Páginas

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

COMEÇAM AS COMEMORAÇÕES DOS 274 ANOS DA CIDADE DA CAMPANHA - MG

 O prefeito Roberto Silva, faz a entrega de um quadro com o selo comemorativo aos 274 anos da cidade da Campanha. Nesta oportunidade ele presta uma homenagem aos músicos de nossa cidade, que marcaram época. Na foto acima Irmão Juvenal recebe a homenagem prestada ao saudoso Irmão Paulo.
 Margarida Sá, recebe a homenagem prestada ao seu pai, Sr Juquinha Sá.
 A família de esteve presente para receber as homenagens à Júlio Andrade, o último dos músicos a nos deixar.
 Márcia Lemes, recebeu do vereador Creone Sales a homenagem prestada a dona Ilza Pompeu.
 As sobrinhas de dona Maria Garote estiveram presentes para receber do vereador Sérgio Castro as justas homenagens.
 O maestro Rui Vilhena foi lembrado com muita saudade. Sua companheira de jornada dona Aparecida esteve presente, muito emocionada, recebendo a homenagem das mãos de Pedro Alves presidente da câmara.
 Maria Helena, filha de Sebastião Bessa recebeu do vereador Admilson Ferreira a homenagem à seu pai.
 Tiãozinho do cavaco foi homenageado, sendo representante da família seu irmão Carlinhos, que recebeu as homenagem das mãos da vereadora Lelena Muller.
 Dona Maria, recebe as homenagens prestadas à Tarcísio Periquito das mãos do vereador Toninho.
 Cida, uma das filhas do maestro Walter Sales, recebeu a homenagem ao pai através do vice-prefeito Hamilton Pires.
 O senhor Ademir Baldin, diretor regional dos Correios esteve presente no lançamento do selos em homenagem aos músicos da Campanha. Um trabalho incansável de Márcia Lemes e de Lourdinha, que é a nossa dedicada gerente local dos Correios.
 O senhor João da Ritinha, o mais antigo músico da casa, foi homenageado, recebendo uma placa das mãos do senhores prefeito Roberto Silva e do fundador desta instituição Ronald Ferreira.
 O prefeito Roberto Silva, cumprimentou a todos os familiares dos homenageados e agradeceu a cada colaborador, para que a nossa cultura esteja sendo sempre valorizada.
 Cada sala da Escola de música recebeu o nome dos homenageados de hoje. Nesta foto destacamos ao lado do prefeito Roberto, as filhas do maestro Walter Sales, Tetê e Cida, ao lado do diretor da casa Senhor Roberto de Araújo.
 A emoção tomou conta do público presente, quando o prefeito Roberto leu a mensagem enviada por Carla Vilhena, filha do maestro Rui Vilhena.


 Quando a gente quer ficar livre da concorrência, oferece-lhe flores. Né Paulinha. Esta foto você não vai ter. Não precisa ficar com esta cara de que, o que é que eu faço. Depois te arranjo uma foto. Brincadeiras a parte, Paula Carvalho é a competente e dedicada jornalista da prefeitura da Campanha, responsável pela revista da Campanha, do convite e dos cartaz dos 274 anos.
 O livro de registro dos Correios, com os selos do homenageados e as assinaturas dos seus representantes.
Esta é a nova sede da Escola de Música Marcelo Pompeu. Fica na Rua Direita na casa do saudoso Comandante Vivaldi Andrade.
Sugestão: Quero parabenizar à todos que participaram, tanto na criação, como em todo o projeto e realização do magnífico evento. Mas, senti as ausências de alguns nomes que deram muito de sí para a nossa música, cônego Arnaldo fundador do magestoso Coral Campanhense e Valdivino Sadoco, o braço direito de Irmão Paulo na fanfarra.  O maestro João Carlos Martins, tem um projeto que é o de criar mil orquestras em dez anos em todo o Brasil. Roberto prefeito e diretor dessa casa, está na hora de entrar em contato com a ministra da cultura Ana Buarque para viabilizar a criação da nossa orquestra. Vamos manter as nossas tradições musicais e culturais.
Uma coisa que ninguém entendeu. A arte do selo está maravilhosa, mas por que não foi colocado a foto de uma das nossas igrejas e sim de outra cidade. Deve ter um motivo, que eu e ninguém dos presentes entendeu. Gostaria de poder uma hora explicar a intenção do artista, autor da obra.

Agora a noite anda tem na praça Dom Ferrão as bandas FH4 daqui da Campanha, Hocus Pocus (Beatles Cover) e Elétrica Banda Show.
Amanhã logo as oito da manhã já teremos inaugurações na Escola Dom Othon Motta e homenagens a campanhenses ilustres de ontem e de hoje.
As 13 horas exposição na praça Dom Ferrão das novas indústrias Krauss e Rottis.
Das 13 às 17 horas Festival Alterosa de Alegria na praça Dom Ferrão.
Às 23 horas show da Banda Magnatas.
No domingo pela manhã hasteamento das bandeiras, com encontro de Bandas de manhã e a tarde.
Às 21 horas show com Tiago Ribeiro e Cristiano e a Banda Jamaica e República dos Anjos.
PARTICIPEM, A FESTA É PARA VOCÊS.


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

UM EXEMPLO DE DEDICAÇÃO.ISTO SIM, É FAZER CARIDADE.

Sandra a mãe e Larissa a filha. O que você vê de excepcional?

 Elas ao lado da avó em sua casa simples, modesta e extremamente limpa e orgazizada. Não é porque é pobre que tem que viver na sugeira.
Qualquer pessoa é capaz de amar tanto, ao ponto de abandonar o seu trabalho para se dedicar à filha?

Não, nem toda ser chamado de humano, é capaz de fazer isto.
A gente vê nos noticiários, casos escabrosos, que parece mentira. Coisas que não acontecem em cidade pequena como Campanha.
Há cinco meses, uma fulaninha apareceu na porta da casa de dona Sandra Aparecida de Jesus, que é uma lavradora que sofre de pressão alta e lhe ofereceu a sua filha. Ela achou muito estranho e disse que não poderia ficar com a menina. Veio a segunda vez e voltou uma terceira vez dizendo, "se a senhora não ficar com ela eu vou dar um fim nisso". Isto não passou no programa do Ratinho ou do Datena, não. Isto é a realidade vivida em Campanha, no Sul de Minas. 
Diante da situação, dona Sandra, sensibilizada com a situação, resolveu adotar a criança, que tem o nome de Larissa Ribeiro. 
Esta é a terceira filha desta mãe desnaturada, cujo pai das crianças é um tio, que mora com ela.
Mas, Larissa apesar de todos os problemas que tem, acabou premiada ganhando, uma mãe adotiva, que tem loucura por ela e de quebra ainda tem mais quatro novos irmãos, que são doidos por ela. Dona Sandra que ia diariamente para a roça ao lado do marido João dos Reis de Jesus, agora fica só em casa, cuidando desta menina que chegou em sua casa, cheia de cracas e a cabeça era só piolho. Desgraça pouco é bobagem. ela ainda é cega, surda e muda. Falta-lhe coordenação motora e só se alimenta de líquido e minguau.
E você ainda está ai a reclamar da vida, porque teve algum aborrecimento. Pare com isto e de graças à Deus por ser quem você é.
Se acha que estou exagerando, vá até a rua Dom Pedro II - 1756 no bairro do Mandú em Campanha ou ligue para dona Sandra 35-9868.5381.
Que pessoa especial, aliás que família especialíssima que adota uma criança assim e lhe da todo amor possível e impossível. Ela não deu à criança algo que lhe sobrava, como nós geralmente fazemos, dando sobras ou o que não nos serve mais, achando que estamos fazendo caridade. Dona Sandra sim, está tirando o que não tem, para ajudar este ser tão debilitado que surgiu em sua vida.
E se você tem algo que possa fazer, para ajudar a esta criança, não pense duas vezes, entre em contato com o telefone ou endereço acima e sinta de perto o que é o amor.
Faça uma visita a esta família e pare de ficar reclamando da vida.
Que todos vocês, sejam abençoados por Deus.

GRUPO BEM VIVER E OS ANIVERSARIANTES DE SETEMBRO

 Os aniversariantes de Setembro de GBV, Sônia Furtado, Olga Castro, José Milton e Phynéas Skau. Faltou aqui a Concilia que foi curtir os filhos no Nordeste.Não reclama Concilia.
 Suzana Araújo em nome do GBV prestou uma homenagem ao presidente do grupo José Milton, que recebeu de presente um linda camisa.
Para nós que já somos sex, Norma leu um texto altamente animador para todos nós.

ESCOLA DOM OTHON PRESTA HOMENAGEM A FILHOS ILUSTRES.

 Segundo a dir. da Escola Dom Othon Motta, professora Márcia Mira Os nomes abaixo serão alguns dos homenageados neste final de semana, por ocasião das comemorações dos 274 anos da cidade da Campanha.Várias áreas, como medicina, imprensa, educação, esportes e outros , serão homenageados. O evento está previsto para o próximo sábado a partir das oito horas.
 Homenageados de ontem:
1 -Maria Martins
2 -Vital Brazil Mineiro da Campanha
3 -Perdigão Malheiro
4 -Alaor Ribeiro
5 -Mons. José Patrocínio Lefort
6 -Min. Alfredo Valladão
7 -Gladstone Chaves de Melo
8 -Padre Victor
9 -Dr. José Borges Neto
10 -Maestro Pompeu
11 -José Maria da Cruz
12 -Domingos Prock
13 -Adolfo Pinto Almeida
14 -Nilton Val Ribeiro
15 -Antônio Casadei
16 -D. Lulu ( Maria de Lourdes Andrade Figueiredo)

Homenageados de hoje:
1 -Onil Mello
2 -Dr. Cláudio de Almeida Oliveira
3 -Dra.Vanessa Fusco Nogueira
4 -Júlio César Rocha
5 -Gioconda Labecca
6 -Osvaldo Brandão
7 -Giovanni Ferreira Pinto
8 -Lídia Andreatta
9 -Evaldo Maia
10 -Carlos Alberto Ribeiro Reis
11 -Moretzhon Luis de Oliveira
12 -D. Nena
13 -João Rodrigues ( João da Ritinha)
14 -João Marcos Carneiro


ENCONTRO DE FAMÍLIAS DA CAMPANHA-MG

Aos leitores que gostariam de saber sobre os encontros de famílias Campanhenses, tenho a informar que, é de meu conhecimento que a família Arantes tenha sido a primeira a se reunir aqui em Campanha. A família Junqueira fez agora em Setembro o seu encontro, mas foi na cidade de Fama. Estou sabendo da intenção da família Serrano em se reunir em 2012.
Caso minha informação não esteja correta ou incompleta, por favor usem o espaço abaixo dos comentários, que faremos as devidas correções.
Quanto ao livro Famílias Campanhenses de autoria do Monsenhor José do Patrocínio Lefort, ele entrelaça as famílias campanhenses deixando-nos mais de cinco mil nomes.
Quem casou com quem, pai de quem. Este livro, os interessados poderão pesquisa-lo na Biblioteca Cônego Victor aqui em Campanha.

SEJA UM PROFESSOR DA UFLA.

Estão abertas, a partir desta segunda-feira (19),
e segue até 17 de outubro de 2011, as inscrições
para o concurso público 094/2011, destinado à contratação
em Regime de Dedicação Exclusiva (DE) de quatro professores,
classe Adjunto ou Assistente. As vagas serão para os
departamentos de Ciências Exatas (1), Educação Física
(2) e Química (1), com remuneração total de R$ 7.637,67
(Adjunto DE) e R$ 4.955, 59 (Assistente DE).
O formulário de inscrição está disponível na página da
Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PRGDP)
http://www.prgdp.ufla.br/concurso/prof . As inscrições serão exclusivamente pela
Internet, no prazo estipulado no Edital.  
A taxa de inscrição tem o valor R$ 180,00. A isenção desta
taxa deverá ser solicitada no ato da inscrição, no site www.prgdp.ufla.br,
no período de 19 a 27/9/2011. O resultado
da isenção será divulgado no dia 4 de outubro.
Será permitida a inscrição condicional para candidatos com
Mestrado, no caso de não haver candidatos com o título de
Doutor. Neste caso, a taxa de inscrição deverá ser paga no
prazo de até três dias úteis após a divulgação, pela PRGDP,
da ausência de inscritos com Doutorado. Esta divulgação será
feita a partir das 18 horas do dia 19 de outubro e, para este
caso, a taxa de inscrição será no valor de R$ 115,00.
O processo de seleção constará de prova de conhecimentos, prova didática e prova
de títulos, em horário e local a serem divulgados
no dia 7 de outubro. As provas serão realizadas no Câmpus da Universidade.

PEDRO CÉLIO ATLETA E SÓSIA DO LULA. PODE?

Prezadíssimo amigo José Milton, boa tarde!

Este seu amigo foi homenageado (7 de setembro - DIA DA PÁTRIA) com uma matéria divulgada no site correprafoto.blogspot.com

Se acessar poderá conhecer a matéria divulgada.

Abração.

Pedro Célio
 
Meu amigo cantor e seresteiro Pedro Célio,
parabéns por sua participação.
Pode pedir um patrocínio pro Lula. Você o representou muito bem.
Quando abri o site achei que era o sósia do cara.
 

UMA NOVA ORDEM POLITICA - Tarcísio Vilhena


                UMA NOVA ORDEM POLITICA
  
Se nos dedicarmos a observar atentamente, como o assunto merece, veríamos o mar de lama em que se converteu a vida pública brasileira. Escândalos seguidos de escândalos que nos deixam perplexos e sem motivo para sermos otimistas com a política do nosso país. Nela, existe um ranço patrimonialista, arbitrário e cínico que se mostra abertamente nos homens dos altos escalões, que se apresentam à nação envolvidos nos mais escabrosos casos de corrupção, nepotismo e descaso com a coisa pública. O que nos parece é que vivem uma espécie de delírio que os coloca em outro mundo. Os governantes e membros de escalões importantes falam como se vivessem em outro país. Não por acaso, muitos se referem a Brasília como sendo uma espécie de "Ilha da Fantasia", onde vive um povo distante do resto do mundo, alheios à realidade que o cerca.
Por outro lado, existem preocupações legitimas de políticos sérios que defendem recursos legais e disponíveis, como as CPIs (Comissão Parlamentares de Inquéritos), que fazem vir à tona a tortuosidade do sistema, cujos integrantes estão envolvidos nos mais complicados episódios, que vão do desvio de verbas públicas ao tráfego de influência.
Todavia, as CPIs têm também e, principalmente, função política, o que implica que a maioria delas, por isso mesmo, acaba não dando em nada. O problema em si não são os mecanismos de fiscalização que, diga-se de passagem, são distorcidos e desacreditados, mas sim o modelo vigente, caduco e esclerosado, onde se encontram enormes entraves à modernização. Por que tais entraves existem? Simplesmente, porque não tê-los significa alijar do poder muitos daqueles que lá se encontram há décadas, pessoas que representam o retrocesso político, sem nenhuma intenção de fazer reformas verdadeiras, porque sabem muito bem que os seus interesses seriam os primeiros a ser atingidos.
Se não bastassem os desmandos e a corrupção que devasta e arruína o Executivo e o Legislativo, o Judiciário, baluarte da República e que tem como função precípua garantir os direitos individuais, coletivos e sociais, também está envolvido no mesmo mar de lama, pois garante a impunidade dos corruptos e ainda exige aumento acima da inflação para seus servidores.
O relatório do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicado no Jornal "VALOR",  mostra as irregularidades cometidas pela magistratura, nas diferentes instâncias e braços especializados do Judiciário, que em nada difere do Executivo e do Legislativo em matéria de apropriação indébita e malversação do dinheiro público, mordomia, nepotismo e fisiologismo. O CNJ constatou, ainda, centenas de caso de desvio de conduta, fraude e estelionato, tais como, negociações de sentenças, venda de liminares, manipulação na distribuição de processos, grilagem de terras, favorecimento na liberação de precatórios e contratos ilegais.
Pesquisa feita pela Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas revela que 70% da população Brasileira considera o Judiciário Brasileiro moroso, caro e não confiável, em termos de honestidade e imparcialidade.
Para os advogados, a OAB é mais confiável do que o Judiciário e o Ministério Público, é o que diz uma pesquisa divulgada pelo Instituto Mauricio de Nassau e encaminhada ao blog "Acerto de Conta", pelo coordenador da pesquisa, Adriano Oliveira. Observa-se, por ela, que essas instituições estão completamente à margem do que pensa a sociedade e conclui afirmando ser difícil encontrar um cidadão comum que acredita na justiça.
Quando se proclama que o maior problema do país é o Poder Judiciário, em função da impunidade que garante aos poderosos, não ha menor exagero nessa afirmação. O único dano que sofrem os ladrões dos recursos públicos é o de ordem moral. Ficam difamados e perdem a dignidade. Mas e daí? Nunca foram dignos mesmo. Estão pouco ligando.
Com a incomensurável brandura e conivência do Poder Judiciário, os maiores escândalos da história recente do Brasil se arrastam até hoje nos tribunais, sem que os principais acusados tenham sido julgados em última instância pela sangria dos cofres públicos.
Um levantamento da Folha de São Paulo mostra que dez casos entre os mais rumorosos do país nas últimas décadas seguem à espera de um veredito final. O escândalo mais antigo da lista é o que levou ao impeachment do ex-presidente Fernando Collor, no final de 1992. Dezenove anos depois, as denúncias são alvo de uma ação em andamento. O processo contra seis acusados de extorsão e formação de quadrilha corre na Justiça Federal desde 1988. Até a semana passada, o Juiz não tinha dado a sentença. Collor perdeu o cargo, mas foi inocentado pelo Supremo Tribunal Federal por falta de provas e hoje é senador pelo PTB de Alagoas.
O deputado Paulo Maluf (PP-SP), que assumiu a Prefeitura de São Paulo no ano de 1992, é procurado pela Interpol, não pode viajar ao exterior para não ser preso, mas nunca foi condenado definitivamente no Brasil por fraudes em sua gestão. Esteve preso apenas durante alguns dias, junto com o filho Flávio. E hoje vive momentos de tranqüilidade, livre, leve e solto.
A morosidade da Justiça impede o fim de casos como o dos Anões do Orçamento, que envolve até a Diretoria de Loteria da Caixa Econômica Federal, que fazia lavagem de dinheiro para o então ex-deputado João Alves. Os acusados de desvio no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e na SUDAM, Luiz Estevão e Jader Barbalho, deixaram o Senado, chegaram a ser presos. Hoje, Jader se prepara para voltar ao Congresso, logo que seu processo entre em julgamento no Supremo, que já firmou jurisprudência contra a eficácia da Lei da Ficha Limpa nas eleições do ano passado. Os crimes do mensalão podem perder a validade. Passados quatro anos do recebimento da denúncia contra 40 suspeitos de envolvimento no mensalão, o crime de formação de quadrilha, espinha dorsal da denúncia, pode prescrever na próxima semana. Para que este crime não saia impune, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) terão de aplicar penas para os acusados pelo crime de quadrilha superiores a dois anos. Se a pena não ultrapassar dois anos, os acusados estarão livres.
Em seu Portal, o jornalista Luiz Nassif escreveu,  em uma espécie de desabafo: "Muitos se dizem aviltados com a corrupção e a baixeza de nossos políticos. Eu não. Eles são apenas o espelho do povo brasileiro: um povo preguiçoso, malandro, e que idolatra os safados. É povo brasileiro que me avilta!”
José Nêumane, no livro "O QUE SEI DE LULA" diz a mesma coisa com relação ao povo brasileiro: "Não é difícil entender porque os eleitores brasileiros aceitam o LULA e a quadrilha do PT como seus lideres. A maioria das pessoas deste país faria as mesmas coisas que os larápios oficiais: mentiriam, roubariam, corromperiam e até matariam. Tudo pela sua conveniência."
Se de fato essa visão do povo brasileiro é verdadeira, a culpa de é de nossos governantes que sempre relegaram a EDUCAÇÃO a um plano inferior.
Atualmente, considera-se a educação um dos setores mais importantes para o desenvolvimento de uma nação. É através da produção de conhecimento que um país cresce, aumentando sua renda e a qualidade de vida das pessoas. Cingapura e Coréia do Sul são dois países que investiram pesado em Educação e, hoje, servem de exemplos ao mundo. Embora o BRASIL tenha avançado neste campo nas últimas décadas, ainda há muito para ser feito. A escola (Ensino Fundamental e Médio) ou a universidade tornaram-se locais de grande importância para ascensão social e muitas famílias têm investido neste setor.  Porém, a porcentagem dedicada à educação no quadro de despesas da União caiu de 2,88% em 2003 - no início do governo petista - para 2,67% em 2004 e em 2005 e para 2,44% em 2006, voltando em 2007 ao mesmo patamar que ocupava no início do governo com 2,87%.
A conclusão é da publicação "Financiamento da Educação no Governo Lula", elaborada pela Campanha Nacional pelo Direito da Educação.
Mesmo a Educação no Brasil estando muito aquém do que deveria estar, há uma grande parcela da sociedade, muito significativa mesmo, contrária a esse estado de coisas que vivenciamos em nosso país.
No dia 7 de setembro ultimo, enquanto lá em Brasília todo o governo estava presente ao desfile militar comemorativo ao dia da independência, na mesma capital federal, como também em outras cidades do país, milhares de pessoas saíram às ruas para protestarem contra a corrupção nas várias esferas da administração pública e que nesse governo da Presidente Dilma assumiu proporções nunca antes vistas em nosso país. Foi um movimento espontâneo, coisa do povo mesmo, sem a participação do chamados grupos sociais, como a UNE, a CUT e o MST, que sempre dominaram as ruas, mas que nesse dia preferiram insistir no seu estranho processo a favor do chamado "grito dos excluídos", que na verdade são os "incluídos da ordem petista". Os milhares que saíram às ruas, com raras exceções, não têm partidos, não pertencem a grupos, não reconhecem um líder, não seguem manada, não se comportam como bando e não empunham bandeiras vermelhas.
Os milhares que saíram às ruas estudam, trabalham, pagam impostos, têm sonhos e querem um país melhor, estão enfarados da roubalheira, repudiam a ignorância, a pilantragem, lutam por uma vida melhor e sabem que a verdadeira conquista é que se da pelo o esforço.
 Os milhares que saíram às ruas não agüentam mais o conchavo, têm asco dos vigaristas que tomaram de assalto o país e não acreditam mais na propaganda oficial, repudiam a política como o exercício da mentira, chamam de farsantes os que, em nome do combate à pobreza, pilham o país, dedicam-se a negociatas, metem-se em maquinações políticas distantes do interesse público.
Os políticos não apareceram, não tomaram parte nas manifestações, ainda não se deram conta de que "alguma coisa está em gestação, de que um movimento está em curso, de que algo se move no ventre da sociedade brasileira".
Os milhares que saíram às ruas no dia sete de setembro, tratados com desdém pelos telejornais, fizeram a maior manifestação contra o regime petista em seus nove anos de duração.
Observa-se que existe uma tentativa de desqualificação pela mídia, ao fazerem pouco caso dos sem-partido, do povo.
Mas é inútil! Ao julgar pelo que houve em Brasília e em outras cidades, os sem-partido continuarão insistindo.
A oposição, se quiser, que se junte a eles. Quem sabe até ela aprenda a ser livre e assume atitudes claras, bem definidas. Quem sabe, até mesmo, ela passe a integrar o movimento para a adoção do voto distrital no país, única maneira viável da nação ficar livre desses dinossauros do poder, que se constituem em um enorme entrave ao progresso e representam um passado do qual precisamos nos livrar.
Tarcísio Brandão de Vilhena

07/10/2011. NOITE DE AUTÓGRAFOS COM GIOCONDA LABECCA E TELMA SOARES.

Fiquei muito honrado com o convite recebido da amiga Telma.
Claro que estarei lá para prestigia-la e para rever a amiga Gioconda Labecca.
 
 
A ONG Sebo Cultural e Prefeitura Municipal da Campanha, 
por meio da Secretaria de Cultura convida para a Noite de 
Autógrafos das escritoras Gioconda Labecca e Telma de Fátima 
Soares. O evento é parte integrante das comemorações dos 274 anos 
da cidade.

Dia 7 de Outubro (sexta-feira)
Horário: 19 horas
Local: Biblioteca Municipal Cônego Vitor

Gioconda Labecca - http://pt.wikipedia.org/wiki/Gioconda_Labecca 
Atual presidente da Academia de Letras da Grande São Paulo, 
com sede em São Caetano do Sul/SP.- estará em Campanha, 
autografando o 25º livro de sua autoria "Réquiem para a saudade".

Anualmente, a ONG Sebo Cultural realiza o Concurso Gioconda 
Labecca. Veja o resultado da classificação de Sonetos e Poesias no 
5º Concurso 2011: 
http://sebocultural.blogspot.com/2011/09/sonetos-e-poesias-classificados-no-5.html

Telma de Fátima Soares, também campanhense, estará autografando 
seu livro de poesias "Me dê a mão".
Carrega historias de amor, as vezes comuns de todos nós.
Fala de sonhos, desejos, esperanças, saudades...
Uma forma simples de olhar para dentro de nós.
Trás também mensagens cristãs que nos  
convida a sermos melhores do que somos,
Á assumir as responsabilidades das nossas próprias atitudes.
Nos faz olhar para nós e para os outros com mais carinho.
Que esses poemas não sejam somente palavras e sim flores 
plantadas em nossas almas. 

SITE OFICIAL DA CAMPANHA-MG

AOS AMIGOS LEITORES, QUE PEDEM PARA CONHECER AS COISAS DA NOSSA CAMPANHA, VISITEM O SITE OFICIAL DA CIDADE E INTERAJAM. A SUA PARTICIPAÇÃO É MUITO IMPORTANTE.

José Milton

O HORÁRIO DE VERÃO, ESTÁ CHEGANDO.

O horário de verão 2011 começará a partir de 0h do dia 16 de outubro de 2011.
Portanto no sábado dia 15 de Outubro quando for deitar adiante o seu relógio em 1hora porque, quando você acordar no domingo 16, já é o novo horário.
Consequentemente quando for no dia 18 de fevereiro, sábado, faça o inverso, atrase seu relógio em 1h, pois quando você acordar no domingo dia 19 de fevereiro de 2012, o horário já voltou ao normal.
Isso de acordo  um decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2008, o horário de verão terá inicio sempre no terceiro domingo de outubro e acabará sempre no terceiro domingo de Fevereiro de cada ano. SE LIGA..!

OBRA DA GENIAL MARIA MARTINS

Minha amiga Débora Andreatta, que hoje reside na linda Poços de Caldas, lembra sempre dos amigos principalmente quando viaja. Vejam só, o que ela encontrou em seu último passeio. Uma das obras primas da genial campanhense Maria Martins.

Olá José Milton,
estive em Buenos Aires onde visitei o museu MALBA e fiquei muito feliz ao ver exposta uma obra de Maria Martins, campanhense.
Esta obra faz parte do acervo do museu. É linda. Está atualmente compondo a exposição comemorativa dos 10 anos do museu.
Veja você mesmo através do link abaixo.

http://www.malba.org.ar/web/coleccion_obra.php?idobra=82

 Se o link não funcionar, copie e cole no seu navegador.

Abraço

Déborah

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

OS CAMPANHENSES LUTHIER.

 Campanha sempre foi pródiga em talentos artísticos. No início do século passado nós tinhamos aqui o luthier Adolpho Pinto de Almeida, um artista na construção e na restauração de vários instrumentos musicais. E ele não só fazia ou reformava, como também afinava e tocava vários instrumentos.
 Depois do senhor Adolpho, quase contemporâneo, foi a vez do senhor Benedito Batista Pereira, pai do nosso atual Luthier José Carlos Borges Pereira. Um verdadeiro mestre na arte de construir e de reparar qualquer instrumento musical. Aliás José Carlos, não só faz reparos de instrumentos musicais como de outras relíquisas como os carrilhões, relógios de torres e outros. Se você tem um "trem" encarvado ai em sua casa, pode ficar tranquilo que agora, acabou de conhecer quem vá dar um jeito nisso. Veja só este amontoado de madeira que ele está mexendo. Logo, isto vai virar um piano e vai para Eloi Mendes. Depois, José Carlos ainda vai até lá para afinar e deixar prontinho para uso.

ROMARIA DE CAMPANHA À TRÊS PONTAS, NO DIA DE PADRE VICTOR.

O Reitor do Seminário Nossa Senhora das Dores da Campanha, Padre Rogério Ferreira da Silva, mais uma vez foi de Campanha a Três Pontas com um grupo de seminaristas, devotos de Padre Victor. A saída foi dia 21, do Seminário.
 Vamos fazer uma pose, para guardar de lembrança. Afinal não é todo dia que fazemos uma caminhada assim.
 Em pequenos grupos, os romeiros aproveitavam para uma reflexão sobre a vida daquele que um dia foi seminarista como eles.
 Uma pausa para o descanso. Afinal, ninguém é de ferro.
 Olha ai gente, uma lembrança do nosso grupo.
 A beleza da topografia mineira, é um colírio para a vista e um bálsamo para a nossa alma.
 Já estamos chegando, agora o caminho é de asfalto, vamos andar melhor.
 Depois de uma noite de repouso, as energias estão renovadas para a chegada.
 Finalmente estamos no trevo de Três Pontas.
 Só mais um pouquinho e cumprimos o nosso papel com fidelidade.
 Agora, pra descer todo santo ajuda.
No Seminário em Campanha a devoção à Padre Victor está sempre presente.
Pelo relato de alguns participantes, este é um momento único em nossas vidas. É a oportunidade, de agradecermos à Deus pelo cominho que escolhemos, de lembrarmos da vida sofrida de Padre Victor até se ordenar, de nos espelharmos nele, nas suas virtudes, no seu trabalho, na sua dedicação, no seu exemplo de vida.

OS LEITORES QUESTIONAM. QUEREM PARTICIPAR DA NOSSA VIDA.


Pelos questionamentos que os leitores deste blog faz, nós percebemos a preocupação que as pessoas têm para com Campanha. É importante que vocês se manifestem, para que nossas autoridades possam perceber que apesar de já se fazer algo, ainda tem alguns pontos que são muito importantes e que deveriam ser levados mais em consideração. Logo abaixo passo as pessoas interessadas, alguns e-mails para que questionem diretamente com as pessoas responsáveis. Todos os endereços abaixo são de pessoas sérias, que tem conhecimento dos assuntos abordados e que poderão trocar idéias com vocês, para o crescimento cultural da nossa região. Cliquem em comentários e fiquem por dentro dos questionamentos, que vem de todo lado. Bom para Campanha, não estamos tão esquecidos, temos uma importância e uma grande responsabilidade.

marcia.lemes@gmail.com.br – Secretária do Prefeito e do I.H.e Geográfico.
zoroastrodeoliveira@yahoo.com.br – Dir.Antonieta Ribeiro
eevitalbrasil2@yahoo.com.br – Dir. Lucia Helena
pretiaglycia@yahoo.com.br – Dir.Lília Bacha
emdom07@gmail.com – Dir.Márcia Mira
felizidade@uaisol.com.br – Dir. Renata Salomé
eedominocencio@yahoo.com.br – Dir. Maria do Carmo Marques Borges
eepbroquim@gmail.com – Dir. Márcia Furtado
cultura@campanha.mg.gov.br – Secretaria de Cultura
escola.171484@educacao.mg.gov.br – Dir. Lucia Helena
cesarhbarreto@yahoo.com.br – Dir. Coopercamp
cedecampanha@yahoo.com.br – Dir. Maria de Fátima Vilhena
imprensa@camaracampanha.mg.gov.br – Jornalista da Câmara
aandres@oi.com.br – Jornal Folha Campanhense
sandra_lemes@hotmail.com – Secretária de Cultura
belromanelli@gmail.com – Secretária de Educação

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

VAMOS PASSEAR?

No dia 29 de Outubro vamos fazer um passeio às cidades históricas de São João del Rei e Tiradentes. Um passeio delicioso, onde viajaremos no tempo. A saída está marcada para as 5 horas do dia 29 em Campanha e retornaremos no domingo a tarde. Será a sua oportunidade de viajar na Maria Fumaça de São João a Tiradentes. Ainda restam alguns lugares. Estou esperando a sua confirmação. Contatos pelo fone 35-3261.1380 ou pelo e-mail josemiltonjunqueira@gmail.com

A FAZENDA CASA NOVA.

O texto abaixo é de autoria da tia Zélia e foi lido por uma de suas netas. Na foto abaixo, o momento da leitura.
FAZENDA CASA NOVA
Família Junqueira
É a segunda vez depois que papai e mamãe morreram, que a nossa família está voltando a se reunir, para que não morra conosco as lembranças que temos da nossa infância.
Éramos 11 irmãos, 4 homens e 7 mulheres.  Já perdi 5 irmãos.  Por isso mesmo procuraremos reunir sempre os descendentes da família Junqueira.
Agora com esta reunião resolvi escrever alguma coisa lembrando coisas e fatos que se passaram quando era menina.
As primeiras lembranças da minha infância.
Na fazenda tinha muitas empregadas, mamãe ensinava tudo para elas, sempre soube ensinar e determinar muito bem ( brava ) os serviços da casa.  Assim como as empregadas eram ensinadas, nós também tínhamos que saber, todo o serviço a ser executado, pois mamãe dizia “ Para saber mandar é preciso saber fazer e bem feito”.  Naquela época acostumava-se criar meninas para ajudar nos afazeres domésticos, dentre elas a querida “Marião”.
Mamãe era quem determinava o que seria feito no almoço, jantar, café e sobremesa.
Nós não podíamos ficar dormindo.  Mamãe nos acordava e nos mantinha ocupadas, aliás sempre havia o que fazer.  Na fazenda a energia não era elétrica e sim através de um dínamo tocado a água.
Nós ouvíamos rádio, ouvíamos novelas, eu até chorava, era chorona e ainda sou.
Eu sou a do meio tem 5 prá cima e 5 prá baixo.  Sempre fui obediente e gostava de lavar louças, ainda pequena, colocava um banquinho perto da pia para ajudar.  Papai levantava também muito cedo.  Cainha era andeja, onde o papai ia, ela ia atrás, quando brigávamos era chamada de quatro olhos pois usava óculos.
A Ciaba cuidava do tear tecia cochas de lã o dia inteiro é muito habilidosa, era muito brava ( hoje não ), a Zota a ajudava no tear.
A Zota tinha o apelido de Birunga e Chatola, pelo seu biótipo, um dia brincando de correr com os irmãos,, foi pular a porteirinha da escada da varanda agarrou o vestido e caiu em cima do Valente ( cachorro ) e quebrou a perna, foi um auê.
A Nia era muito divertida, ela vestia um penhoar ( robe ) estampado e comprido, subia no  muro de pedras, abria a penhoar para procovar as vacas Correnteza e Parasita, elas nem podiam escutar a voz da Nia dentro de casa, e quando a Nia as provocava elas investiam em cima dela e a Nia saia correndo.
O boi Revoltoso não tinha muita simpatia pelo Beto, quando o via investia.
O Gigi, acho que queria ser inventor, furou uma bola para ver o que tinha dentro, desmanchava as coisas e montava novamente deixando várias peças sem colocar, mesmo assim funcionava.
O Mazinho e a Téia eram mais acomodados.  A Téia, a mais chique, vivia tranqüila, ela dizia que queria viver em época que se apertasse um botão tudo aparecesse em suas mãos, olha já era pensando em tecnologia.
A Bita vivia com um livro debaixo do braço e o rádio ligado, não gostava de afazeres domésticos, papai falava: esta vai ser deputada, muito calma tranqüila, na dela.
O mais cocorado era a rapa do tacho. O Zezé , que quando combinava para viajar, nem dormia, a qualquer hora ele falava , vamos sair agora? E saia mesmo, não tinha paciência de esperar, isto até hoje.  Aproveitou o máximo.  Era meio sem juízo, levava a sobrinhada para a currutela.
À tarde na fazenda papai e mamãe ficavam sentados no alto da escada, observando a criançada brincarem no terreiro de pedra, brincávamos de pique, peteca, bola, forno, etc.  Quando brincávamos de forno, papai falava: boca de forno, respondíamos – forno, fareis tudo que seu mestre quiser, faremos, quem não fizer tomará um bolo ( tapinha na mão ), saíamos todos correndo quem chegasse por último tomava o bolo.
Também brincávamos de pique dentro de casa, mamãe não se importava da correria, o pique acontecia a qualquer hora, como a casa era muito grande tinha duas alcovas ( quarto sem janela ), onde se guardavam malas, sacolas, colchões a maior.  Beto gostava de esconder lá, enfiava embaixo dos colchões e deixava o bumbum prá cima.
Tia Celina morava lá em São Paulo , e vinha passar as férias inteiras com as primas Antonieta e Celi.  Celi vestia umas roupas engraçadas e fazia um espécie de teatro que via na televisão em São Paulo , divertíamos muito.
Teve uma ocasião que papai estava com os empregados fazendo um desvio do córrego, e nós todos lá vendo, o Beto jogou uma pedra na água, vindo espirrar nele, então o côro comeu em todos, aliás, quase todos, Beto correu e escondeu embaixo da cama, mais tarde apareceu dizendo não ter apanhado, aí apanhou dobrado.
Na fazenda tinha o dia das quitandas, mamãe levantava cedo com as empregadas para colocar fogo no forno grande.  Amassavam tudo: biscoito capitão, broa, pão de queijo, biscoito seco, biscoito espremido, umas 3 ou 4 variedades de rosquinhas.  Quando o forno estava temperado, todos ajudavam a enrolar, tinha que ficar todos do mesmo tamanho.  Era o dia inteiro.  Mamãe casou cedo, e aprendeu tudo com a vovó Mariquinha.  Papai adorava biscoito capitão ( biscoitão ), mordia nas duas pontas colocava na xícara com café e chupava.
Era na passagem da horta que fazia os doces, marmelada, pessegada, goiabada, vinham as frutas em cargueiro.  Várias pessoas ajudavam a descascar e mexer o tacho ( os doces eram colocados em caixetas e duravam o ano inteiro ). Na hora de raspar o tacho, era uma festa, acho que era o doce mais saboroso.
Na mesa da cozinha também se preparava porco, já ia morto, sapecado somente as bandas.  Então era separada a carne de panela, a lingüiça e o toucinho moído e frito para gordura.
Agora vamos falar em estudos, colégio interno, Beto estudou em Itajubá, Mazinho e Zezé Marista em São Paulo , levados pelo tio José Carlos que arrumou para eles estudarem lá.
Mazinho formou-se na Esal em Lavras.  Gigi estudou em Niterói e Lavras.
Vamos para as mulheres, todas Varginha, Santos Anjos internato.
Primeiro foi a Téia ( canastra, roupas de cama e de vestir, camisolas ), depois a Nia, a Cainha,eu, Zota, Iau e a Bita.  Esta muito pequena +/- 5 anos, foi para desmamar e ir se acostumando, eu cuidava dela.  Pela manhã levantávamos às 5  horas, tomávamos banho frio, eu corria arrumava a minha cama e a da Bita, trocava de roupa e vestia a Bita também, colocava até os sapatos.  Corríamos para a missa em jejum, a Zota chegava passar mal pelo jejum, após a missa refeitório, para aquele café com leite, um copinho e um pãozinho, mal dava para forrar o estômago.
Aí cada uma ia para sua sala de aula, após as aulas íamos para o refeitório para aquele almoço, depois recreio, voltamos para a sala de aula, ficávamos até as 17 horas. Saímos e íamos fazer os deveres até a hora do jantar.  Às 20 horas subíamos para o dormitório.  Lembro-me que nesta hora chegava um trem apitando, eu chorava de saudades de casa, íamos só nas férias.
Eu adorava leite ( até hoje se não tiver um leitinho, eu morro), os pais de uma colega levava leite em uma garrafa.  Enquanto elas iam colocar as camisolas, eu corria até a cozinha e bebia no gargalho, e voltava correndo como quem não quer nada.  Ficava com a consciência pesada.  Confessei com Padre João, ele me deu razão, porque estava com fome, mas pediu para eu beber pouco.
Nesta época a aluna interna mais antiga era oradora da turma, como era eu, sobrou para mim, fazer o quê?  Formei em magistério.
Papai gostava de ir uma vez por ano em Aparecida do Norte, mal saiamos para viajar ele já começava a merendar.  Chegando lá colocávamos as malas no hotel ( Recreio ) e íamos para a igreja.  Acabava de rezar, ele falava, podemos ir embora já estou pronto.
A fazenda era enorme café, leite, papai deu uma fazenda para cada filho, a Ciaba que não era casada, ficou com a casa da cidade, ela não tinha marido para cuidar das terras segundo ele.
Assim foi minha infância.
Saudades desses tempos,
                                               Zélia. 

DR GUSTAVO NO GRUPO BEM VIVER



Através da gestora de saúde municipal Marina Vilhena, o Grupo Bem Viver recebeu na última quarta-feira, a visita do Dr. Gustavo Francisquini falando dos cuidados que devemos ter com os acidentes na terceira idade. Não é novidade para ele a ausência de homens em grupos como o nosso. Sorte das mulheres. Graças a este tipo de atividades, delas buscando mais informações, mais qualidade de vida é que elas conseguem sofrer menos acidentes e alcançar maior longevidade. No mês de Outubro teremos a ginástica oriental da Alicinha, o Dr. Alberto e em Novembro a nutricionista Ana Paula.

CASA DA CRIANÇA DA CAMPANHA

 Conversando com as mães que tem filhos na Casa da Criança, ouvi delas, a gratidão à esta instituição, que possibilita a oportunidade de voltarmos a trabalhar.
 A Casa da Criança, nos da a tranquilidade, que a gente precisa para trabalhar. Sabemos que nossos filhos estão em boas mãos.
Na noite de confraternização do 48º aniversário da Casa da Criança, observem a fisionomia das crianças e das mães. Com todas que conversei, elas se sentem muito tranquilas com seus filhos nesta casa. "Podemos trabalhar tranquilas".

 Dona Geogina do Couto com as damas de caridade da Campanha e as irmãs de Sion, finalmente consiguiram realizar o sonho de ter a Casa da Criança.
 Dom Othon Motta e a pianista Dulcemar Lafaille Silva, dois do grandes colaboradores para a realização deste sonho.
 A pianista Dulcemar em sua visita`a Casa da Criança, quando veio trazer a sua generosa contribuição.
 Irmã Afonsita de Sion ao lado de uma das mães com suas filhas, atendidas na casa.
 A diretoria da Casa da Criança, recebe na casa do presidente Vinícius de Morais, a visita de Dulcemar Lafaile Silva a grande benemérita da casa, quando veio à Campanha trazer o prêmio que ganhou na TV Tupi no Programa O Céu é o Limite, de J.Silvestre. Ela respondeu sobre a vida de Johan Sebastian Bach sem errar uma pergunta e conquistou o prêmio de 20.000,00 (Vinte mil cruzeiros) e veio até Campanha no dia 29 de dezembro de 1969 fazer a entrega pessoalmente.

 Dom Othon Motta foi outro grande benemérito, através de seus pedidos, recursos financeiros foram conseguidos junto a organização Miséreor dos bispos alemães.
 A religiosidade era uma preocupação dos dirigentes católicos. Na foto, 14 crianças são batizadas pelo vigário Padre Fuhad
Trabalhos manuais, que são feitos hoje pelas crianças da casa.Esta é uma das atrações que você poderá visitar ainda hoje, quando teremos o fechamento das comemorações dos 48 anos de fundação da Casa da Criança. Foram inúmeras as pessoas que durante anos se entregaram aos trabalhos lá realizados. Cumprimentando a atual diretoria:
Presidente: Ana Lúcia Ferreira Alves Dias
Vice – Presidente: Maria José Alves Fernandes - Zeza
Coordenadora Geral: Gilzana Aparecida Rodrigues
Vice – Coordenador: Renilda Marfeli Ribeiro
1° Secretário: Nízia Maria Villamarim Tegon
2° Secretário: Cláudia Maria Costa Borges
1° Tesoureiro: Simone de Castro
2° Tesoureiro: Heloísa Helena Limoeiro Muller - Lelena,
cumprimento a todos, que de alguma forma, durante anos deram a sua contribuição para o bom andamento desta instituição. Que Deus em sua infinita bondade abençoe a todos.
Visitem, conheçam e colaborem com esta grande obra, que atende diariamente a quase cem crianças.