concede esse reconhecimento, o processo torna-se recompensador, pois não se exigem metas e toda a preocupação da organização gira em torno da qualidade e humanização do trabalho”, observa a representante do trabalho vencedor.

Nesta edição do Prêmio Péter Murányi, houve recorde de inscritos, com 149 trabalhos. Segundo a presidente da Fundação Péter Murányi, Vera Murányi Kiss, também houve aumento na qualidade dos projetos. “Observamos que todos têm procurado agregar conteúdos cada vez mais consistentes, processos condizentes com a realidade contemporânea e inovação. O trabalho vencedor é um exemplo, pois acrescenta muita informação, debate e incentiva a criatividade. Conhecimento é uma necessidade e poder usar a estrutura de um projeto para melhorar a qualidade da educação é importante. Assim, é gratificante para a Fundação premiar essa iniciativa”.

Um júri composto por educadores, professores, representantes do ensino público e parceiros foi responsável por definir o projeto vencedor. O diretor do Universia, Luis Caldañas, também jurado no prêmio, salientou que “os três finalistas são trabalhos muito bons. Contudo, o vencedor tem impacto muito positivo e abrangente na difusão do acesso à leitura, que é condição fundamental para ter desenvolvimento acadêmico, desempenhar bem as atividades profissionais e possibilitar que os jovens se tornem universitários. Apenas 15% dos estudantes de Ensino Médio chegam à universidade. Muitas vezes, é por deficiência em matérias básicas, como matemática e português, que muitos não conseguem o acesso. Iniciativas como o Prêmio Péter Murányi são decisivas, principalmente devido à dimensão da carência educacional ser tão grande. Trata-se de uma contribuição fundamental para o desenvolvimento da sociedade”.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

REIKI PELO SUS.

Em alguns lugares o SUS  está oferecendo atendimento de Reiki, acompanhe na reportagem abaixo:

Reiki no programa “Bem Estar” da Globo em 17-fev-2017 sobre o Reiki agora oferecido pelo SUS.

Assista ao vídeo do programa exibido em 17 de fevereiro/2017.
https://youtu.be/9tIxT6af2HE

Aqui em Campanha você poderá fazer o seu curso de Reiki fases 1 e 3 com Isael e Alzira Langrafe no mês de março.

TURMA DA MÔNICA HOMENAGEAIA UMA DAS MAIS INFLUENTES ESCRITORAS NEGRAS DO BRASIL.

Turma da Mônica homenageia uma das mais influentes escritoras negras do Brasil


Zero Hora - 14/02/2017
Uma postagem feita nesta segunda-feira na página da Turma da Mônica no Facebook movimentou as redes em torno de uma figura ainda pouco lembrada na história nacional. Os personagens de Mauricio de Sousa homenagearam Carolina de Jesus (1914-1977), uma das primeiras e mais relevantes escritoras negras do Brasil.

Moradora da favela do Canindé, em São Paulo, Carolina trabalhava como catadora e registrava o cotidiano de sua comunidade em cadernos encontrados no lixo. No final da década de 1950, foram descobertos mais de 20 diários da escritora, que mais tarde deram origem ao livro Quarto de Despejo: Diário de uma Favelada. A publicação foi recusada por diferentes editoras na época, e acabou sendo impressa apenas em 1960.

A iniciativa faz parte do projeto Donas da Rua, lançado pela Turma da Mônica ainda no ano passado em parceria com a ONU Mulheres. A ideia é reforçar a autoestima de meninas de todo o Brasil e a defesa de seus direitos. A iniciativa já destacou outras brasileiras importantes, como a professora Dorina Nowill (1919-2010), pedagoga cega e uma das maiores ativistas pela inclusão de pessoas com deficiência visual no Brasil.

“Conhecer e honrar as guerreiras do passado é uma das formas de cultivar um futuro mais justo para as meninas. E nesse quesito, não temos nem o que dizer sobre Carolina de Jesus. Dona da Rua nata!”, destaca a publicação que já foi compartilhada quase 5 mil vezes, e movimentou as redes sociais no começo da semana.

Para acompanhar as homenagens do projeto, basta seguir a hashtag #DonasdaRua ou acessar o site da Turma.

EVANGELHO VIRTUAL.

EVANGELHO VIRTUAL

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Queridos irmãos, que a paz esteja com todos nós.
Agradecemos a Deus e a Jesus essa oportunidade de dividir esse momento com vocês.
Esperamos que o trecho "escolhido" para hoje, possa render boas reflexões para nossa jornada diária.

"O PARENTESCO CORPORAL E O PARENTESCO ESPIRITUAL.
Os laços de sangue não estabelecem, necessariamente, os laços entre os espiritos. O corpo procede
do corpo, mas o Espírito não procede do Espírito, porque o Espirito existia antes da formação do corpo; não foi o pai quem criou o Espirito do filho, ele não fez senão fornecer-lhe um envoltório corporal, mas deve ajudar o seu desenvolvimento intelectual e moral, para o fazer progredir.
Os Espiritos que se encarnam numa mesma família, sobretudo entre parentes próximos, são o mais frequentemente, Espiritos simpáticos, unidos por relacionamentos anteriores que se traduzem por sua afeição durante a vida terrestre; mas pode ocorrer também que esses Espíritos sejam completamente estranhos uns aos outros, divididos por antipatias igualmente anteriores, que se traduzem da mesma forma por seu antagonismo na Terra, para lhes servir de prova. Os verdadeiros laços de família não são, pois, os da consanguinidade, mas os da simpatia e da comunhão de pensamentos que unem os Espíritos antes, durante e após sua encarnação. De onde se segue que dois seres nascidos de pais diferentes, podem ser mais irmãos pelo Espírito do que se o fossem pelo sangue; podem se atrair, se procurar, dar-se bem juntos, enquanto que dois irmãos consanguineos podem se repelir, como se vê todos os dias; problema moral que só o Espiritismo podia resolver pela pluralidade das existências."(CAP IV, n.o 13).

Que Deus nos abençoe!