Páginas

quinta-feira, 14 de julho de 2016

JOSÉ FRANCISCO PAIXÃO.

 JOSÉ FRANCISCO PAIXÃO
(Um anjo que passou pela Vila Vicentina)
Viveu e trabalhou durante muitos anos na Vila Vicentina. Nesta foto ele aparece de roupa escuras agachado bem na frente. Nesta época os senhores João Nani e Elias Borges eram também dois dos grande voluntários que dirigiam aquela entidade. O Zé era "pau pra toda obra" e não precisava mandar. Tinha iniciativa e responsabilidade para zelar pelo que fosse melhor para a vila e seus moradores.
Nesta foto Zé Paixão aparece ao lado do cunhado Felício e sua irmã Geralda.
Logo após seu falecimento, Zé Paixão recebeu uma única homenagem de uma colega de trabalho, a enfermeira Juvenita Coelho, que dizia:

José Francisco Paixão
Carinhosamente mais conhecido como José Paixão.
          Esta carta é de agradecimento, que poderia ter sido feita em vida, mas de repente como uma estrela você se apagou.
          Talvez poucos o conheceram, mas os que tiveram esta oportunidade, se sentiram enriquecidos com tanta dedicação e amor. Sua vida em benefício dos outros.
          Há 40 anos a Vila Vicentina se enriquecia com a sua chegada. Como você foi importante para os velhinhos que ali viviam e aos que partiram desta vida.
          Você era o primeiro que se levantava e o último que se deitava, muitas vezes nem dormia, parecia um anjo de todos, sempre vigiando e cuidando. Sempre com seu largo sorriso acolhia a todos com a maior alegria, parecia um palhaço com suas brincadeiras e um sábio com suas invenções. Sempre dava um jeitinho para tudo.
          Como você foi importante e quanto tenho que agradecer a Deus por você ter existido e pelo dom da vida que te foi dado, sempre olhando as necessidades dos outros esquecendo até mesmo de si próprio.
           E quando se deu conta, já estava acometido de uma enfermidade que agora o levou.
           Sempre muito religioso, Deus quis te premiar, te levando numa Semana Santa, assim como foi sua vida, como dizia seu nome "José Paixão" foi numa quarta-feira da paixão, que você foi para o céu colher os sorrisos e o bem que fizestes desabrochar em sua profissão aqui na terra. 
           Que bom que você existiu e como foi maravilhoso o bem que plantou ao longo do seu caminho.
            Zé, já imagino a grande festa com que foi recebido ai no céu, coberto de estrelas, flores e sorrisos, creio eu, é o que você merece.
            José Paixão, garanto que Deus subscreve, sorrindo tudo isso que acabei de escrever de você.
            Adeus meu amigo, peça à Deus por nós. Um dia nos encontraremos.
            Zé, a Vila e os vicentinos devem muito à você, todos te agradecem por tudo.

Juvenita Maria Oliveira Coelho
29/03/1997



Nenhum comentário:

Postar um comentário