Páginas

quarta-feira, 26 de junho de 2013

ENQUANTO ISSO, AQUI FORA.

Enquanto isso, aqui fora
Uma carta aberta aos Jogadores da
Seleção Brasileira no Jogo Brasil x Uruguai
                                        Roberto Francisco de Souza
Belo Horizonte, 26 de Junho de 2013

Meu prezado jogador canarinho,
Qualquer um de vocês,
Trago-lhes um pedido,

Hoje, quando entrarem em campo contra o Uruguai, talvez possam nos ajudar em nossa luta por uma vida que valha a pena. É simples e há muitos meios de demonstrar sua solidariedade com o povo.
Quem sabe vocês não entram com a cabeça bem erguida e cantando “prá não dizer que eu não falei das flores”. Assim todo o mundo vai saber que vocês se importam e o Galvão Bueno, cansado de seu ufanismo inconsequente, será forçado a dizer “bem amigos, agora não tem mais jeito: o Brasil mudou!”.
Pensando bem, melhor não. A fifa pode ficar chateada e multar vocês e vamos aparecer para o mundo como um país desorganizado, que não sabe fazer uma copa. Vão dizer que os estádios europeus, com seus torcedores espantalhos, nunca terão visto cena igual e que somos terceiro mundo. Melhor não deixar que conheçam esta verdade.
Ou talvez entrem em campo com uma tarja preta no braço, simbolizando uma espécie de morte interior pelo que estão fazendo com o povo aqui fora, o povo sem ingresso para o jogo e para a vida?
É, ideia boba, concordo! Prá que você, que tem ingresso vip nesta festa, vai fazer isso, se todos os dias brasileiros se vestem inteiros de preto e vão chorar os seus mortos pela violência contra a qual o estado não faz nada, porque não têm soldados para vigiar as ruas, os mesmos soldados que são despejados aos montes em volta do Mineirão para você jogar tranquilo contra o Uruguai?
Ou talvez tirem a camisa antes do hino nacional, em sinal de protesto? Já pensou? Todos vocês com o peito desnudo feito o irreverente Balotelli da Itália, com a camisa embolada, juntinho ao peito, mostrando o amor que têm por nós?
Besteira! Dá cartão amarelo e, aqui fora, idosos tristes e cansados vão estar sem camisa por vocês, no meio da passeata e calados, puxando carros pesados e catando latas pra faturar uns trocados no final do dia? Outro dia eu estava lá e vi!
Tive outra ideia! Quem sabe vocês todos, com um minuto de jogo, simulam que passaram mal, um piripaque coletivo? A fifa não ia se importar, ia? É tranquilo! Vocês vão ser internados em um dos tantos leitos que ela mandou tirar da população e reservar para os turistas durante a Copa, este o verdadeiro legado da saúde no evento!
Ishh! Que ideia de merda, Roberto! A gente ia parecer fraco diante de nossos irmãos Uruguaios e ia parecer que os médicos brasileiros são incompetentes, não é? E, prá que mais essa se, aqui fora, tem tanta gente sofrendo de verdade nas filas de hospitais por falta de atendimento e os médicos brasileiros já são acusados de incompetentes sem nada disso. Sem nada disso e sem remédio, sem gaze, sem equipamento, sem salário em dia, sem motivação?
Vamos tentar outra estratégia... Hora do hino, todos se ajoelham juntos e erguem os braços para o céu numa oração pelo povo brasileiro? Boa essa, não?
Não??????  É... Vocês tem razão. O Blatter ia entender tudo errado e dizer para a imprensa internacional que o Brasil se curvou à sua vontade como um cristão na arena dos imperadores romanos, neste caso um imperador suíço...
E prá que isso, se o governo brasileiro já se ajoelhou diante dele e de sua organização terrorista, a fifa, a lhe fazer todas as absurdas vontades e a dizer ao mundo o que somos de verdade: um país que pede esmolas!
Por falar em esmolas, talvez, ainda nos vestiários, vocês pudessem twittar, todos ao mesmo tempo, uma frase de efeito, posso sugerir? Anotem aí:
Povo brasileiro, estamos com vocês, especialmente com os milhares e milhares que estão vindo em marcha para o Mineirão. Cada bomba que jogarem em vocês nos fará jogar menos e pior, porque temos vergonha de uma polícia que atira em meia dúzia de vândalos e acerta em duzentos mil cidadãos de verdade que ousam desejar ir até o seu estádio protestar!
Já sei, já sei... Passou de 140 caracteres. É muito para vocês.
Antes que eu desista, vou lhes dar mais duas ideias.
Vocês podiam perder, simplesmente perder, na marota! Um corpo mole aqui, um passe errado ali e eis que o Forlan, feito um Ghiggia da era moderna, faz um a zero e vocês ficam quietos, perdem a copa e depois dedicam o gol ao povo brasileiro? Ou seria melhor uma goleada histórica? Bater o recorde do Taiti e perder de onze?
Não, não é bom, verdade. Vocês podiam irritar o Felipão e uns tantos torcedores alienados do estádio e podiam ser até linchados. Vai que irritam a polícia? Eles são treinados prá bater em perdedores, vocês não veem como estão tendo dificuldades nestes últimos tempos, com vencedores nas ruas? A carreira de vocês podia até acabar e o sonho de ir para a Europa virar pó.
Mas nós não vamos para a Europa. Enquanto vocês estiverem jogando e alguns cronistas esportivos, em nome de suas carreiras de merda, fingirem que nada acontece, enquanto seus comandantes com altos salários se fartarem em eventos antes e depois do jogo, nós continuaremos na rua. Não hoje, não amanhã, mas por muito tempo mais.
Nas ruas e na internet! Vamos manter o bafo nos cangotes dos governantes. Afinal, já não precisamos de vocês para produzir lances maravilhosos. Vejam como estão os políticos, atordoados, aprovando às pressas o que renegaram por anos! Nós somos os verdadeiros heróis, não somos? Nós não precisamos sentir vergonha de não fazer nada por este país além de... gols.
Então, senhores, jogadores da seleção brasileira, quando entrarem em campo hoje e se alinharem para o hino, sugiro que relaxem. Pensem nos fatos mais tristes de suas vidas e concentrem-se nos seus sentidos. Lembrem-se de gostos ruins, cheiros ruins, sons e imagens que os entristeceram no passado. Respirem lentamente, de forma ritmada. Sintam como se estivessem com um nó na garganta e deixem o olhar vazio por um longo tempo.
Prá que tudo isso? São técnicas que copiei da internet e que vão te ajudar a chorar, se você não conseguir sozinho, lembrando daquilo que não fez, lembrando que só pensou no seu futuro e não no nosso.
Se não conseguir chorar, então fica o convite. Durante o hino, durante todo o hino, apenas repitam incessantemente, não precisa ser alto, que dá prá ler os lábios:
_ Brasil, Brasil, Brasil, Brasil, Brasil, Brasil, Brasil...
Não será a letra do hino, será apenas um sinal para nós, um que a fifa nem vai notar.
O Galvão e o Ronaldo fenômeno vão achar lindo, vão dizer que vocês são os caras, inflamados de sentimento nacionalista.
E o povo vai saber que vocês pelo menos se lembram dele enquanto luta pelas ruas.

Um comentário:

  1. Enquanto isso, aqui em Campanha, os corruptos políticos estão na boa! Rosa Alves

    ResponderExcluir