Páginas

sexta-feira, 14 de junho de 2013

INFORMAÇÕES SOBRE A FLIC.

Feira do Livro de Campanha

 Logo oficial.
Aspecto da FLIC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Logo Oficial

Aspecto da FLIC
FLIC – Feira do Livro de Campanha/MG é um evento realizado anualmente na cidade de Campanha/MG, desde 2001, pela ONGSebo Cultural, que a cada edição procura homenagear personalidades, sobretudo do município, que de alguma forma registraram contribuições para a educação e cultura, de um modo geral.
A ONG Sebo Cultural é uma Associação Civil sem fins lucrativos que iniciou suas atividades em 17 de fevereiro de 2001 no município deCampanha. Reconhecida como de Utilidade Pública Municipal, Lei nº 2670, de 16 de julho de 2008 e de Utilidade Pública Estadual, Lei nº 19.309, de 22 de dezembro de 2010. A FLIC faz parte do Calendário do Circuito Nacional de Feiras de Livros, MinC/FBN/CBL e Integrante do Calendário de Feiras e eventos 2013, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais.

FLIC e seus homenageados desde 2001[editar]

  • 2001 – Não houve homenageado específico - 26 a 29 de julho
  • 2002 - Não houve homenageado específico - 25 a 28 de julho
  • 2003 - Milton Xavier de Carvalho – 5 a 8 de junho
  • 2004 - Gioconda Labecca – 3 a 6 de junho
  • 2005 - Maria Martins – 2 a 5 de junho
  • 2006 - Manoel Alves Valladão – 1 a 4 de junho
  • 2007 - Manoel Maria Paiva de Vilhena – 7 a 10 de junho
  • 2008 - Thalita de Oliveira Casadei e Antônio Casadei – 5 a 8 de junho
  • 2009 - Thomaz de Aquino Araújo e Euclides da Cunha – 4 a 7 de junho
  • 2010 - Vital Brazil Mineiro da Campanha e Vinicius de Moraes – 10 a 13 de junho
  • 2011 - Dom Inocêncio Engelke e Padre Victor – 12 a 15 de maio
  • 2012 - Alfredo de Vilhena Valladão e Emilien Lamothe (Irmão Paulo)- 31 de maio a 3 de junho
  • 2013 - Dom Othon Motta e Comendador Nilton Val Ribeiro - 16 a 18 de maio
  • 2014 - Será dedicada a Monsenhor José do Patrocínio Lefort e José Pedro Xavier da Veiga- 15 a 17 de maio
  • 2015 - Será dedicada a José Borges Neto
  • 2016 - Será dedicada a Zoroastro de Oliveira Filho
  • 2017 - Será dedicada a Gladstone Chaves de Melo
  • 2018 - Será dedicada a Edmundo Nogueira
  • 2019 - Será dedicada a Francisco Honório Ferreira Brandão
  • 2020 - Será dedicada a Paulino Araújo Ferreira Lopes

Autores presentes e títulos autografados na FLIC[editar]

  • 2001 - Júlio Sanderson Arantes - A morte é notícia – a cura é anônima.
  • 2002 - Andrielly Silva Coimbra - Anti-amor; Gioconda Labecca - Antologias Poéticas e Presença; João Gabriel - Amor total; Jefferson de Andrade - A falta que faz um gol; Maria Aparecida Laurindo - A colegial; Willes Silva - Cidadania, o direito de ser feliz.
  • 2003 - André Luiz Novaes - Crônicas e poemas; Carlos Henriques Moreira - Fragmentos de Deus; Gioconda Labecca - Quando renasce o amor; Hercílio Batista Pinto - Sol sobre as montanhas; Maria Aparecida Francisquini - Viver é espetacular; Maria Goreti Baldim Mariano - O despertar da criança cidadã; Max Klim - Você e seu signo.
  • 2004 - Gioconda Labecca – Sonetos.
  • 2005 - Ana Arruda Callado, Maria Martins – uma biografia.José Maria Cardoso, Totalidade Humana e Em busca da vida e Totalidade Humana – vidas especiais.
  • 2006 - José Reinaldo Ferreira - Família Arantes, de Aiuruoca a Campanha (Estudos Genealógicos Preliminares).
  • 2007 - André Claro - Absurdos, Delírios e Ilusões; Maria Luiza Falcão - Afonso - Um brasileiro das Minas Gerais; Claudia Delgado de Moraes - Breviário de c.;
Brincando com as palavras - contos e poemas produzidos pelos alunos da Escola João de Almeida Lisboa – Lambari; Lucas Nani - Campanha, minha velha urbe e outras crônicas; Dimas do Reis Ribeiro - Cemitérios sem Mistérios – A Arte tumular do sul de Minas 1890 à 1925; Anibal Albuquerque - Fazenda Paraíso (novela sul-mineira) e O ET de Varginha, sua verdadeira história; Telma de Fátima Soares do Carmo - Me dê a mão; Dalila Maria da Cunha e Mello Balekjian - Mulheres de sal, água e afins e Meta morfoses – (poemas); Luiza Aparecida Mendo - Operação pipoca; Paulo Rodarte - Resmungos e gracejos.
  • 2008 - Claudia Moraes – DeZcontos; José Brasileu - Memórias de um Folião de Reis. Mathusalécio Padilha - Poesias do meu tempo; José Reinaldo Ferreira - Coletânea de Poesias Concurso Gioconda Labecca.
  • 2009 - Patrícia Araújo - Folganças populares: festejos de entrudo e carnaval em Minas Gerais no século XIX; Juliano Nery - Diálogos possíveis; José Reinaldo Ferreira - Coletânea de Poesias Concurso Gioconda Labecca 2007-2008-2009.
  • 2010 - Henrique Napoleão - O Brilho dos Cisnes; José Reinaldo Ferreira - Coletânea de Poesias IV Concurso Gioconda Labecca.
  • 2012 - Luiz Fernando Valladão Nogueira - Recurso Especial, 2ª ed r Divórcio; Paternidade e Alimentos
  • 2013 - Elisa Vilhena Sant’Ana - História da Catedral de Santo Antônio da Campanha e Família Serrano Ribeiro - Homenagens Mil... In memorian (Nilton Val Ribeiro)

Notas e referências

Guimarães, A. Et al. Literatura, feira, mercado e mídia. In Gogó da Mídia. São Paulo, 2011. Disponível em http://gogodamidia.wordpress.com/
Ferreira, J. R. R. Feira do Livro de Campanha. In VivaLeitura. Campanha, 2006. Disponível em http://www.vivaleitura.com.br/calendario_detalhe.asp?id_projeto=1119
Câmara Municipal de Campanha-MG. ONG Sebo Cultural é aprovada no Concurso Pontos de Leitura. Campanha, 2009. Disponível emwww.camaracampanha.mg.gov.br/site/noticias/93-ong-sebo-cultural-e-aprovada-no-concurso-pontos-de-leitura.html
Calendário de Feiras e eventos 2013, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais. (página 52).http://www.desenvolvimento.mg.gov.br/images/Feiras/calendario-de-feiras-2013-versao-final.pdf

Um comentário:

  1. Ao tecer o comentário a seguir, não se trata de uma crítica destrutiva, mas de um comentário para chamar a atenção, para despertar discussão, reflexão e constatação do valor e da importância que Campanha tem não só para a nossa região do sul de Minas, mas muito além disso. Ouço constantemente que é lamentável o fato de Campanha, uma cidade considerada berço da cultura sul-mineira não tenha uma Feira do Livro à altura da cidade. Estivemos na Feira do Livro de Poços, a Flipoços, e se já achávamos a Feira do Livro de Campanha desorganizada e muito aquém, agora então nem se fala! É um absurdo Campanha não ter uma Feira do Livro mais bem preparada, montada, apresentável, pelo que está aí encima, são 13 anos, já houve tempo mais do que suficiente para aprimorar e fazer um evento decente, não? Recursos existem e livro, leitura, cultura são assuntos sérios, ou faz bem feito ou não faz! Está mais do que na hora de Campanha tomar uma atitude e fazer uma Feira do Livro decente! João Paulo Ferreira-Varginha

    ResponderExcluir