Páginas

sábado, 28 de abril de 2012

COMENTÁRIO DA JORNALISTA MARCELA MENDES

Como nem todos lêem os comentários, transcrevo abaixo o que disse a jornalista Marcela Mendes.
Mais uma vez recomendo, leiam todos os comentários postados. Eles podem nos ajudar a melhorar.

Sr. Zé Milton, aproveitarei para lhe remeter uns textos, citações que ilustram bastante a questão do turismo, do turismo religioso em Minas e a importância estratégica do Sul de Minas, da cidade mais importante 'em vários aspectos' da região, da cidade mais antiga da região que é Campanha.
Uma citação clássica, que aparece sempre:
"É especificamente em Minas Gerais, onde se comemoram datas religiosas como a Semana Santa, Corpus Christi, os jubileus, as festas de padroeiros e demais santos, que o turismo religioso pode conseguir um avanço condizente com uma de suas vocações. Atualmente, essa atividade vive um imenso desenvolvimento informal. Minas Gerais além de ser o estado onde se concentra o maior número de católicos, possui uma grande riqueza em manifestações religiosas, e por todo o estado existem curandeiros, rezadeiras, médiuns, aparições de santas milagrosas, romeiros e demais manifestações místicas. No norte do Estado existe uma forte presença de rezadeiras, curandeiros e crendices em milagres atribuídos a Nossa Senhora e outros santos, no leste, romeiros fazem penitência, carregando pedras na cabeça, pedindo chuva; no Triângulo, o médium Francisco Xavier é a expressão máxima do espiritismo, e a cidade de nome Romaria recebe inúmeros visitantes, NO SUL, ENCONTRAM-SE AS VÁRIAS SEITAS E DOIS RELIGIOSOS INDICADOS PARA BEATIFICAÇÃO NHÁ CHICA E PADRE VICTOR, restando ainda as cidades históricas, onde ocorrem autênticas manifestações católicas. (VITARELLI, Flávio. O Turismo Religioso da Mesopotâmia a Minas Gerais... 2001, p.25...)
Espero estar contribuindo tb com a "SEÇÃO COMENTÁRIOS DO BLOG ISTO É CAMPANHA" que é tão recomendada! Marcela Mendes

33 comentários:

  1. caminhoncpv@gmail.com , ai Marcela. Mais um endereço que será útil para você. Outros contatos ja postei no post anterior.

    ResponderExcluir
  2. Sr. Zé Milton, agradeço a sua gentileza. Gentileza gera gentileza! E como manifestou interesse em dialogarmos, estou em contato com outros jornalistas: Fernando Sampaio, Jorge Almeida, Antônio Carlos Sá, que também estão acompanhando, escrevendo sobre o Caminho Nhá Chica e Padre Victor e outros temas turísticos religiosos em Minas. Combinamos e vamos organizar uns dados e sugerir ações que estamos observando em outros lugares e que poderão ajudar. Retornaremos o contato com mais detalhes. Mas desde já é bom pensar na festa do ano que vem, acabou uma, começa-se a organizar a próxima e quanto mais gente mobilizada, melhor! Marcela Mendes (Estamos on e eles tb já farão postagens!)

    ResponderExcluir
  3. Fernando Sampaio diz:
    1) Sua cidade Campanha é maravilhosa! Um lugar muito bonito e de inúmeras possibilidades. Estive aí e fiquei encantado e quanto mais leio sobre a cidade, mais apaixonado fico! Quanta história, quanta cultura! É uma trajetória e tanto! Vocês precisam escavar as riquezas guardadas, esquecidas e colocar tudo na vitrine da web!
    2) Quanto à questão do turismo religioso: são várias as manifestações aí. Mas considerando por ora, só a católica! Campanha “acumula” muitas “funções” e por isso deveria se articular mais, não? A Festa de Santo Padre Victor, a Semana de Padre Victor em Campanha, a exemplo de outros lugares, também deveria ser um evento: cívico, cultural e religioso. Não se deve, nem se pode cobrar só de um segmento. A Prefeitura deveria cuidar do aspecto cívico em conjunto com demais autoridades, o cidadão Padre Victor que tanto contribuiu para o desenvolvimento da região, as instituições culturais, de ensino, da parte cultural com atividades múltiplas e a Igreja, da temática religiosa com as celebrações, as manifestações devocionais. Seria muito bom que desde já começassem a pensar e organizar a festa do ano que vem!
    3) E como a cidade acumula o título de mais antiga da região, sede do circuito precisa além dessa festa que é do Santo Padre Victor, pensar em outra que seja dos dois Santos!
    4) Deveriam pensar e agir como se o Santo fosse vivo e a ele coubesse a incumbência de organizar o referido evento! Como ele agiria? O que ele faria? Ficam aí as sugestões! Enviaremos material de divulgação de autoria nossa para distribuição, postagem aí no seu blog! Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grato pelas dicas Fernando. Certamente serão levadas em consideração pelo CNCPV. Não se pode despresar sugestões tão boas como as suas.

      Excluir
  4. Acho que como São João Del Rey criou o Instituto Cultural Santa Nhá Chica do Rio das Mortes, vcs deveriam criar o Instituto Cultural Santo Padre Victor de (ou da?) Campanha. E o mais importante buscar a ajuda de quem conhece o assunto. Turismo é a atividade econômica mais rentável e o turismo religioso é o que mais cresce e no caso de vcs pode ser associado a vários segmentos: ecoturismo, rural, cultural, eventos etc etc etc... Precisam se articular e buscar a orientação e a coordenação de quem entende do assunto para não desperdiçarem esforços, recursos... jornalista tonico sá

    ResponderExcluir
  5. Os colegas já disseram o essencial! Só ratifico, insisto na condução de pessoas especializadas, pois a riqueza da cidade é muito grande, o projeto é tecnicamente excelente, mas tudo aí precisa ser trabalhado com bastante critério para não atrapalhar ações futuras. Organização e Ação! Mãos à obra, desde já!

    ResponderExcluir
  6. Sou Cida Maciel, varginhense, mas campanhense de coração, vó campanhense! Adoro Campanha e vejo seus leitores sempre querendo ajudar! Esses dias li uma reportagem que me fez lembrar Campamnha, mas os comentários aqui no blog não estavam animados, como agora, desisti de enviar, mas agora li o bate-papo e animei!

    Repare na "CAMINHADA QUE O PADRE FEZ!" Em Campanha poderia ser feita, todos os anos no dia 12 de abril, a CAMINHADA DE SANTO PADRE VICTOR!

    O diretor-geral do Instituto Estrada Real, Baques Sanna, é o entrevistado do descubraminas.com deste mês. Baques citou as expectativas do turismo em Minas para o Mundial de 2014, falou sobre o potencial mineiro para receber bem as visitas e sobre os projetos do Instituto para conservar a mineiridade, que só Minas oferece.

    "A Estrada Real é cheia de “causos”, muito rica em histórias e estórias”.

    Por Roberta Almeida

    DM - Conte-nos sobre algum acontecimento marcante nesses quase cinco anos de trabalho no Instituto.
    BS - São muitas coisas que chegam a nos emocionar, às vezes pela simplicidade, às vezes pela característica. Vou citar um caso que eu gosto muito e que mostra como a improvisação e a criatividade às vezes resolvem um problema.

    Em Catas Altas da Noruega, há uma grande igreja em homenagem a São Tiago, padroeiro da cidade. Há algum tempo, o padre da comunidade, ao notar que os fiéis estavam frequentando pouco a missa, resolveu fazer no Dia de São Tiago, 25 de julho, uma caminhada que passava em vários trechos da cidade até chegar à igreja, e dar início à missa. Foi um sucesso! No ano seguinte, quando ele foi repetir o evento, recebeu a visita de um morador pedindo autorização para colocar uma barraca no largo da igreja, para vender água e tira-gosto. O padre concordou e combinou que o comércio só poderia ser feito após o término da missa. Quando a celebração acabou, o padre foi conferir os quitutes da barraca ao lado da igreja e viu que o único alimento vendido pelo morador era costela frita. Ao perguntar para o pequeno comerciante sobre os outros produtos, obteve a seguinte resposta: - É que a partir de hoje, padre, vou apelidar esta caminhada de "Caminhada de São Tiago com costela".

    Para você ter uma ideia, ano passado participaram da caminhada aproximadamente 500 pessoas e, segundo informações que eu tive, oito ou doze eram estrangeiros que vieram conhecer o evento. Então, a Estrada Real é cheia de "causos", muito rica em histórias e estórias. Acredito que esses acontecimentos da ER acabam virando um atrativo a mais para o turista.

    A entrevista toda é muito interessante! Vale a pena conferir!

    ResponderExcluir
  7. Para quem quiser ler a matéria toda, confiram o link:
    http://www.descubraminas.com.br/Cultura/EntrevistaDetalhe.aspx?cod_entrevista=1649

    ResponderExcluir
  8. Zé Milton, que bom os seus leitores se animarem novamente! Eu tb li um comentário de um campanhense que disse não gostar muito das intervenções que tantos fazem... eu estou no bloco que gosta de ler o seu blog, interagir, comentar, trocar ideias, enviar links... Fiquei sem graça de continuar opinando depois que li o comentário do campanhense..., mas já que você ligou o sinal verde... vamos voltar a dar opiniões... Tânia Campos sua leitora de Poços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tânia, já estava com saudade de suas opiniões, sempre bem colocadas. Acredito que as críticas e os comentários nos servem muito para o nosso crescimento. Alguém que talvez não tenha gostado, não representa a maioria dos campanhenses. Na verdade a imagem que o campanhense tem, precisa ser desmistificada, porque a maioria, não é tão fechada assim como dizem.

      Excluir
    2. Muito importante essa publicação, vejo muitos jornalistas evitarem Campanha, que é uma cidade maravilhosa por causa de episódios desagradáveis com campanhenses! Aproveitem mesmo para destacar essa faceta, a dos campanhenses educados, receptivos, agradáveis! Defendo sempre essa bandeira! Mário Costa-BH

      Excluir
    3. Mário estou de acôrdo com você. Não é porque alguém se sentiu incomodado, que vamos nos calar.

      Excluir
  9. Marcela, Fernando, Jorge, Antonio Carlos e demais jornalistas, poderiam me escrever também para meu e-mail josemiltonjunqueira@gmail.com para articularmos alguma coisa, mais informações...
    Estou sempre a disposição de vocês.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sr. Zé Milton, tb estou integrando a rede de jornalistas de turismo religioso em Minas e me coube a incumbência de organizar os dados que estamos coletando como sugestões para Campanha e o seu papel, suas possibilidades nesse segmento turístico. Assim que chegarem sugestões de jornalistas que já percorreram o Compostela Sulmineiro lhe encaminharemos. Fabiana Dantas

      Excluir
    2. Natália Delfino diz: há uma grande procura por catálogos do cotidiano da religiosidade mineira por parte de inúmeras agências. E a primeira sugestão ao senhor que é fotógrafo é que "fotografe, fotografe, fotografe"... fotografe absolutamente tudo que se refira ao Santo Padre Victor em Campanha. Vi uma série de fotos de uns seminaristas fazendo o Caminho no trecho de Campanha a Três Pontas, aqui no seu blog, é muito interessante, tente fotografar mais romeiros, fotografe as paisagens de todo o Caminho, os pássaros, as flores, as Igrejas, as Capelas..., a natureza, a vida... tudo dependerá do seu olhar... ESSE CONJUNTO DE FOTOS JÁ SERÁ O MATERIAL DA "EXPOSIÇÃO DO 186o ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE SANTO PADRE VICTOR EM CAMPANHA NO ANO DE 2013" pelo fotógrafo Zé Milton no ano que vem. Deve começar a organizar a festa do ano que vem, desde já! E o senhor como fotógrafo deve sempre ser o autor, o artista da MEGA EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA DE SANTO PADRE VICTOR EM TODOS OS 12 DE ABRIL EM CAMPANHA!

      Excluir
    3. Prezado blogueiro Zé Milton, estou escrevendo diversos artigos, este será para blogs em São João D'El Rey, fique a vontade para publicar aqui, são 5 partes!

      EM ABRIL, O CÉU SE ABRE PARA CELEBRAR
      A VIDA E A OBRA DOS SANTOS DO SUL DE MINAS:
      'SANTA' NHÁ CHICA E 'SANTO' PADRE VICTOR Beatriz Campos

      Em abril, em meio aos verdes e aos azuis da Serra da Mantiqueira e do Rio Grande, milhares se unem para celebrar a vida e a obra dos Santos do Sul de Minas: ‘Santa’ Nhá Chica e ‘Santo’ Padre Victor. São milhares de fieis que se deslocam por entre as localidades que contam a história da vida e da obra de Francisca de Paula de Jesus e Francisco de Paula Victor.

      Caminhantes, peregrinos, romeiros (e até mesmo turistas) que sempre desejaram seguir as pegadas da Venerável Nhá Chica e do Servo de Deus Padre Victor, em busca de uma experiência interior profunda, se deslocaram a pé, a cavalo, de bicicleta, de motocicleta, em automóveis, em vans e em ônibus trazendo na bagagem as mais diversas motivações. Mas a rota foi apenas uma, a mesma para todos, percorrer as centenas de quilômetros entre o Distrito do Rio das Mortes em São João del-Rei, no Campo das Vertentes, Baependi, no sul de Minas, respectivos locais de nascimento e falecimento de 'Santa' Nhá Chica, bem como Campanha e Três Pontas, no sul de Minas, os lugares de nascimento e falecimento de 'Santo' Padre Victor .

      Percorrer essas trilhas para muitos é como voltar no tempo e aprender o modelo de santidade desses exemplos que são a Venerável Nhá Chica e o Servo de Deus Padre Victor, ainda candidatos a Santos pela Igreja Católica, mas já consagrados pelo povo como modelos de santidade. É aprender com eles o cultivo, no cotidiano, das virtudes heroicas: fé, esperança, caridade, castidade, obediência, fortaleza, prudência, temperança, justiça e humildade.

      O conjunto das ações organizadas ao longo de todo o itinerário, denominado pela Diocese de Campanha - Caminho Nhá Chica e Padre Victor - mesclou os aspectos cívico, cultural e religioso. Notou-se uma preocupação com os impactos inerentes à atividade turística, buscando valorizar em todos os momentos atividades singelas que não afetassem a religiosidade e sua continuidade em tradições consolidadas ao longo de séculos, uma vez que o próprio "itinerário religioso" já é trilhado desde o falecimento dos candidatos a Santos no fim do século XIX e início do século XX. Destacando que São João del-Rei, Baependi, Campanha são localidades, no sertão dos cataguás, cuja urbanização, implantação das capelas primitivas tiveram sua gênese, praticamente de forma concomitante, há três séculos. O patrimônio cultural das localidades que são referência no percurso se sobrepõem temporal e espacialmente e se configura como o eixo do projeto turístico. Porém, muito além do produto turístico, da atividade econômica que mais cresce no mundo, há que se considerar a preservação da fé local, conforme destacaram vários organizadores dos inúmeros eventos nas diferentes localidades: Distrito do Rio das Mortes, Baependi, Campanha, Três Pontas e cidades do entorno.

      Todas as ações desenvolvidas contaram com o envolvimento não apenas de autoridades civis, eclesiásticas, diretores e presidentes de agremiações culturais, mas com a participação efetiva do povo: homens e mulheres; crianças, adolescentes, jovens e adultos; profissionais liberais, professores, donas de casa, trabalhadores rurais, empresários, todos juntos demonstrando a seu modo o amor, a fé, a devoção que nutrem por 'Santa' Nhá Chica e 'Santo' Padre Victor.

      Excluir
    4. PARTE 2 - COMO FORAM AS COMEMORAÇÕES EM TRÊS PONTAS
      PARTE 3 - COMO FORAM AS COMEMORAÇÕES EM CAMPANHA
      PARTE 4- COMO FORAM AS COMEMORAÇÕES EM BAEPENDI
      PARTE 5 - COMO FORAM AS COMEMORAÇÕES NO RIO DAS MORTES/SÃO JOÃO DEL REI

      Excluir
    5. PARTE 2 - COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE SANTO PADRE VICTOR EM TRÊS PONTAS
      Beatriz Campos

      Inicialmente, logo no início do mês de abril, no dia 12, abrindo as comemorações e de forma muito efusiva, Três Pontas comemorou o 185º aniversário do nascimento do Servo de Deus Padre Victor. A programação se estendeu desde o dia do aniversário com solene missa concelebrada por todos os padres locais, contando com a participação maciça de fieis de Três Pontas e cidades vizinhas que lotaram a Matriz de Nossa Senhora da Ajuda, numa celebração que contou também com a presença de inúmeras autoridades.

      Conforme destacou Pe. Ednaldo Barbosa: “Vieram para celebrar suas vidas como dádivas de Deus, presente único, vieram celebrar a vida do Servo de Deus Padre Victor”.

      As festividades em Três Pontas prosseguiram ao longo da semana com a Caminhada da Fé, que peregrinou da praça D'Aparecida com destino à Capela de Santa Cruz (Padre Victor), também num momento de congraçamento de trespontanos e moradores de cidades vizinhas que culminou com Missa de Encerramento da Semana do 185o Aniversário de Santo Padre Victor. As comemorações trespontanas foram abrilhantadas com apresentações da Corporação Musical Luiz Antônio Ribeiro e da Orquestra Experimental Oswaldo Tiso.

      Para o engenheiro Marcos Brito, trespontano residente em Belo Horizonte que sempre prestigia todas as comemorações que ocorrem na cidade em homenagem ao Anjo Tutelar de Três Pontas, deve-se ressaltar para as gerações que estão descobrindo a vida e a obra de Santo Padre Victor o cidadão, então Padre Victor e sua preocupação com a educação formal, a criação de um colégio em Três Pontas e as contribuições daí advindas. Para ele, o valor do Servo de Deus Padre Victor ultrapassa a esfera religiosa.

      Excluir
    6. PARTE 3 - COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO DE SANTO PADRE VICTOR EM CAMPANHA
      Beatriz Campos

      Ainda estou pesquisando! Só encontrei notícias sobre o Passeio Ciclístico. Poderia publicar mais sobre outros eventos? Aguardo e agradeço. Beatriz Campos.

      Excluir
    7. PARTE 4 - COMEMORAÇÕES, EM BAEPENDI, DO ANIVERSÁRIO DE 202 ANOS NASCIMENTO/BATISMO DE SANTA NHÁ CHICA
      Beatriz Campos

      Em Baependi, no Sul de Minas, a população não apenas se mobilizou para receber os milhares de romeiros e peregrinos que tanto na época da celebração de seu falecimento em junho, mas também na comemoração de seu batismo, em abril, para lá sempre se dirigem.

      Algumas cidades vizinhas, organizadas em grandes romarias a pé, de bicicleta, a cavalo, de motocicleta, já se encaminham, anualmente, para a visitação do local onde se encontram os restos mortais de 'Santa' Nhá Chica, há mais de uma década como é o caso de São Lourenço, de forma especial nessa época do ano.

      Ainda em Baependi, com grande júbilo, ao longo de todo o dia 26 de abril, os 202 anos do batismo de Francisca de Paula de Jesus Nhá Chica foram celebrados, culminando com uma Missa Solene que reuniu devotos e fieis na Igreja de Nossa Senhora da Conceição. A Associação Beneficente Nhá Chica com seus educadores e crianças participaram fervorosamente ao lado das Irmãs Franciscanas do Senhor.

      Também Ana Lúcia Meirelles Leite, a miraculada da Venerável Nhá Chica rezou com os demais fieis presentes nessa Missa Solene dos 202 anos, em Baependi, e depois agradeceu junto à urna que guarda os restos mortais da Venerável, mais uma vez o grande milagre recebido.

      Excluir
    8. PARTE 5 - COMEMORAÇÕES, EM SÃO JOÃO DEL REI, DO ANIVERSÁRIO DE 202 ANOS NASCIMENTO/BATISMO DE SANTA NHÁ CHICA
      Beatriz Campos

      Já em São João del-Rei, no Campo das Vertentes, com destaque para o distrito do Rio das Mortes, local de nascimento de 'Santa' Nhá Chica a ação comemorativa dos 202 Anos da filha ilustre conjugou de forma bastante abrangente e criativa os aspectos cívico, cultural e religioso da data que já integra o Calendário oficial da cidade.

      A data vem sendo comemorada na cidade desde o momento em que o Livro de Batismos da Vila do Rio das Mortes Pequeno, filial da Matriz de Nossa Senhora do Pilar de São João d'El Rey com termo do batizado de Francisca, ocorrido em 26 de abril de 1810, chegou às mãos de Monsenhor Paiva, por desígnios ainda inexplicados. Tal comemoração ganhou fôlego após o Registro Civil Tardio de Nhá Chica como cidadã são-joanense, por intermédio de ação conduzida pelo advogado são-joanense, também nascido no distrito de Rio das Mortes, Wainer Ávila.

      Desde então o Instituto Nhá Chica do Rio das Mortes em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de São João del-Rei, a Diocese de São João del-Rei, em perfeita sintonia, com as Irmãs Franciscanas do Senhor de Baependi e com especial apoio e participação popular mostra ao Brasil e à comunidade católica universal a história de vida digna e o sacro valor espiritual da Venerável Francisca de Paula de Jesus Nhá Chica.

      A intensa ação festiva se estendeu dos dias 22 a 29 de abril movimentando São João del-Rei e região com diversificada programação que contou com a presença de caminhantes, ciclistas, motociclistas, cavaleiros, romeiros, peregrinos,vindos de cidades vizinhas e distantes.

      A abertura dos festejos, desde o alvorecer do primeiro dia, na comunidade do Rio das Mortes contou com as tradicionais orações marianas do Terço, Angelus, Magnificat, Ladainha, Ofício de Nossa Senhora pelas comunidades do distrito com destaque para as visitas ao Memorial do local de nascimento da Venerável, ações que se repetiram ao longo de toda a semana.

      Em São João del-Rei, a terra onde os sinos falam, como era de se esperar não faltaram os repiques festivos. Bem como as apresentações culturais da Banda de Música Lira do Oriente de Santa Cecília e do Grupo de Congada Nossa Senhora do Rosário do Rio das Mortes que se fizeram presentes do início ao fim da festa.

      A Vida e a Obra de 'Santa' Nhá Chica pôde ser melhor conhecida por meio das palestras ministradas pelos membros do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei e da Academia de Letras de São João del-Rei, o advogado Wainer Ávila e a professora universitária Ana Cintra que enfatizaram a importância do Registro Civil Tardio da Venerável e as Virtudes Heroicas da mesma. Tal conteúdo também se fez presente na exibição de filmes e documentários que mostraram a sua trajetória, bem como nos paineis que apresentaram as graças alcançadas pelo povo ao longo das décadas em que pedem a intercessão da conterrânea. E de forma muito comovente, a sessão de paineis se encerrou com o tocante depoimento proferido por Ana Lúcia Meirelles Leite, a agraciada com o milagre que levará 'Santa' Nhá Chica definitivamente para os altares.

      Excluir
    9. Continuação
      As apresentações, exposições e atividades culturais na Escola Estadual Evandro Ávila, organizadas especialmente para a data, colocaram em relevo o rico patrimônio cultural da localidade. Destacaram a música, a arte barroca, as expressões populares, a gastronomia, o artesanato. Despertaram muito a atenção, os trabalhos artísticos e artesanais especialmente confeccionados para a aniversariante: 'Flores para Nhá Chica e 'Estandartes para Nhá Chica', um destes últimos foi o presente escolhido pela comunidade são-joanense do Rio das Mortes para presentear as Irmãs Franciscanas do Senhor de Baependi.

      E por fim, a festiva data dos 202 Anos do Nascimento de ‘Santa’ Nhá Chica teve sua culminância, no Distrito do Rio das Mortes em São João del-Rei, com uma solene celebração eucarística, a exemplo do que já ocorrera no dia 26, data do aniversário.

      Excluir
  10. Caro blogueiro, só para ajudar, quem não é muito antenado, a se situar: agora, nesse momento, depois de findado o mês de abril, vários jornalistas da área de cultura, de turismo estão a produzir as matérias sobre tudo o que ocorreu no MÊS DE ABRIL, O MÊS DE ANIVERSÁRIO DOS SANTOS CATÓLICOS DO SUL DE MINAS QUE SÃO CONSIDERADOS OS SANTOS GENUINAMENTE BRASILEIROS: SANTO PADRE VICTOR (12 DE ABRIL-CAMPANHA) e SANTA NHÁ CHICA (26 DE ABRIL-RIO DAS MORTES-SÃO JOÃO DEL REY). Todos nós jornalistas estamos buscando informações sobre tudo que ocorreu nos lugares que dizem respeito a eles. E tudo isso que está sendo produzido servirá de base para jornais que já começam a divulgar a maior feira católica do mundo. Beth Prado-BH

    ResponderExcluir
  11. Compartilhando uma informação que é do interesse de todos que escrevem sobre turismo religioso em Minas. Em Três Pontas há turismólogos com informações bastante interessantes sobre Padre Victor e a questão do turismo religioso. Façam contato lá. Bruna Cordeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em Três Pontas, é possível obter muitas, muitas informações sobre a Vida e a Obra de Padre Victor com moradores locais, com historiadores locais, com os turismólogos, com funcionários da prefeitura, das secretarias, da Associação Padre Victor. É um contato com muito retorno! José Carlos Freitas

      Excluir
    2. Também aproveito para elogiar a educação, a presteza, a competência dos turismólogos de Três Pontas. Obtive todas as informações sobre Santo Padre Victor e sobre o Caminho Nhá Chica e Padre Victor com rapidez e precisão. Fernando Barbosa-RJ

      Excluir
  12. Uma placa na estrada: CAMPANHA, A CIDADE MAIS ANTIGA DO SUL DE MINAS - AQUI NASCEU SANTO PADRE VICTOR!
    http://portalclick.com.br/portalclick/30/04/2012/mineira-pode-ser-primeira-santa-nascida-no-brasil/
    Fernannda Leite de Campanha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se é pra valorizar ainda mais a cidade, o que vc acha Fernanda de uma outra placa: CAMPANHA, A CIDADE MAIS ANTIGA DO SUL DE MINAS - A CIDADE SEDE DO CAMINHO DE SANTA NHÁ CHICA E SANTO PADRE VICTOR? Prezado Blogueiro, com a visão de fora, de quem não é da cidade, não é da região, falta para Campanha mais visibilidade, mais divulgação, vocês têm tudo, mas não tem divulgação. Cidades, lugares com menos potencial sabem, souberam trabalhar a divulgação e aparecem! Seu blog é um excelente espaço para os jornalistas pelo que estou observando! Isso ajuda muito a cidade! Multipliquem a iniciativa! Mais blogs para Campanha! Abraço, Luciano Barbosa

      Excluir
  13. Compartilhando mais informações, são muitas!
    Senhores que rezam o Terço dos Homens em São João del Rey é que organizaram uma das muitas CAMINHADAS DO ANIVERSÁRIO DE NASCIMENTO/BATISMO DE NHÁ CHICA.
    http://www.gazetadesaojoaodelrei.com.br/site/2012/03/nha-chica-e-lembrada-durante-caminhada/
    Sr. Zé Milton, é impossível juntarmos as informações para lhe enviar, é melhor um grupo aí em Campanha se organizar e vcs encontrarem o melhor formato. Vamos noticiando tudo! Marcela Mendes

    ResponderExcluir
  14. http://www.pousoalegre.net/santuario-comemora-202-anos-do-batismo-de-nha-chica/

    ResponderExcluir
  15. E sobre as rezadeiras?
    Elas ainda existem? E onde estão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Carmen, bom dia. As tradicionais rezadeiras, ja não temos mais. Nas procissões, ainda temos um grupo, mas não como era no passado.

      Excluir