Páginas

quarta-feira, 30 de abril de 2014

01 DE MAIO DE 2014.



Há 185 anos nascia JOSÉ MARTINIANO DE ALENCAR.

Há 134 anos nascia o grande educador EURÍPEDES BARSANULFO.

Há 20 anos o Brasil perdia um de seus maiores ídolos AYRTON SENNA DA SILVA.

A LÓGICA DA VIDA.




Em algum momento de nossas existências, todos nós já nos deparamos com uma série de questões de cunho existencial, tais como: quem sou eu? De onde vim? Para onde vou? Qual o sentido da vida? 

Os mesmos questionamentos vêm sendo repetidos ao longo dos séculos por todos os povos que já habitaram a Terra. 

Tal capacidade de nos ocuparmos com essas questões de ordem metafísica é, talvez, um dos grandes elementos que nos distinguem dos demais animais. 

Muitos de nós, não raro excessivamente envolvidos por questões cotidianas, de cunho eminentemente material, acabamos por não nos aperceber da importância de tentar compreender as razões de nossa existência, e acabamos por nos deparar com tais questionamentos apenas em momentos de crise, como, por exemplo, quando da perda de um ente querido. 

A Doutrina dos Espíritos, através da revelação das Leis universais que regem o Cosmo, assim como da interpretação e contextualização da mensagem de Jesus Cristo, tem por objetivo justamente demonstrar o quão simples, belos e lógicos são os mecanismos da existência. 

Ora, partindo do pressuposto de que não há efeito sem causa, e tendo em vista que cada um de nós é animado por forças que não podem ser consideradas materiais, é forçoso concluir pela existência daquilo que convencionamos chamar de alma ou espírito. 

Sabemos também que todos os espíritos foram criados por um princípio inteligente (Deus), em um mesmo grau de ignorância e inocência, e com os mesmos instrumentos de aperfeiçoamento, todos tendentes à perfectibilidade. 

Nesse sentido, a encarnação terrena pode ser vista como um necessário estágio pelo qual o espírito deve passar para depurar-se, corrigindo gradativamente suas imperfeições. A cada encarnação, o espírito tem novas oportunidades de caminhar mais alguns passos no sentido de seu aperfeiçoamento intelectual e moral, devendo suportar com coragem, paciência e determinação todas as limitações impostas pela matéria. 

O número de encarnações necessárias para que um dado espírito aproxime-se ao máximo da perfeição será diretamente proporcional ao bom uso que tenha feito de cada uma delas. 

Tendo isso em mente, torna-se muito mais fácil compreendermos uma série de questões, tais como as desigualdades sociais e as múltiplas oportunidades experimentadas por cada um de nós durante nossa trajetória de vida. 

Considerando-se que cada um de nós encontra-se em um diverso grau de evolução e tem distintos pontos a serem aprimorados, é perfeitamente lógico que tenhamos que passar por diferentes situações durante uma dada encarnação. 

Evidente, pois, que o grande objetivo que devemos perseguir durante nossa encarnação Terrena é o aperfeiçoamento por meio do trabalho, do estudo e do cumprimento dos deveres inerentes ao espírito, e não o simples deleite de gozos e venturas. 

Sabemos que a vida na terra é permeada por inúmeros percalços e que estamos expostos quase que diariamente a uma série de difíceis provações. Sabemos também que a própria vida em sociedade traz consigo diversas situações conflituosas, sendo, por vezes, bastante difícil conviver com esse materialismo exacerbado que permeia todas as relações sociais. 

O que se percebe quase que diariamente é uma lamentável substituição do SER pelo TER. Muitos de nós buscamos incessantemente auferir bens materiais, não importa a que custo, apenas para que possamos gozar de mais prazeres materiais. Esses sentimentos de cobiça, inveja e avareza por certo não trazem qualquer benefício em nossa trajetória espiritual. Pelo contrário! 

Contudo, devemos ter em mente que o fato de termos consciência da importância que deve ser dada às questões de ordem espiritual, não quer dizer que devamos nos afastar do convívio em sociedade e renunciar a todos os bens materiais, como o fez, por exemplo, Diógenes de Sínope na Grécia antiga. Não devemos também passar a nos dedicar exclusivamente à preces e exortações mentais – como fazem os chamados ascetas –  deixando de lado o convívio diário com os nossos semelhantes. 

A mensagem trazida pela Doutrina dos Espíritos não deve fazer com que nenhum de nós passe a viver uma vida mística, afastando-se de suas responsabilidades terrenas. Na verdade, cada um de nós deve saber viver como os homens de nosso tempo buscando sempre desempenhar nosso papel social da melhor forma. 

Não há, portanto, mal nenhum em se perseguir certos bens materiais ou determinadas posições sociais. 

Tudo isso é perfeitamente possível desde que se tenha em mente sempre um objetivo maior, de crescimento moral e voltado à caridade e ao bem do próximo. 

Seria, aliás, um enorme contra-senso querer crer que Deus nos permitiu encarnar em um dado meio social para que nos afastássemos dele e passássemos a viver reclusos. 

Aquele que esquiva-se das provas que lhe foram postas, está desperdiçando uma enorme oportunidade de aprender e evoluir, o que por certo servirá apenas para retardar sua trajetória evolutiva. 
 
Artigo escrito por  Rodrigo Fontana França
França é advogado, coordenador de grupos de estudos espírita em Curitiba e colunista da Revista SER Espírita.

AS CRIANÇAS E A EDUCAÇÃO DE VALORES.

As crianças e a educação de valores - Espiritualidade para Pais e Filhos




Percebemos que nossa sociedade, de modo geral, está passando por um
momento de crise e confusão na área dos relacionamentos humanos.
É claro que este tipo de crise existe há milhares de anos, porém, hoje, contamos
com a globalização sócio-cultural e mecanismos de comunicação que agravam e
espalham determinados conceitos e valores humanos deturpados com força e
rapidez nunca antes alcançados em nossa coletividade planetária. 

Os programas de TV – há raras exceções – não instruem e nem educam.
Refletem a baixa sintonia espiritual que a maioria de nós ainda vive. 

Muitos pais, preocupados com a educação dos filhos, não sabem o que fazer
diante do universo chamado Internet; outros, ficam perdidos quando surge uma
gravidez na adolescência; existem aqueles que vivem em constante ansiedade e
preocupação quando seus filhos saem às ruas, ameaçados pela violência de uma
sociedade desigual; muitos procuram psicólogos ou apelam para a punição ao
menor sinal de que o adolescente é usuário de drogas... enfim, o desafio em
educar uma criança, hoje, se torna mesmo desanimador para muitos casais. 

O que fazer? Precisamos entender que educar não é apenas instruir.
Instruir é a função principal da escola.
A maioria delas, infelizmente, procura apenas preparar o aluno para ingressar
em um universo competitivo, exigente, mas, muito além disso, a escola deve
colaborar com a educação, percebendo e trabalhando na criança seus potenciais
ocultos, tratando cada uma delas como um ser humano diferente, em vez de
tentar criar um grupo homogêneo, aniquilando os talentos individuais. 

Educar é o papel principal dos pais; desenvolver o caráter e inspirar valores
éticos, preparando a criança e o adolescente para viverem de forma solidária,
respeitando seus semelhantes; mostrar à criança que só é possível viver em
harmonia quando todos os seres humanos forem tratados com o mesmo
respeito.
Isso tudo é mostrar a real importância do “Amai-vos uns aos outros”. 

É muito importante o afeto e o diálogo com o recém-nascido.
Mas este carinho e diálogo deve ser aprofundado na fase infantil, onde o espírito
reencarnante está muito mais aberto a uma nova educação de valores, e é
justamente no namoro, na adolescência, onde ele começará a expressar os
valores assimilados na infância.
Um adolescente que conhece o valor do respeito saberá refletir isso no namoro e,
consequentemente, terá mais maturidade para construir uma família.
E é construindo uma família com sólidos alicerces morais que poderemos
possibilitar a cura espiritual, não apenas a nossa, mas de toda humanidade. 

A família é a base da educação.
Não vamos deixar que a sociedade imponha seus valores sobre nossos filhos.
Mostre para a criança as coisas boas da vida, seja na arte, na ciência... na
espiritualidade. 

Nossos filhos não são nossos.
São espíritos que a vida nos confiou para que possamos amadurecer juntos! 

Artigo escrito por Victor Rebelo

Fonte: Revista Cristã do Espiritismo

O PLANO ELEITORAL.

[*] Alysson Leandro Mascaro
Jurista e filósofo do direito brasileiro, nasceu na cidade de Catanduva (SP), em 1976. É doutor e livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP, professor da tradicional Faculdade de Direito da USP e da Pós-Graduação em Direito do Mackenzie, além de fundador e professor emérito de muitas instituições de ensino superior. Publicou, dentre outros livros,Filosofia do direito e Introdução ao estudo do direito, pela editora Atlas, e Utopia e direito: Ernst Bloch e a ontologia jurídica da utopia, pela editora Quartier Latin e o mais recente Estado e forma política, pela Boitempo. É o prefaciador da edição brasileira de Em defesa das causas perdidas, de Slavoj Žižek, e da nova edição de Crítica da filosofia do direito de Hegel, de Karl Marx, ambos lançados pela Boitempo.

IV. O plano eleitoral
O ano de 2014 é mais um no qual a batalha política será jogada num campo reativo. No plano nacional, a política confinou-se a ser refém tanto das pautas dos meios de comunicação de massa conservadores quanto, em especial, de grandes estratégias de financiamento econômico privado. Quase sempre as eleições exigem posterior satisfação ou pagamento de financiadores, atrelando todo jogo político aos interesses do capital. A democracia, em sociedades capitalistas, opera como uma máquina de metrificação de opiniões já consolidadas, entregando justamente o que se espera, de modo reativo, sem maiores convencimentos ou aberturas de consciência política. Se a sociedade é preconceituosa, entrega-se então justamente o preconceito. Se o povo é desconhecedor das reais estruturas da política e da economia, opera-se exatamente nesse nível, fazendo marketing a partir dos estágios dados da ignorância. Trata-se de um nível baixo e rasteiro no qual a vida política se resume a fazer pedalar uma bicicleta já em movimento a fim de que não caia, mas sem jamais perguntar para onde se está indo ou se se pode ir com outro meio de transporte.
Tal lógica perpassa desde as grandes eleições majoritárias nacionais até as municipais. Em todo o mundo, e o Brasil e os EUA sendo casos exemplares mas não únicos, o capitalismo atrela a consulta individual para escolha de ocupantes de cargos públicos – isso a que chama de democracia e eleição – a um rígido controle ideológico e a uma lógica que faz com que só se ganhe se financiado pelos capitalistas, devendo então a posterior política ser jogada e devolvida em favor destes. As eleições são a administração da chancela, pelo povo, do domínio do capital.
TAGs: Mercado, Dinheiro, Estado, Ordem, Direito, Democracia, Liberdade, Imprensa, Religião, Homem: enfileira-se o um do capital.
* Com alterações, este artigo é, originalmente, entrevista concedida à imprensa paulista – O Regional, edição de 01°/01/2014

CÂMARA INFORMA. 30.04.2014

  •  
    30 ABR 2014 NOTÍCIAS
  • ABR 30, 2014 NOTÍCIAS

    Indicação propõe aquisição de um caminhão-pipa para o Município

    Aprovada por unanimidade na Câmara Municipal, na noite dessa terça-feira (29 de abril) a Indicação nº 52/2014, de autoria do Vereador João Paulo Baena Alves. A Indicação sugere ao Chefe do Poder Executivo Municipal “adquirir um caminhão-pipa para atendimento em situações de emergência de incêndios nas zonas rural e urbana”. + Leia Mais
  • ABR 30, 2014 NOTÍCIAS

    Indicação defende campanhas educativas de saúde, de casa em casa, na zona rural

    Na noite dessa terça-feira (29 de abril), também aprovada por unanimidade na Câmara, a Indicação nº 94/2014, de autoria da Vereadora Valéria Goulart da Costa. A Indicação tem como objetivo sugerir à Prefeitura que realize “junto ao Departamento Municipal de Saúde, campanhas educativas na zona rural, em que a equipe de saúde passará de casa em casa abordando as campanhas em evidência e realizando exames de diabetes e hipertensão arterial”. + Leia Mais
  • ABR 30, 2014 NOTÍCIAS

    Proposição sugere estudo ao Chefe do Executivo Municipal

    O Prefeito Municipal deve receber nos próximos dias ofício da Câmara com as proposições aprovadas na sessão dessa terça-feira (29/04), entre elas, a Indicação nº 100/2014, de autoria do Vereador João Paulo Baena Alves, que sugere que a Prefeitura possa “estudar a possibilidade de agregar os Departamentos de Educação, Cultura, Esportes, Turismo e Lazer, a fim de que os ônibus do Departamento da Educação, hoje exclusivos, possam ser utilizados pelos demais departamentos em todos os eventos educacionais, esportivos, culturais.” + Leia Mais
  • ABR 30, 2014 NOTÍCIAS

    Indicação pede fornecimento de uniforme e equipamentos necessários aos servidores da Coleta de Lixo

    Também aprovada por unanimidade na Câmara, na noite de ontem (29 de abril), a Indicação nº 101/2014, de autoria do Vereador Leandro Prock Valério, que sugere ao Chefe do Executivo Municipal, o “fornecimento de uniforme completo (roupas com faixas reflexivas, luvas, botas e demais equipamentos necessários) para os servidores responsáveis pela coleta do lixo”. + Leia Mais
  • ABR 30, 2014 NOTÍCIAS

    Aprovada por unanimidade na Câmara a Moção de Aplauso nº 07/2014

    Aprovada por unanimidade, em sessão dessa semana, a Moção de Aplauso nº 07/2014, de autoria do Vereador Antônio Leopoldino Dias, destinada aos Corais “Campanhense” e “Catedral” e à “Corporação Musical Maestro Walter Sales”, pelas participações durante a Semana Santa 2014. Confira o texto do documento: + Leia Mais

VAMOS FAZER O PAPEL DE OTÁRIOS NOVAMENTE?

 ESTE É O FIO DA MEADA - TEMOS QUE TOMAR MEDIDAS URGENTES - NÃO HA MAIS TEMPO A PERDER - que provas querem mais ???


SEM COMENTÁRIOS... 
 

É ASSIM QUE O " P T " GANHA      QUALQUER ELEIÇÃO !!!!!!!!!!!
                   
              e nós !!!! vamos deixar ???

Este  é   " o  fio  da  meada ”

Encontrado no fundo do baú.
 Lula conhece o                                                             Hacker Richard                                                            Stallman                                                            (especialista                                                            em Software                                                            Livre e na                                                              foto aparece                                                            no centro, ao                                                              lado de Lula).                                                             Em 2008 o TSE                                                            trocou o                           
                                   software das                                                            urnas, que era                                                             Windows, por                                                            software                                                            Livre,                                                            especialidades                                                            de Richard                                                            Stallmann e                                                            Marcelo Branco                                                              (também na                                                            foto e a                                                            esquerda). É                                                             importante que                                                            se
 diga que                                                              Marcelo Branco                                                             e Lula                                                            conhecem-se                                                            desde 1985. No                                                            ano eleitoral                                                            das eleições                                                            de 2010,                                                            Marcelo Branco                                                              convidou Kevin                                                            Mitnick,                                                            hacker muito                                                             conhecido nos                                                            Estados Unidos                  
                                            por invadir                                                            computadores                                                             das companhias                                                            telefônicas e                                                            que já tinha                                                            sido preso por                                                            isso, para vir                                                            a São Paulo                                                              (Campus Party                                                            2010). A                                                            aproximação de                                                            políticos com                                                             hackers                                      
                        competentes,                                                            em um país que                                                             utiliza urnas                                                            eletrônicas                                                            obsoletas (e                                                            recusadas em                                                            vários países                                                            é, no mínimo,                                                            um risco em                                                              potencial para                                                            as eleições                                                            (Dilma                                                             Rousseff                                                           
 ganhou as                                                              eleições em                                                             2010). Fonte:                                                            http://wikileaks-brasil.blogspot.com.br/2010/11/democracia-hackeada-como-o-pt-fraudou.html                                                            _Tadashiro
 O hacker Richard Stallman (especialista em Software Livre) na foto aparece no centro, ao lado de Lula).
Em 2008 o TSE trocou o software das urnas, que era Windows, por software Livre, especialidades de Richard Stallmann e Marcelo Branco (também na foto e a esquerda).
É importante que se diga que Marcelo Branco e Lula conhecem-se desde 1985.
No ano eleitoral das eleições de 2010, Marcelo Branco convidou Kevin Mitnick, hacker muito conhecido nos Estados Unidos por invadir computadores das companhias telefônicas e que já tinha sido preso por isso, para vir a São Paulo (Campus Party 2010).

A aproximação de políticos com hackers competentes, em um país que utiliza urnas eletrônicas obsoletas (e recusadas em vários países é, no mínimo, um risco em potencial para as eleições (Dilma Rousseff ganhou as eleições em 2010).

Fonte:
http://wikileaksbrasil.blogspot..com.br/2010/11/democracia-hackeada-como-o-pt-fraudou.html


                            

 Ninguém quer ver o obvio.
Já esta ficando tarde demais.
Não temos muito tempo para explodir esta bomba.
Depois das eleições vão falar que é golpe contra a constituição.
A hora é agora.
Vamos para as ruas pedir mudanças radicais nas próximas eleições.
REPASSEM – DIVULGUEM O MAXIMO POSSIVEL



30 DE ABRIL DE 2014.

 O jornalista e político CARLOS LACERDA completaria hoje 100 anos de nascimento.
Também o tranquilíssimo compositor baiano DORIVAL CAYME faria 100 anos.

ÉTICA E LEGALIDADE

[*] Alysson Leandro Mascaro
Jurista e filósofo do direito brasileiro, nasceu na cidade de Catanduva (SP), em 1976. É doutor e livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP, professor da tradicional Faculdade de Direito da USP e da Pós-Graduação em Direito do Mackenzie, além de fundador e professor emérito de muitas instituições de ensino superior. Publicou, dentre outros livros,Filosofia do direito e Introdução ao estudo do direito, pela editora Atlas, e Utopia e direito: Ernst Bloch e a ontologia jurídica da utopia, pela editora Quartier Latin e o mais recente Estado e forma política, pela Boitempo. É o prefaciador da edição brasileira de Em defesa das causas perdidas, de Slavoj Žižek, e da nova edição de Crítica da filosofia do direito de Hegel, de Karl Marx, ambos lançados pela Boitempo.

III. Ética e legalidade
A reprodução social capitalista investe em afirmações ideológicas de ética e legalidade como se fossem seus padrões universais ou reclames necessários ao seu bom funcionamento. Seu uso é contraditório em seus próprios termos, na medida em que padrões éticos como o do combate à corrupção ou da legalidade como valor moral são impossíveis ao capitalismo, dada a própria natureza da sociedade da mercadoria.
O assim chamado mensalão nem é o maior nem o único caso de corrupção no Brasil. A corrupção está atrelada à base da sociabilidade capitalista. Se o capital compra o trabalho e as vidas das pessoas, ele influencia sobremaneira os trâmites da política. A corrupção, assim, está perpassada por toda a sociedade. Desde os administradores das empresas privadas, passando pela população no geral em pequenas ilegalidades, até chegar ao nível eleitoral e estatal, o capital compra. Não é possível tentar criar espaços éticos parciais, incorruptíveis, em sociedades capitalistas, na medida em que o capital tem por natureza o poder de comprar. Uma ética da não-corrupção econômica só é possível em sociedades economicamente não-exploratórias. As campanhas moralistas de tipo udenista da atualidade, portanto, são cínicas – porque extremamente parciais e escandalosas apenas com os crimes que tenham sido descobertos ocasionalmente e, necessariamente, alheios – e, também, sabidamente alienantes, na medida em que encarnam em pessoas ou casos um problema que é de uma estrutura social, o capitalismo. Como não se mobiliza a sociedade para a superação do mundo do poder do capital, esse círculo de corrupção e posteriores expurgos parciais moralistas é vicioso, além de muito danoso, no final das contas, aos próprios explorados do mundo.
No que tange ao Brasil, afirma-se cada vez mais o controle ideológico da sociedade, tanto na cultura e na religião mas, em especial, nos aparelhos de comunicação de massa, que pautam de modo conservador a política e os valores. Nesse quadro, o reclame da ética é, de modo absoluto, um jogo de manipulações, sombras e luzes dos grandes maquinários da construção dos valores e referências da sociedade.

A mesma impossibilidade da ética afirmada e exigida se dá no que tange à submissão das ações econômicas e políticas a uma moralidade sustentada juridicamente. Sobre as revelações acerca da espionagem dos EUA contra o Brasil e vários países do mundo, eis mais uma prova de que o poder econômico não tem limites. Nem o direito internacional nem uma pretensa dignidade da inviolabilidade da vida privada podem a ele resistir. Não há, juridicamente ou moralmente, o que faça parar o poder do capital e de sua força militar, de tal sorte que os EUA nem pedem desculpa nem se predispõem a mudar seu comportamento. Isto porque quem pode manda. Os EUA, com seu complexo governamental industrial-militar, constituem, sustentam e alimentam a exploração capitalista sobre o mundo. Não há e é impossível que haja qualquer ética estrutural na política mundial do capital.

A ESSÊNCIA DO FUTURO HUMANO.

A Essência do Futuro Humano


Um Conhecimento Adequado da Lei do
Carma Levará a Humanidade à Felicidade Suprema
Carlos Cardoso Aveline
 

O tempo eterno protege o futuro e garante a sua segurança

 

O equilíbrio que surge do conhecimento filosófico produz uma satisfação duradoura. Para obter esta conquista, devemos adotar uma visão de longo prazo em relação à vida, esforçar-nos para viver corretamente, e aprender com os nossos erros.
A Lei do Carma constitui a chave e o código que levam desde o sofrimento até a felicidade. O conhecimento da lei do universo liberta o buscador da verdade.
O pensador Robert Crosbie escreveu:
“Na realidade, a Teosofia não exagera de modo algum a importância do ‘lado árido’ da vida. Ela explica com lógica e bom senso as coisas que ocorrem; e uma vez que o ser humano entende em função de que meta a vida existe e qual é o seu verdadeiro significado, e percebe as suas grandes possibilidades, ele não pode mais concentrar-se no  ‘lado árido’, mas sente uma imensa confiança, uma grande esperança e alegria - e tem uma base verdadeira para este sentimento.”
Crosbie acrescentou:  
“O fato de que a Lei do Carma governa todas as coisas e cada circunstância é uma evidência de que a mais exata Justiça é a lei da vida. Quando o ser humano vê que não há um ‘Deus’ que o condenará ou punirá, e percebe que só receberá o que é justo e que seguramente receberá tudo o que pertence a ele porque o Universo é regido pela Lei, então ele não tem mais motivo para sentir-se ‘sem alegria’; mas se sente satisfeito, responsável e confiante.”[1]
O Dhammapada Ensina a Ser Feliz
O pessimismo constitui uma característica dos ingênuos. Esse sentimento é frequentemente infantil. Está ligado à falta de uma autoconfiança profunda, e pode ser curado através da busca da verdade. Mohini M. Chatterjee escreveu sobre o fato de que a Teosofia é um caminho para a felicidade.[2] O “Dhammapada” budista examina cuidadosamente o processo pelo qual o desapego leva à bem-aventurança. Em um estilo que inclui um grau de repetição mantrâmica, esta obra clássica afirma:
“Devemos viver, pois, livres do ódio e felizes entre os que odeiam. Entre os homens que odeiam, que nós vivamos livres do ódio. Devemos viver, pois, livres da doença da cobiça e felizes entre os que sofrem desta doença. Entre os homens que têm a doença da cobiça, que vivamos livres desta doença. Devemos viver, pois, livres da ansiedade e felizes entre os que estão consumidos pela preocupação. Entre os ansiosos, que nós vivamos livres da ansiedade. Devemos viver com felicidade, pois, nós que nada possuímos. Vivamos como os Seres Iluminados, alimentados pelo contentamento.” [3]
É um fato que a primeira nobre verdade do budismo é Dukkha, uma palavra frequentemente traduzida como Sofrimento. No entanto, as outras três nobres verdades do budismo ensinam sobre o caminho que vai do Sofrimento para o Nirvana, ou Felicidade.
Um pensamento lúcido e uma visão equilibrada da vida nos permitem compreender pouco a pouco o fato de que Sabedoria é Felicidade; e perceber, também, que toda satisfação verdadeira e durável deve emergir como resultado natural de uma vida correta.
Três Verdades Sobre o Futuro Humano
Os sábios ensinam que a humanidade está no rumo correto. O futuro não corre perigo. As crises e os renascimentos fazem parte da aprendizagem. O inverno e a primavera são necessários à natureza. Nada há de separado ou isolado no universo, e a ajuda mútua é a lei.  No final do século 19, Mabel Collins publicou alguns princípios fundamentais da filosofia esotérica em relação à evolução dos seres humanos.
Ela escreveu:
“Há três Verdades que são absolutas e não podem ser perdidas, mas podem permanecer em silêncio por falta de quem as expresse. A alma do homem é imortal, e o seu futuro é o futuro de algo cujo crescimento e esplendor não têm limites. O princípio que dá vida habita em nós e fora de nós. Ele é imortal e eternamente benéfico; não é ouvido, nem visto, nem sentido pelo olfato, mas é percebido pelo homem que deseja a percepção. Cada homem é o seu próprio absoluto legislador, produzindo para si glória ou trevas; é o decretador de sua vida, da sua recompensa, da sua punição. Estas verdades, que são grandes como a própria vida, são tão simples como a mais simples das mentes humanas.  Alimenta com elas os famintos.”[4]
A competição egoísta é a marca dos desinformados. Na verdade, a felicidade surge da combinação de fatores como boa vontade e discernimento, cooperação e responsabilidade própria, autonomia e confiança mútua.  
A chave para o futuro está no fato de que um conhecimento adequado da Lei do Carma leva a humanidade à felicidade suprema.
A vida é sempre simétrica. Ao ajudar, recebemos ajuda. Ao observar e compreender a dor, nos libertamos dela. Quando abrimos o nosso próprio caminho para a satisfação duradoura do auxílio mútuo, tornamos mais fácil a caminhada de todos os seres. Um Mestre escreveu:
“... Olhe para o futuro; cuide para que o contínuo cumprimento do dever, sob a orientação de uma Intuição bem desenvolvida, possa manter sempre o equilíbrio. Ah! Se seus olhos estivessem abertos, vocês poderiam ter tamanha visão das bênçãos potenciais para vocês mesmos e para a humanidade, que repousam no germe do esforço de agora, que teriam suas almas incendiadas pela alegria e pelo entusiasmo!” [5]

VOLTA LULA!

 
O ATOR MARCELO MADUREIRA PUBLICOU O QUE SEGUE SOBRE O LULA - NÃO DEIXEM DE LER E COMPARTILHAR!!
     "Muita gente" está pedindo: VOLTA LULA! (?)



VOLTA LULA! E traga de volta as DUAS REFINARIAS que VOCÊ DOOU para a BOLIVIA!
VOLTA LULA! E traga de volta os 1,2 BILHÕES DE DÓLARES que VOCÊ "EMPRESTOU" para HUGO CHAVEZ!

VOLTA LULA! E traga de volta os BILHÕES DE DÓLARES que VOCÊ MANDOU para CUBA, HAITI E OUTROS, QUE AQUI TAMBÉM TEM CRIANÇAS MORRENDO DE ANEMIA;

VOLTA LULA! E traga de volta os 10,6 BILHÕES DE REAIS que VOCÊ EMPRESTOU para o EIKE BATISTA (SEU TESTA DE FERRO) E QUE AGORA ESTÁ EM SITUAÇÃO PRÉ-FALIMENTAR!

VOLTA LULA! E traga de volta os 25 MILHÕES DE EUROS que VOCÊ LEVOU com a ROSE para PORTUGAL;

Volta Lula! E explica o MENSALÃO, que vc planejou e que tinha o "Quartel General" ao lado da sua sala...

Volta Lula! E explica o fenômeno "ROSE";

Volta Lula! E explica os 6.000 médicos cubanos;

Volta Lula! E explica a falência do SUS;

Volta Lula e explica onde foi parar a reabilitação da indústria naval brasileira;

Volta Lula e explica os 4,8 bilhões gastos na transposição do Rio São Francisco e que hoje está tudo abandonado...

Volta Lula e explica os 0,20 centavos mais caros do planeta;

Volta Lula e explica os 39 ministérios;

Volta Lula e explica a falência da Petrobras;

Volta Lula e explica os 20% de inadimplência do programa eleitoral "minha casa minha vida", que os brasileiros que trabalham terão que pagar. Observe também que a taxa de inadimplência de 16% gerou a crise imobiliária de 2007 dos Estados Unidos.

Volta Lula e explica o que aconteceu com o óleo de mamona que ia ser a independência energética do Brasil;

Volta Lula e explica o PRE-SAL;

Volta Lula e explica essa sua criação, o poste "DILMA" que você plantou em Brasilia...

Volta Lula e explica porque o ministro do supremo Roberto Barroso passou a semana de (16 a 21/9/13) tentando explicar o contrato milionário que o governo, por meio da Eletronorte, concedeu recentemente sem licitação, a seu escritório de advocacia do Rio de Janeiro.

Milhões de Brasileiros estão decepcionados: O LULA ESTÁ MUDO!

Todos sabem que se o Lula se explicar, O PT E OS ALIADOS SERÃO TRANCAFIADOS!

VOLTA LOGO E VÁ PRA CADEIA TAMBÉM !!!!!!

PEÇO MASSIVA DIVULGAÇÃO!

terça-feira, 29 de abril de 2014

29 DE ABRIL DE 2014

A baiana NANA CAYME comemora hoje 73 anos de idade.

VOCÊ TEM FILHOS PEQUENOS?

Você tem filho ou convive com criança desta idade  em casa? ( 24  horas)?
Possibilidades:
- Não dê esses equipamentos a ele e vai conhecer uma criaturinha que diuturnamente o culpa pelo completo abandono, descaso, rejeição,
humilhação por parte da  família e que estará a um passo do  suicidio.
-  Se já deu, tente tirar e vai conhecer o que é a fúria dos deuses personificada bem à  sua frente. Já viu a  fúria de um "tecnodependente"?
- Se quer perder tempo e a paciência, tente convencê-lo da troca saudável e divertida  ( para você) por brincadeiras  sem os eletrônicos. Você
tem  boa estrutura  interna, está bem preparado  para enfrentar gozações?  Ironias? risadinhas...? Se não, prepare-se antes.
Este é o dilema atual dos pais.  O que fazer, sem errar muito? 
1-Sugiro inicialmente,  fazer um bom curso em Práticas de Negociação,( vá até o nível avançado)  para impor limites e disciplinar esta epidemia virtual.
Não perca em hipótese alguma  a aula sobre "Acompanhamento pós - Acordo" para o êxito da operação.
2-Além disso, procure estar realmente presente no dia a dia desta criança, sempre muito bem disposto e ativo, a oferecer-lhe opções de brincadeiras
saudáveis com você ou com algum outro ser humano que esteja também disposto a isso e que  obviamente também estejam sem seus brinquedinhos
eletrônicos. (celulares, i Pad, i Pod, etc...) OBS.: Não negligencie o horário em que você imagina que a criança estará dormindo, pois a estatística mostra
que é a  hora em que  esses aparelhos  estão embaixo dos lençóis ( vide Fantástico de 27/04/14) Sugiro que para esses momentos você tenha à mão,
um baralho do Mico Preto ou um joguinho de varetas para a substituição noturna. Para os mais velhos talvez um Banco Imobiliario.
3- Treine sua paciência até que a onde  passe.
E se nada disso funcionar,   tente a última técnica que a maravilhosa Sara Cobb ( referência em mediação) sugere quando nada dá certo:
" Senhor, tende piedade".


Suely Costa

AUTOCURA INTERIOR

AUTOCURA INTERIOR - "Revista Cristã do Espiritismo"



Quando falamos em tratamento espiritual, temos que levar em conta não apenas
a cura do corpo físico, mas, sobretudo, a cura da alma. 

Os ensinamentos de certas doutrinas espiritualistas têm como objetivo
despertar a consciência humana para seus potenciais divinos. Os distúrbios
emocionais e psíquicos, conforme nos ensinam, causam desequilíbrios
energéticos que acabam desestruturando a harmonia celular, culminado, assim,
nas doenças comumente diagnosticadas pelos médicos... 

Portanto, devemos entender que a proposta maior de um método
psicoenergético, em nossa atual conjuntura, não é a de substituir o hospital. Isso
seria, até mesmo, contra a legislação brasileira. O objetivo maior é fornecer
subsídios para que a criatura humana encontre condições para efetuar o seu
amadurecimento e equilíbrio espiritual, o que trará, como consequência, o bem-
estar e a saúde física. 
  
De acordo com muitas doutrinas, existe uma força imensurável, que está além
do inconsciente coletivo da humanidade, uma força universal, que coordena e
impulsiona tudo o que é manifesto – espírito e energia, em seus diversos planos
– para a harmonia. É uma lei transcendental que existe e sempre existiu e todo
aquele que "foge" do seu campo sofre o "choque" de forças contrárias, que têm
como objetivo redirecioná-lo ao equilíbrio necessário para a manutenção da
harmonia do Todo. 

Tudo no universo é interdependente, nada está só. Nesta interdependência,
forças influenciam-se mutuamente, desde planetas e galáxias inteiras até as
menores partículas subatômicas. Nesta constante transformação, o caos (trevas)
é constantemente transformado pela ordem (luz). 

Matéria é energia em estado condensado; energia é matéria em estado radiante.
Percebemos, então, que toda energia/matéria no universo tem a mesma origem,
o mesmo princípio. 

Na maioria das vezes, a doença não é uma causa, é uma consequência
proveniente das energias desequilibradas que circulam por nossos organismos
(mental, astral e físico). O controle das energias é feito através dos pensamentos
e dos sentimentos, portanto, possuímos energias que nos causam doenças
porque, mental e emocionalmente, já estamos desequilibrados. 

Em Nos Domínios da Mediunidade, o espírito André Luiz explica que "assim
como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe intoxicam os
tecidos, também o organismo perispiritual absorve elementos que lhe degradam,
com reflexos sobre as células materiais". 

Os métodos para alcançar a saúde integral (corpo e espírito) são vários, mas as
causas e efeitos dela são o mesmo: paz, amor e harmonia! 

Artigo escrito por Victor Rebelo

Fonte: "Revista Cristã do Espiritismo"

CRISE E POLÍTICA

[*] Alysson Leandro Mascaro
Jurista e filósofo do direito brasileiro, nasceu na cidade de Catanduva (SP), em 1976. É doutor e livre-docente em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela USP, professor da tradicional Faculdade de Direito da USP e da Pós-Graduação em Direito do Mackenzie, além de fundador e professor emérito de muitas instituições de ensino superior. Publicou, dentre outros livros,Filosofia do direito e Introdução ao estudo do direito, pela editora Atlas, e Utopia e direito: Ernst Bloch e a ontologia jurídica da utopia, pela editora Quartier Latin e o mais recente Estado e forma política, pela Boitempo. É o prefaciador da edição brasileira de Em defesa das causas perdidas, de Slavoj Žižek, e da nova edição de Crítica da filosofia do direito de Hegel, de Karl Marx, ambos lançados pela Boitempo.


II – Crise e política
As manifestações populares são mais um termômetro a repetir que as condições da sociabilidade capitalista são exploratórias e insuportáveis. Os indignados não estão apenas no Brasil. Todas as sociedades capitalistas são deflagradas em conflitos. Revoltas de tipos próximos às havidas no Brasil explodem já há anos na Europa e nos EUA; no mundo árabe o mesmo se deu nos últimos tempos e, na América Latina, também de modo constante em muitos países. Assim sendo, é verdade que as manifestações possam ser pensadas pelo nível local, de problemas específicos, mas, principalmente, devem ser compreendidas por meio das questões gerais, das dramáticas condições de vida sob a sociabilidade capitalista.
As atuais crises do capitalismo não têm sido enfrentadas a partir de suas causas, mas apenas por meio de mudanças superficiais ou cosméticas, quando muito. No mesmo impasse situa-se a contestação à crise. Contra o desemprego, quase sempre não se pede o fim da exploração capitalista, mas sim novos empregos. O imaginário político dos explorados está enredado nos limites do capitalismo, sem forças para superá-lo. Por isso as manifestações são cada vez mais explosivas, massivas, contundentes, mas sem horizontes profundos, sem aglutinação teórica e prática que leve à superação do capitalismo. Por onde elas começam, que é o nível da política imediata, do aumento da passagem do transporte público ou das condições urbanas, em geral é por onde também acabam. É notável e louvável que o povo e as vanguardas dos movimentos de contestação estejam nas ruas. Triste é apenas observar que tem faltado um rasgo ideológico capaz de fazer com que os indivíduos e os movimentos sociais queiram e possam haurir forças de luta estrutural contra o capital.
No nível mundial, o capitalismo está numa espécie de “refluxo do refluxo”, isto é, num movimento agora de contenção da reação que se deu no pós-crise de 2008. Os tempos de intervencionismo começam a minguar em favor de discursos novamente neoliberais. A hegemonia das ideias conservadoras, que sofreu pequeno combate ao tempo de ápice da crise, volta à tona. O reacionarismo cultural campeia. Soma-se à política econômica de guerra norte-americana o seu poder de controle das informações, no que se avista como sendo um processo sem limites.
Quanto às manifestações, que têm o condão de acelerar tempos históricos, juntaram-se às importantes pautas progressistas, ao seu final, outras tantas reacionárias. No entanto, as respostas políticas dadas pelos variados governantes nos planos federal, estaduais e municipais ao tempo das manifestações e posteriormente a elas foram múltiplas e contraditórias, entre repressão e estabelecimento de políticas públicas para um desafogo imediato dos problemas. Mas é preciso lembrar que políticas de caráter progressista são aquelas que tendem a respeitar movimentos sociais e manifestantes, dando vazão a seus apelos, enquanto um cariz conservador e reacionário os nega e os reprime. É por essa métrica que devem ser julgadas as respostas imediatas aos movimentos presentes.

Contudo, mesmo as respostas progressistas – que eventualmente anelem encaminhamentos concretos às demandas dos movimentos e das manifestações –, têm dificuldade em avançar para além do desembaraçar imediato desses problemas sociais. Operando na salvação dos próprios parâmetros de sociabilidade do capital, até as políticas do presente de perspectiva progressista acabam por sustentar a exploração existente, prolongando, ao invés de cessar, a agonia do modo de produção capitalista, agonia esta que se vê, em especial, nos pobres do mundo. Não havendo remendos progressistas que revertam a crise do capital ou que estabilizem o capitalismo, a política transformadora só pode ser, então, aquela que aponta para a superação da sociedade da mercadoria.

O QUE SERÁ DESSA GERAÇÃO?

Finalmente a chuva parou e os meninos foram brincar la fora.
O que será dessa geração escrava da tecnologia desde o berço? Crianças que pulam a etapa da vida com a maior riqueza de significado? Que nada experienciam, não observam, não apreciam as belezas da vida?
O que diferencia um ser humano de uma máquina? A sensibilidade! Não será necessário criar robôs estamos nós mesmos nos transformando neles!
Mirian Fabiane Strate
Bióloga e educadora ambiental



BASTA ESTAR NO TIME, PARA TER COMPETÊNCIA.

PARECE QUE VAI HAVER UM NEGOCIAÇÃO TIPO PASSADENA!
SALVE O GOVERNO DO PT – Sendo da ‘patota’ é cotado para fazer qualquer coisa.
25/03/2014
às 16:00 \ Política & Cia

Ele participou, em Moscou, da avaliação de um sistema de defesa antiaérea que o Brasil pretende comprar da Rússia. Ele não passa de um subtenente (e músico) do Exército — não é nem oficial superior. Mas é marido da ministra Ideli…

Marido da ministra Ideli Salvatti, o subtenente músico do Exército Jeferson da Silva Figueiredo participou em janeiro de sua primeira missão internacional (Foto: Cristina Granato)
Marido da ministra Ideli Salvatti, Jeferson da Silva Figueiredo ele é subtenente músico do Exército. Mas foi para Moscou para avaliar nada menos que um sistema de defesa antiaérea que o Brasil pretende comprar da Rússia (Foto: Cristina Granato)
Nota de Otávio Cabral, publicada em edição impressa de VEJA
DE MOSCOU, COM AMOR
Marido da ministra Ideli Salvatti, o subtenente músico do Exército Jeferson da Silva Figueiredo participou em janeiro de sua primeira missão internacional.
Passou duas semanas na Rússia como integrante de uma comissão técnica de compras. Mas o militar músico não desembarcou em Moscou para renovar os instrumentos do Exército.
Ele foi escalado pelo ministro Celso Amorim para avaliar o sistema de defesa antiaérea que o Brasil pretende comprar da Rússia.
O Pantsir-S1, a escolha de Amorim, custa quase o triplo dos modelos preferidos pelos militares brasileiros que, ao contrário do marido de Ideli, realmente entendem do assunto.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

PRECE DA CARIDADE.

PRECE DA CARIDADE - Chico Xavier



Amigo.
Auxilia-me para que eu te consiga auxiliar.
Não me relegues ao amanhã e nem me ignores a presença.
O Senhor enviou-me ao teu encontro, para que eu te sirva de apoio na senda da evolução.
Em teu caminho, no entanto, estou entregue à tua vontade.


Hoje sou convite, ideia, sugestão...
Amanhã, porém, se quiseres, receber-me-ás na contabilidade da vida, por passaporte em demanda aos reinos da luz.
Emprega-me com bondade para que os outros nos acolham com entendimento e simpatia.


Protege-me contra a omissão.
Conduze-me no rumo daqueles que contam conosco, sem exigir que nos procurem.
Ajuda-me a ouvir qualquer irmão em dificuldade com paciência e compreensão para que não falte a esperança em todos aqueles que nos requisitem a companhia.


Deixa que o perdão e a tolerância nos sigam de perto, a fim de que as nossas palavras não se percam no vazio.
Agradece a moeda ou a migalha de recursos que o Céu te envie às mãos para a nossa lavoura no bem, mas não olvides que a nossa tarefa será sempre constituída de parcelas do nosso amor.


De ti depende a felicidade de prosseguirmos adiante, com a Bênção de Deus.

EMMANUEL
(MENSAGEM RECEBIDA PELO MÉDIUM FRANCISCO CÂNDIDO XAVIER, NO LAR DA CARIDADE (EX-HOSPITAL DO PÊNFIGO), EM UBERABA, NA REUNIÃO PÚBLICA DA NOITE DE 14-04-1981).