Páginas

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

MASSACRE AOS APOSENTADOS.

Gente a situação está insustentável!
Vamos nos manifestar junto aos nossos deputados uma vez que já foi aprovado no Senado!!!
Muitos desejam a reeleição e nós vamos ficar parados? vamos nos mexer. Fazer valer nossos direitos. Isto é ASSALTO!!!!!!!!!
Aidée


VERDADEIRO MASSACRE...!!!
O massacre sofrido pelos Aposentados do RGPS-Setor Urbano.

    Um dia você também vai se aposentar. Atenção, portanto.
 
REAJUSTE SALÁRIO MÍNIMO   X   REAJUSTE APOSENTADORIA
(Para aposentados que ganham acima do salário mínimo)

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
  ANO
SALÁRIO MÍNIMO
REAJUSTE SALÁRIO MÍNIMO
REAJUSTE APOSENTADO
PERCENTUAL SURRUPIADO
1998
R$ 130,00
8,33%
4,81%
3,52%
1999
R$ 136,00
4,62%
4,61%
0,01%
2000
R$ 151,00
11,03%
5,81%
5,22%
2001
R$ 180,00
19,21%
7,66%
11,55%
2002
R$ 200,00
11,11%
9,02%
2,09%
Subtotal FHC
54,30%
31,91%
22,39%

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
2003
R$ 240,00
20,00%
17,71%
3,29%
2004
R$ 260,00
8,83%
6,62%
2,21%
2005
R$ 300,00
15,38%
6,35%
9,03%
2006
R$ 360,00
16,67%
5,01%
11,66%
2007
R$ 380,00
8,57%
3,30%
5,27%
2008
R$ 415,00
9,21%
5,00%
4,21%
2009
R$ 465,00
12,05%
5,92%
6,13%
2010
R$ 510,00
9,67%
7,72%
1,95%
Subtotal Lula
100,38%
57,63%
42,75%
                               DILMA ROUSSEFF
2011
R$ 545,00
6,86%
6,47%
0,39%
2012
R$ 622,00
14,13%
6,08%
8,05%
2013
R$ 678,00
9,00%
6,20%
2,80%
2014
R$ 724,00
6,78%
5,56%
1,22%
Subtotal Dilma
   36,77%
24,31%
12,46%
TOTAL GERAL
191,45%
113,85%
77,60%
DISSECANDO A PLANILHA

A tabela acima, uma planilha com valores consolidados, é uma soma simples dos percentuais surrupiados do aposentado desde o ano de 1998. Mostra a ardilosa armadilha do governo federal para nivelar todas as aposentadorias do RGPS-Setor Urbano, em apenas 01 salário mínimo, desconsiderando o valor das contribuições mensais feitas pelo trabalhador da iniciativa privada, no seu período contribuitivo de 35 anos ou mais
É um verdadeiro Raio-X que denuncia e desmascara a desleal intenção do governo de reduzir gradativamente, sem despertar muito a atenção da sociedade, todos os benefícios pagos aos aposentados num simples e apático salário mínimo. Em 17 anos de utilização desta sórdida e mal intencionada planilha, foi aplicado dois percentuais diferentes na correção das aposentadorias. O  governo corrigiu o salário mínimo em 191,45%,  onde estão inclusos também dois terços de aposentados, enquanto dava para os aposentados que se aposentaram com mais de 01 salário mínimo, um índice muito inferior, de apenas 113,85%, acarretando uma degradação de 77,60% nos proventos destes prejudicados aposentados, que representam  um terço do total de segurados do RGPS.  É necessário portanto, que seja votado imediatamente, pela Câmara dos Deputados, o nosso PL – 01/07, para sanar esta vergonhosa indecência aplicada contra os aposentados. O referido projeto está obstruído nos fundos das gavetas da Câmara, já tendo sido aprovado pelo Senado.  Por que é usado dois percentuais diferentes na atualização das aposentadorias? Exigimos explicações sérias!

ACONTECEU COM ELE.

ACONTECEU COM ELE, Jesus - Emmanuel / Chico Xavier

Aquele que realmente conhecia a si mesmo, passando entre os homens, nunca perdeu de vista o esquecimento incondicional, diante da injúria e da violência.

Repelido – desculpava.

Ironizado – compreendia.

Desprezado – auxiliava sempre.

Aprisionado sem – não recorreu à justiça.

Espancado – abençoava os próprios verdugos.

Escarnecido – orava em silencio pedindo ao Céu a paz dos perseguidores.

Condenado à morte sem culpa – esqueceu a suprema afronta.

E içado à cruz entre salteadores – estendeu o perdão puro e simples, rogando ao Pai Celeste amparasse aos que se Lhe erigiam no monte da crucificação em frios carrascos.

Tudo isso aconteceu com Ele, o Cristo de Deus e Governador Espiritual do Mundo, coroado de espinhos.

Entretanto, por Sua serenidade, ensinou aos aprendizes do Seu Evangelho de Redenção, a viverem no mundo com a bênção do amor, a fim de que todos nós, aprendamos, por fim, a ressurgir da morte, não possuídos pela estreiteza de existência nos planos inferiores da carne, mas, sim, possuindo, além túmulo, a alegria triunfante da vida vitoriosa.

(Emmanuel / Do Livro: Caminho e Vida)

SEMPRE HÁ TEMPO PARA AJUDAR O PRÓXIMO.

SEMPRE HÁ TEMPO PARA AJUDAR NOSSO PRÓXIMO

Nosso primeiro impulso, em qualquer situação difícil, é o de reclamar e achar um culpado para nossas dificuldades. Jamais admitimos, porém, ser, nós mesmos, os principais responsáveis por tais sofrimentos.

É mais fácil reclamar do que procurar meios que possam solucionar ou, ao menos, aliviar os problemas que nos afligem. Não percebemos que as nossas reclamações apenas obscurecem nosso caminho em busca de soluções; elas agravam nossas dificuldades, afastam-nos de Deus e deixam-nos desanimados e sem forças para lutar por uma vida melhor.

Ainda devemos considerar que os problemas são úteis à nossa evolução. É através de nosso comportamento perante esses momentos de dificuldade que veremos se aprendemos ou não os ensinamentos de Jesus. Enquanto estamos "à luz do dia", é fácil falar de paciência, perdão, compreensão... Mas, "ao cair da noite", é que provamos se nossas palavras são verdadeiras ou não.

Feliz daquele que é capaz de conhecer a escuridão da noite sem precisar vivenciá-la. A dor é necessária, pois, na maioria das vezes é através dela que descobrimos Jesus. Entretanto, podemos aprender, também, através do amor; um caminho muito mais suave, mas, infelizmente, muito menos utilizado por nós.

Quantas chances temos de auxiliar nossos irmãos que se encontram em dificuldades, na escuridão. Mas será que aproveitamos essas oportunidades? Será necessário que enfrentemos essas situações desesperadoras para que possamos entender o sofrimento alheio? É claro que não. Mas são raras as vezes em que compreendemos as dificuldades de nossos semelhantes. Estamos sempre criando empecilhos, procurando justificativas que possam livrar-nos das responsabilidades de ajuda ao próximo. Se somos requisitados para alguma tarefa, alegamos não ter tempo disponível, dizendo termos assuntos urgentes a resolver.

Esquecemos, porém, que nosso próximo é quem mais carece de nosso tempo e que não há urgência maior do que suprir suas necessidades. Não encontramos tempo para participar de atividades de ajuda ao próximo, mas ficamos horas em frente a uma televisão; recusamos as ofertas de trabalho no campo da caridade, mas não deixamos de comparecer às festas a que somos convidados.

Precisamos de tempo para viver nossas vidas, não há dúvida, mas analisemos, a todo instante, se estamos utilizando nosso tempo da melhor forma. Se tivermos essa atitude, mesmo que um dia tenhamos de passar pelos mesmos problemas que nossos irmãos em dificuldade, saberemos como agir e, ao invés de acusarmos as "trevas" pela noite que surge, agradeceremos a Deus por já termos aprendido a nos guiar na escuridão.

Alexandre Ferreira

31 DE DEZEMBRO DE 2014.

A cidade de PRATÁPOLIS comemora hoje, os seus 71 anos de emancipação politica.



segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

30 DE DEZEMBRO DE 2014.

A cidade de CANA VERDE comemora hoje o seus 52 anos de emancipação política.
O mineiro de Passos, o ator SELTON MELO comemora hoje os seus 42 anos de nascimento.

LEI DO RETORNO.


LEI DO RETORNO

Embora muitos de nós não entendamos o funcionamento das Leis de Deus, elas se manifestam a cada instante da vida, como mensageiras da Justiça e do Amor Divinos.
Paulo e sua esposa estavam atravessando uma avenida de grande movimento na cidade de São Paulo, quando perceberam, no outro lado da rua, dois rapazes que também os olhavam.
O marido pressentiu que seriam assaltados e disse à esposa para cuidar melhor da bolsa que levava à tiracolo.Como não tinham mais como desviar o caminho, foram em frente, com os corações sobressaltados.
Quando se aproximaram mais, um dos rapazes se adiantou e, acenando, gritou: Olá, Dr. Paulo, como vai o senhor?
Paulo, sem saber ao certo quem era, cumprimentou-o, trocou algumas palavras e foi em frente, aliviado por não ter ocorrido o assalto que ele pressentira.
Passadas duas semanas, Paulo foi para a cidade do interior, onde residira por muitos anos, a fim de rever familiares e amigos.
Na oportunidade, aproveitou para visitar uma família que dele recebia auxílio continuado, há anos.
A mãe da família disse-lhe, para sua surpresa: O senhor sabia que quase foi assaltado, recentemente, em São Paulo?
E ele respondeu: Mas como a senhora sabe disso?
E ela continuou: Na verdade, soube pelo meu filho, o mais velho, que o senhor conheceu ainda rapazinho, mas que há anos vive sozinho por aí, por opção. Ele enveredou pelos descaminhos da vida. Esteve aqui dia desses e comentou que encontrou o senhor numa rua.
Disse que estava com um amigo e juntos preparavam-se para assaltar alguém, quando o reconheceu, bem como sua esposa.
Lembrou-se de todas as vezes que o senhor e Dona Estela vêm aqui em casa e o quanto já nos ajudaram nesses anos todos.
Rapidamente ele se antecipou ao amigo, gritando o seu nome e vindo em sua direção, para criar obstáculo ao outro comparsa e demonstrar que o senhor não podia ser assaltado, pois era conhecido.
Graças a Deus ele não cometeu nenhum desatino com o senhor.
Graças a Deus, respondeu Paulo. E ficou a pensar nas coincidências da vida. Nesse caso uma coincidência feliz.
Essa história demonstra que quem semeia o bem há de colher o bem, diante da Lei de Amor e Justiça, que é Lei de Deus.
Causa e efeito: Paulo causou o bem a alguém e o efeito foi se beneficiar do resultado desse bem distribuído em nome do auxílio ao próximo.
Pensando em Lei de causa e efeito, ou também conhecida como Lei de retorno, podemos procurar entender algumas questões da vida.
Ontem, colocamos o orgulho e a vaidade no peito de um irmão que nos seguia os exemplos menos felizes. Hoje, talvez o tenhamos de volta, na feição de esposo despótico ou de filho problema, para sorvermos juntos o cálice da redenção.
Ontem, esquecemos compromissos veneráveis, arrastando alguém ao suicídio. Hoje, possivelmente reencontramos esse mesmo alguém na pessoa de um filhinho, portador de moléstia irreversível, atendendo-lhe, à custa de lágrimas, o trabalho de reajuste.
Ontem, abandonamos a companheira inexperiente, à míngua de todo auxílio, situando-a nas garras da delinquência. Hoje, moramos no espinheiro, em forma de lar, carregando fardos de angústia, a fim de aprender a plantar carinho e fidelidade.
Assim, cada elo de simpatia ou cada sombra de desafeto que encontramos na família ou na atividade profissional, podem ser forças do passado a nos pedir mais amplas afirmações de trabalho e dedicação ao bem.
Tenhamos sempre em mente que todos os delitos que cometemos não desaparecerão no silêncio do túmulo, porque a vida prossegue, além da morte, desdobrando causas e consequências.
Assim sendo, diante de toda dificuldade e de toda prova, façamos o melhor ao nosso alcance.
Ajudemos aos que partilham conosco as experiências, e oremos pelos que nos perseguem, desculpando todos aqueles que nos injuriam.
A humildade é a chave de nossa libertação. Dessa forma, sejam quais forem os obstáculos, lutemos por superá-los com dignidade e honradez.
E não nos esqueçamos de que a conquista da nossa felicidade começa nos alicerces invisíveis da luta dentro do próprio lar.

Redação do Momento Espírita, com base em fato e em mensagem do livro Leis de Amor, pelo Espírito Emmanuel, psicografia de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, ed. Cec.
Em 31.05.2011

domingo, 28 de dezembro de 2014

29 DE DEZEMBRO DE 2014.

Há 111 anos nascia o grande artista plástico CÂNDIDO TORQUATO PORTINARI.

REFLEXÃO.

REFLEXÃO

NA TRAVESSIA DAS PROVAS.

NA TRAVESSIA DAS PROVAS


Conserva as diretrizes do bem.
E segue com Deus.
Age.
Deus te inspira.
Cala-te.
Deus falará por ti no idioma das circunstâncias.
Não temas.
Deus está velando.
Trabalha e auxilia aos outros.
Deus trabalha por ti. 

Pelo Espírito Emmanuel
Do livro: "Pronto Socorro"
Médium: Francisco Cândido Xavier
Fonte: site "Mensagens Espíritas"

sábado, 27 de dezembro de 2014

27 DE DEZEMBRO DE 2014.

Comemorando hoje os seus 66 anos de fundação, a cidade de COQUEIRAL.

Também hoje comemora os seus 66 anos de fundação a cidade de LUMINÁRIAS.

O QUE É SER ESPÍRITA?

O QUE É SER ESPÍRITA?

Se consultarmos o dicionário ele nos indicará tratar-se de pessoa vinculada ao Espiritismo. Se perguntarmos a quem não é espírita, uns ironizam (dizendo por exemplo que os espíritas "mexem" com os mortos), outros temem, outros permanecem indiferentes. Se indagarmos aos próprios espíritas, uns dirão que é ir ao Centro, tomar passe, ouvir ou fazer palestras, ler livros. Outros dirão que é fazer caridade. As respostas serão várias, mas todas incompletas. O melhor então é buscarmos nos livros da própria Codificação, a partir de O Livro dos Espíritos.

Em O Livro dos Espíritos, na conclusão (item VII), o Codificador apresenta uma classificação dos adeptos:

Os que acreditam;
Os que acreditam e admiram a moral espírita; e
Os que crêem, admiram e praticam. Segundo Kardec, esses últimos são os verdadeiros espíritas, ou os espíritas cristãos.
No livro O Céu e o Inferno, que apresenta coletânea de inúmeras comunicações de espíritos nas mais diversas condições, há uma manifestação interessante de espírito que se encontra classificado como Espírito feliz, fruto de uma conduta digna quando na Terra. Trata-se do espírito identificado pelo nome de Jean Reynaud. Indagado se na vida física ele professava o Espiritismo, respondeu: "Há uma grande diferença entre professar e praticar. Muita gente professa uma Doutrina, mas não pratica. Pois bem, eu praticava e não professava."

Professar significa reconhecer publicamente, declarar-se adepto, dizer de si mesmo, fazer propaganda da idéia. Pois bem, aí está a chave da questão. A situação de felicidade do Espírito devia-se à vivência dos princípios do Espiritismo, mesmo sem conhecê-lo.

Breve consulta ao capítulo XVII de O Evangelho Segundo o Espiritismo no item O Homem de Bem e Os bons espíritas, faz compreender que as características coincidem com os preceitos morais que justificam a denominação de espíritas cristãos, conforme definição do próprio Codificador, pois aí surge a figura do espírita praticante.

A questão pode ser fechada com trecho do Espírito Simeão, constante do capítulo X - do mesmo livro citado no parágrafo anterior -, item 14. No último parágrafo, diz o Espírito: "(...) Se vós vos dizeis espíritas, sede-o pois; olvidai o mal que se vos pôde fazer e não penseis senão uma coisa: o bem que podeis realizar. (...)".

Ora, o trecho transcrito bem indica o programa de vivência espírita. Para colocá-lo em prática, há que se esforçar para vencer as más tendências e ainda ocupar-se de fazer o bem. Eis o que é verdadeiramente ser espírita: a adoção dos preceitos morais como diretrizes da própria conduta ou o esforço para a eles se adaptar. O ser espírita é mais uma questão de foro íntimo, que de aparências externas.

Orson Peter Carrara
Portal do Espírito
A sua referência sobre Doutrina Espírita na Internet