Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

INDU JAZZ. Ô Conjunto musical da Campanha em 1939.

Este conjunto é o campanhense Indu Jazz em 1939. Só pelos instrumentos e pelo que conhecemos de alguns, deveria ter um som de primeira. Quem conhecer, por favor me mande os nomes dos que você reconheceu. Temos ali o Verdi, Dunga, Benedito Chatinho e Walter Sales. A cada foto que publico fico mais indignado de não termos nada disto hoje.

sábado, 30 de julho de 2011

ORGIA E NADA MAIS. Carnaval campanhense de 1939.

O tempo passa, os nomes mudam, mas o Carnaval continua o mesmo. Vocês tem ideia, quem seja o bigodinho de terno branco no centro da foto entre o seu Dunga e o Walter Sales. Estas eram as Piranhas do Carnaval de 1939 em Campanha. Banda carnavalesca Orgia e nada mais.

A China do Futuro e o Futuro é hoje...vale uma reflexão.

Para refletirmos e começarmos a agir:


A China do Futuro e o Futuro é Hoje...

A  verdade é que agora, tudo o que compramos é Made in China.
........Eis um aviso para o futuro!
Mas quem liga para esse aviso?
Atualmente ....Ninguém !
Agora é só ....aproveitar E APROVEITAR ...!
E depois como será para os nossos filhos ?

JÁ PENSOU COMO FICARÁ A CHINA DO FUTURO?


Luciano Pires é diretor de marketing da Dana e profissional de comunicação


Alguns conhecidos voltaram da China impressionados.
Um determinado produto que o Brasil fabrica em um milhão de unidades, uma só fábrica chinesa produz quarenta milhões...
A qualidade já é equivalente. E a velocidade de reação é  impressionante.
Os chineses colocam qualquer produto no mercado em questão de semanas....
Com preços que são uma fração dos praticados aqui.

Uma das fábricas está de mudança para o interior, pois os salários da região onde está instalada estão altos demais: 100 dólares.
Um operário brasileiro equivalente ganha 300 dólares no mínimo que acrescidos de impostos e benefícios representam quase 600 dólares.
Quando comparados com os 100 dólares dos chineses, que recebem praticamente zero benefícios.... estamos perante uma escravatura amarela e alimentando-a...

Horas extraordinárias? Na China...? Esqueça !!!
O pessoal por lá é tão agradecido por ter um emprego que trabalha horas extras sabendo que não vão receber nada  por isso...

Atrás dessa "postura" está a grande armadilha chinesa.
Não se trata de uma estratégia comercial, mas sim de uma estratégia de "poder" para ganhar o mercado ocidental .

Os chineses estão tirando proveito da atitude dos 'marqueteiros' ocidentais, que preferem terceirizar a produção ficando apenas com o que ela "agrega de valor": a marca.

Dificilmente você adquire atualmente nas grandes redes comerciais dos Estados Unidos da América um produto "made in USA". É tudo "made in China", com rótulo estadunidense.

As empresas ganham rios de dinheiro comprando dos chineses por centavos e vendendo por centenas de dólares...
Apenas lhes interessa o lucro imediato e a qualquer preço.
Mesmo ao custo do fechamento das suas fábricas e do brutal desemprego. É o que pode-se chamar de "estratégia preçonhenta".

Enquanto os ocidentais terceirizam as táticas e ganham no curto prazo, a China assimila essas táticas, cria unidades produtivas de alta performance, para dominar no longo prazo.

Enquanto as grandes potências mercadológicas que ficam com as marcas, com o design...suas grifes, os chineses estão ficando com a produção, assistindo, estimulando e contribuindo para o desmantelamento dos já poucos parques industriais ocidentais.

Em breve, por exemplo, já não haverá mais fábricas de tênis ou de calçados pelo mundo ocidental. Só haverá na China.

Então, num futuro próximo veremos os produtos chineses aumentando os seus preços, produzindo um "choque da manufatura", como aconteceu com o choque petrolífero nos anos setenta. Aí já será tarde de mais.
Então o mundo perceberá que reerguer as suas fábricas terá um custo proibitivo e irá render-se ao poderio chinês.

Perceberá que alimentou um enorme dragão e acabou refém do mesmo.
Dragão este  que aumentará gradativamente seus  preços, já que será ele quem ditará as novas leis de mercado, pois será quem manda,  pois terá o monopólio da produção .

Sendo ela e apenas ela quem possuirá as fábricas, inventários e empregos é quem vai regular os mercados e não os "preçonhentos".

Iremos, nós e os nossos filhos, netos... assistir a uma inversão das regras do jogo atual que terão nas economias ocidentais o impacto de uma bomba atômica... chinesa.

Nessa altura em que o mundo ocidental  acordar será muito tarde.

Nesse dia, os executivos "preçonhentos" olharão tristemente para os esqueletos das suas antigas fábricas, para os técnicos aposentados jogando baralho na praça da esquina, e chorarão sobre as sucatas dos seus parques fabris desmontados..

E então lembrarão, com muita saudade, do tempo em que ganharam dinheiro comprando "balatinho dos escravos" chineses, vendendo caro suas "marcas- grifes" aos seus conterrâneos.

E então, entristecidos, abrirão suas "marmitas" e almoçarão as suas marcas que já deixaram de ser moda e, por isso, deixaram de ser poderosas pois foram todas copiadas....

REFLITAM E COMECEM A COMPRAR - JÁ-  OS PRODUTOS DE FABRICAÇÃO NACIONAL, FOMENTANDO O EMPREGO EM SEU PAÍS, PELA SOBREVIVENCIA DO SEU AMIGO, DO SEU VIZINHO E ATÉ MESMO DA SUA PRÓPRIA... E DE SEUS DESCENDENTES.






Não valorize apenas preço e qualidade!
Valorizem o produto nacional!
Influencie outros a mudarem seus conceitos como consumidor!
Pense num futuro próximo (2 a 5 anos)!


'O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons...'


sexta-feira, 29 de julho de 2011

Entrevistas. Aguardem...

Na próxima semana estaremos publicando uma entrevista com a senhora Isabel Romanelli que, é a secretária de educação da Campanha. Ela vai nos contar como está a educação em nossa cidade.
Aguardem

Uma outra entrevista, também para a próxima semana será com o professor Fernando Nani que vem há sete meses trabalhando com o Meio Ambiente local.
Informações muito importantes, ele estará nos passando.

Banda Dom Ferrão da Campanha em 1939

Olha ai gente, a Banda Dom Ferrão da Campanha em 1939.
Já naquele tempo estavam la que eu reconheci: Tio Fausto, seu Ari do cinema, seu Dunga e o maestro Walter Sales.
Se vocês indetificarem mais alguém, me retorne para que possamos colocar os nomes.
A foto foi tirada em frente a Catedral antes de virarem a estátua para a praça.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

BLOCO EU VI , NA CIDADE DA CAMPANHA EM 1938.

Em 1938 havia um bloco carnavalesco na cidade da Campanha que, se chamava EU VI. Naquela época o seu presidente era Avelino Domingues e a sua sede na casa que pertence hoje a família Andriele Andriatta.
Devia ser uma época muito boa, muito animada, pois as conversas que temos com pessoas que viveram aqueles tempos, é só elogio.

COMO NÃO SE DEVE VIVER, NEM MORRER.

Como não se deve viver, nem morrer
Pedro Alberto Skiba
 
A morte de Amy Winehouse, divulgada em todo mundo como prematura, talvez era uma das notícias mais esperadas pela própria imprensa e pelos seus fãs. 
Como está na moda, uma tragédia anunciada.
Nascida de família pobre, teve as chances e oportunidades com que milhões de jovens sonham por este mundo afora.
Teve tudo que queria, aos seus pés a fama, o glamour, o dinheiro, o poder, a sedução.
Misturou tudo e se lambuzou.
Desculpem-me seus fãs, e eu também era.
Foi a única voz que tive gravada em meu celular. Agora entre gostar da voz e “adorar” e enaltecer seus falsos valores, vai uma diferença muito grande.
Nada lhe faltou a não ser o principal: “FAMÍLIA”...presença contínua de pai e mãe.
Onde estava a família enquanto ela era aplaudida e se drogava?
A família é presença  indispensável na vida de cada um de nós,quando conquistamos um título,diploma e principalmente na  daqueles que conquistam a fama.
Ah!
Mas ela será lembrada para sempre.
Por quem?
Vivi a era de Elvis, gosto de suas músicas, mas a dizer que foi um exemplo, seria uma hipocrisia muito grande.
Me proporcionou momentos alegres como uma cantora que para mim foi uma das melhores, mas que também teve o trágico fim consumida pelas drogas: Elis Regina.
Quantos hoje Lembram e  a veneram? 
Ah!! Mas os grande ídolos vivem até os 27 anos dirão aqueles que idolatram estes deuses de barro.
Sim vivem tão pouco, porque não sabem viver.
Não têm os pais com quem dividir as alegrias e não sabem repartir a fama com aqueles que os tornaram famosos:Os fãs.
Ganham dinheiro com tanta facilidade que acabam gastando com futilidades, drogas, bebidas, e drogas.
Talvez nem sexo seja o maior prazer para eles embora seja a melhor invenção feita até hoje, mas que também oferece riscos quando mal usado.
Tenho um amigo que diz: “AIDS, um dia ainda morro disso, mas não largo mão”.
Espero poder depositar algumas flores no seu túmulo e mandar escrever em seu jazigo “Aqui mora mais um trouxa que comeu, e se f....”
Mas voltemos ao caso da Amy.
Fiquei estarrecido ao ler que jovens depositam em frente ao local onde ela morreu garrafas e copos.
Esqueceram de plantar um pé de cana,  de maconha, um mini laboratório para refino de coca e da mistura do crack”.
Gente! Que inversão de valores.
O que esperar desta geração que faz disso uma divindade.
Por que não lhe oferecer preces e luzes.
Ela que foi tão iluminada pelos holofotes e flashes das ribaltas, viveu na escuridão de sua alma.
Porque não viver mais e ser lembrada por mais tempo como quem ajudou alguma instituição já que lhe sobrava dinheiro?
Quanto asilos, crianças morrendo de fome? Hospitais precisando de recursos.
Ela não tinha uma profissão de risco como automobilistas, pilotos e que para viverem mais procuram manter a forma física.
Quantas outras centenas de famosos, sem terem sido idolatrados, viveram, e continuam sendo exemplos positivos. 
Muitos ainda nem precisam ser lembrados pois estão presentes mostrando que a vida é o melhor salário.
Wine, que Deus saiba te receber, que sua voz seja perpetuada, mas que teu exemplo não seja seguido.
O dia de hoje é a sementeira, e as suas ações, as sementes.
A terra está pronta para recebê-las, e só depende de você.
Colher flores perfumadas e belas, não importa quanto tempo vai demorar, ou espinhos e cipós que enroscam a vida, é sempre muito rápido.

terça-feira, 26 de julho de 2011

CONJUNTO DO OVÍDIO GRILO EM 1938

Este era o Conjunto musical de Ovídio Grilo em 1938. Não sei porque a cara séria destes músicos, mas dizem que quando começavam a tocar, ninguém conseguia ficar parado.

sábado, 23 de julho de 2011

Os Milicianos. este grupo nada tinha a ver os milicianos que a gente ouve falar hoje em dia.
Dizem que era um grupo musical da melhor qualidade e que costumava tocar na estação ferroviária em determinados horários de chegada do trem. Era uma maneira de dar as boas vindas aos nossos visitantes.
O músico do clarinete era o tio Fausto Araújo que, além de músico era um senhor ator de teatro.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

JAZZ BAND - CAMPANHA MG 1931

Este é o Jazz Band em 1931 da cidade da Campanha. Que coisa de louco deveria ser. Naquela época a rapaziada tocando uma música de qualidade, se apresentando em nossas festas. Só de olhar para os músicos e seus instrumentos a gente chega até a ouvir um belo jazz.

quinta-feira, 21 de julho de 2011

SEXTETO POMPEU EM 1924.

A música começava cedo nesta casa. Marcelinho, José Luiz, Marcelo Pompeu, Ilza, Nenzinha e Lucília. Muito do que temos de música em Campanha hoje devemos à eles.
Sr. Marcelo e dona Nene deram uma educação rígida para seus filhos, sempre voltado para a música. Não por acaso que José Luiz foi professor de música em Belo Horizonte durante muitos anos e Marcelinho o 1º violino da Orquestra Sinfônica Brasileira e da Globo. Já as meninas ficaram por aqui e graças aos arranjos e maestria de dona Ilza e Lucília temos ainda hoje o Coral Campanhense fazendo sucesso há décadas.
Equipe de Voleibol do Grêmio em 1969: Treinador Lano, Claudia Rezende, Gracinha Caram, Adricéia Andriata, Rosa Alves, Palmira Nunes , Mônica Tenório e Dudu.
Caia, Eliane Miranda, Tunica e Fátima Salomé.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

terça-feira, 19 de julho de 2011

CONJUNTO DE BANDOLIM DE CAMPANHA.

O maestro Antônio Bernardino em 1916, tinha um conjunto de bandolim aqui na cidade da Campanha.
Vejam o que da a falta de preocupação com a nossa história, nosso folclore e com a nossa música.
Alguém hoje em Campanha toca bandolim?

segunda-feira, 18 de julho de 2011

GRUPO BEM VIVER COMEMORA 9 ANOS




Nesta segunda-feira (18.07) parte do Grupo Bem Viver marcou presença nas comemorações do 9º aniversário de fundação. Às 19h:00min. foi celebrada uma missa pelo Monsenhor José Hugo na Catedral.
A seguir fomos para a Pizzaria do Coquinho onde foi servida uma deliciosa rodada de pizzas. Um lugar aconchegante , onde sempre fomos muito bem recebidos. Neste 9 anos dezenas e dezenas de pessoas passaram pelo nosso grupo deixando sempre um grande aprendizado e a  satisfação desta convivência.

MÚSICOS CAMPANHENSE EM CAMBUQUIRA

Em 31 de janeiro de 1910, um grupo de músicos da Campanha se apresentou no Clube dos Veranistas em Cambuquira - MG.

sábado, 16 de julho de 2011

DE A SUA OPINIÃO

Estamos preparando um site para divulgar a nossa região para o mundo.
Quem somos nós? Onde estamos? O que fazemos? A nossa cultura. As nossas tradições. A nossa história...
Será um site cultural, turístico, histórico, social, entrevistas, eventos, lazer...
Sugestão 1 - A GRANDE CAMPANHA. Por que? Porque pretendemos falar da nossa história desde a Vila da Campanha da Princesa que era todo o Sul e Sudoeste de Minas e um pedaço de São Paulo, na região de Franca.
Sugestão 2 - PRONCOVO. Por que? Esta é em mineirez que traduzindo quer dizer, Pra Onde é que eu vou. Um vez que pretendemos trazer muitos turistas para a nossa maravilhosa região. Turismo histórico, religioso, cultural, artesanal, empresarial, esportivo, artístico, gastronômico,...
E então ? Participe de a sua sugestão. Vamos mostrar a nossa cara para o mundo.
Você pode responder no campo comentário ou pode mandar para o meu e-mail jmfenix@uaisol.com.br
Grato pela atenção.

A BANDA DO GINÁSIO.

Esta é a banda do Ginásio em 1915.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

FEIRA DO LIVRO 2011. FLIC

A ONG Sebo Cultural realiza, anualmente,  a FLIC - Feira do Livro de Campanha/MG. Em 2011, a 11ª edição foi dedicada aos 184 anos de nascimento do Padre Victor (Francisco de Paula Victor - Servo de Deus), nascido em Campanha/MG em 12 de Abril de 1827 e falecido em Três Pontas/MG em 23 de Setembro de 1905) e aos 130 anos de nascimento do 2° Bispo Diocesano da Campanha Dom frei Inocêncio Engelke, ofm (1881-1960).
Veja vídeo em: www.youtube.com/watch?v=j1a1v4dIYmo

Na sexta-feira a FLIC recebeu o Grupo Folclórico Dom Inocêncio coordenado pelas professoras Maria do Carmo Marques Borges e Margarida Sá. O Grupo Folclórico Dom Inocêncio é um Projeto Permanente da Escola Estadual Dom Inocêncio, que nasceu da necessidade de transformar alunos infrequentes, apáticos e indisciplinados em alunos presentes, participantes no dia–a-dia da escola. Muito aplaudido o Grupo apresentou a peça gaúcha “Chimarrita” e também a dança dos marungos. Conheça mais o Grupo Folclórico no blog - http://eedominocencio.wordpress.com/
Veja vídeo em: www.youtube.com/watch?v=1br0HNCeiAs

Geraldo Rodrigues Nogueira, vice-presidente da ONG Sebo Cultural brindou a todos com várias intervenções literárias, declamando sonetos e poesias de Vinicius de Moraes, Carlos Drummond e Raimundo Correia.
Veja vídeo em: www.youtube.com/watch?v=zymrwU9ztJM

Veja fotos da 11ª FLIC
http://flic-feiradolivrodecampanhamg.blogspot.com/2011/05/fotos-da-11-flic-feira-do-livro-em.html

http://flic-feiradolivrodecampanhamg.blogspot.com/2011/05/fotos-da-11-flic-feira-do-livro-em_16.html

Agenda 2012 – Programada para os dias 10 a 13 de maio de 2012 a realização da 12ª FLIC dedicada ao Ministro Alfredo de Vilhena Valladão

Sempre houve um Sales na música da Campanha

Parte da Corporação Musical Dom Pedro II em 1900. Naquela época já havia um músico Sales na música da Campanha. Era José Maria Sales o do baixo.

Semana Santa em Campanha. Vale a pena visitar.


Visitem o link abaixo e conheça a Semana Santa da Campanha - MG - Brasil
Um trabalho realizado pela Dra.Suzel  Reily professora de etinomusicologia na Queen's University Belfast - UK e Toninho Ribeiro.

http://www.youtube.com/watch?v=920oEG6DyW0




quinta-feira, 14 de julho de 2011

CAMPANHENSE FOI GOVERNADOR DO PARANA. VOCÊ SABIA?

Contando com a colaboração de Rubens Ramos de Oliveira, encontramos mais um campanhense ilustre.

Américo Lobo Leite Pereira

Américo Lobo Leite Pereira, filho do professor e comendador Joaquim Lobo Leite Pereira e de Ana Leopoldina Lobo Leite Pereira, nasceu a 28 de junho de 1841 na cidade de Campanha (Campanha da Princesa), Sul de Minas Gerais.

Descendente pelo lado paterno das famílias Lobo Leite Pereira e Coelho Seabra e pelo lado materno das famílias Lopes de Araújo e Toledo Pisa, foi casado com Manoela Urbana de Queiroz Lobo, cujos pais pertenciam às famílias Rezende e Barrios Bueno (o casamento foi realizado em 1864).

Era irmão do notável engenheiro Francisco Lobo Leite Pereira, antigo comandante da Escola Central (hoje Escola Nacional de Engenharia), (anteriormente Escola Politécnica do Rio de janeiro); de Fernando Lobo Leite Pereira (deputado, senador, antigo Ministro das Relações Exteriores e da Justiça e Negócios Interiores do Governo do Marechal Floriano Peixoto, constituinte de 1891 e vice-presidente do Banco do Brasil em 1895, de que foi posteriormente diretor) e de Joaquim Lobo Leite Pereira, médico, propagandista da República, jornalista, etc.

Aos 15 anos de idade perdeu seu pai e assume, como primogênito, a chefia da família. Logo, em seguida, falece sua mãe.

Diz Múcio Leão (Jornal do Brasil de 22.10.1937) “Fernando Lobo, juntamente com seus dois irmãos mais velhos, fez curso secundário no Seminário de São Bento, no Rio de Janeiro”. Entretanto, o Ministro Alfredo Valadão, na sua conferência no Instituto dos Advogados, por ocasião do centenário de nascimento de Américo Lobo, declama “feitas as humanidades na terra natal”.

O estudo da língua latina, cujo perfeito ensino constituía a base de Athenas Sul-Mineira, abriu sua inteligência lúcida e imaginosa, precocemente revelada, e assim se familiarizou com as Orações de Cícero, as Odes de Horácio, as Bucólicas, as Geórgicas e a Eneida de Virgílio. Américo Lobo segue logo para São Paulo, onde se matricula, afinal, na Faculdade de Direito. Faz um curso brilhante. Bacharelou-se em 13 de dezembro de 1862. Quatro meses depois, nomeado Juiz Municipal e de Órfãos de Pouso Alegre (MG). A 30 de setembro de 1865, removido para o Termo de Rio Pardo. Em 1867, pediu demissão do cargo, empolgado que estava pela política, sendo eleito deputado geral pelo 5º Distrito de sua Província natal, fazendo parte das hostes liberais. Dissolvida a legislatura, voltou para Campanha. Onde instalou sua banca de advogado, transferindo-se em 1870 para a cidade de Leopoldina.

Abraçando a causa republicana, regressou, sem tardança, à política, fez a propaganda da Republica e da Abolição, com toda a força de sua inteligência e do seu espírito combativo.

Proclamou a República, por Decreto de fevereiro de 1890, nomeado governador do Estado do Paraná, em substituição do Dr. Uladislau Herculano de Freitas Guimarães, mas por breve período, seis meses. Exonerou-se a 01 de agosto, para candidatar-se à Constituinte, já atritado com o governo central por haver criado barreiras fiscais entre os Estados do Paraná e Santa Catarina. Eleito em 15 de setembro, ainda em 1890, foi senador pelo Estado de Minas Gerais, durante três anos.

Os Anais do Senado e a conferência do Ministro Alfredo Valladão, falam como cumpriu o seu mandato. A reforma monetária foi dos muitos projetos apresentados por Américo Lobo, pelo qual o nome da nova moeda seria o “cruzeiro” (Souza Costa, que criou o cruzeiro em 1942, não se esqueceu do nome daquele que o idealizou).

Em Decreto de 15 de outubro de 1894, foi nomeado, e a oito de dezembro tomou posse do cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal. Pela sua conduta no mais alto Tribunal do país, pelo brilho das sentenças e pelo espírito de justiça, Lúcio de Mendonça comparou-o a Magnaud.

Américo Lobo, não obstante à sua vida intensa, foi apaixonado cultor das letras. Poeta, escreveu mais de uma centena de poemas e sonetos. Traduziu, em alexandrinos a “Evangelina”, o “Canto de Hiawatha” e os “Poemas da Escravidão” de Longfellow; “Tartufo”, de Molière; “O Corvo”, de E. Poe; algumas bucólicas de Virgílio e outras poesias de autores franceses, ingleses, americanos em latinos. Traduziu também as Decisões Constitucionais de Marshall (Presidente do Supremo Tribunal dos Estados Unidos da América do Norte).

De Américo Lobo, disse, ainda Lúcio de Mendonça: “A lei, para ele, não podia ter a rigidez fria de uma régua, sim, mas como um raio solar que fere consolando e esclarecendo, como que adotara por lema a sentença SUMMUM JUS, SUMMA INJURIA, ou como quase se traduzia em verso português: Da vingança é congênere a justiça demasiada justa”.

Em setembro de 1890, Américo Lobo, hábil na retórica, pronunciou em discurso, na cidade de Leopoldina, em frente ao Teatro Alencar, as seguintes palavras antológicas “Minas possui tudo, meus senhores. É de todas as províncias a mais poderosa e a mais rica! Só lhe falta mar. E, creiam, se o mar, além, suspira e geme, é porque está longe de Minas”.

Tinha cinco filhos: José, advogado, poeta, falecido em 03.12.1921; Estevam Lobo Leite Pereira, advogado, deputado federal, Lente da Escola de Direito de Belo Horizonte, escritor, etc., falecido em 13.09.1908; Maíra Elisa, falecida em 13.07.1956; Américo Lobo Leite Pereira Junior, falecido a 19.07.1943 e Antonio Lobo Leite Pereira, inspetor federal do ensino secundário, advogado, conhecedor profundo da matemática, latim e grego e também sânscrito.

Faleceu quando ocupava o cargo de Ministro do Supremo Tribunal Federal, na cidade do Rio de Janeiro, no dia 1º de outubro de 1903. Sucedeu-o, interinamente, Joaquim Monteiro de Carvalho e Silva, de 28 de julho a 28 de agosto.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

IV CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DA CAMPANHA-MG


O Conselho e a Secretaria Municipal de Saúde da Campanha está realizando hoje durante todo o dia, na Faculdades Integradas Paiva de Vilhena a sua IV Conferência da Saúde. Os credenciamentos começaram a partir das 7h:30min. seguido de um coffe break. As 9h:00 tivemos a abertura, com a composição da mesa e execução do Hino Nacional. O Prefeito Roberto Silva fez a abertura oficial e a secretária de Saúde Marina Vilhena falou da importância deste evento, dando as boas vindas a todos e agradecendo pelas presenças. As 10H:00 o Sr. Hermógenes Vaneli (Secretário municipal de saúde de Santana da Vargem e Presidente do COSEMS Regional fez uma importante explanação sobre o que faz o SUS suas necessidades e suas condições atuais. Falou ainda sobre o quanto precisa ser feito e da importância da comunidade ajudando a secretaria de saúde municipal a elaborar as reivindicações do nosso município. Seguiu-se de debate e intervalo de uma hora para o almoço. A partir das 13h:00min foram formados grupos de trabalhos que em seguida foram apresentados em plenário para a votação das propostas. Foi um importante momento de exercício da cidadania, colaborando para a construção de um SUS melhor para todos.Foi um momento de avaliação da situação da saúde local, que teve a participação de dezenas de pessoas propondo diretrizes para a formulação de uma Política Municipal de Saúde. para os próximos quatro anos.Ao final  aconteceu a eleição dos delegados que irão representar o município na Conferência Estadual. Antes do encerramento foi feita a entrega dos certificados de participação a todos.

CORPORAÇÃO MUSICAL DOM PEDRO II EM 1899.

ww
Esta é a Corporação Musical Dom Pedro II em 1899, seu regente era José Eugênio Grilo Filho.

S.O.S.

Olá amigos,
bom.dia.
Várias pessoas estão me falando que fazem comentários e não conseguem enviar.
Eu não tenho experiência em blog e não sei o que fazer.
Alguém poderia me dar uma dica. Alguns conseguem.
Caso queiram fazer comentários e não estejam conseguindo, por favor me enviem por e-mail , que eu colocarei na matéria comentada. e-mail: jmfenix@uaisol.com.br
Principalmente sobre o Encontro de Campanhense e Amigos, previsto para Outubro, preciso saber que tem interesse em vir.
Me escrevam também sobre o tipo de matéria que são mais interessantes para você.
Grato pela atenção e espero pelo seu retorno.
José Milton

terça-feira, 12 de julho de 2011

A BANDA GIULIETTA DIONESI

Campanha há mais de um século é uma cidade essencialmente musical. Na foto acima vemos a Banda Giulietta Dionesi em 1899 que, ainda no Império tocou para Dom Pedro II. A banda tinha a direção de Antônio Faustino Figueiredo Brasil  e tinha como regente o maestro Zoroastro de Azevedo Pamplona. Esta é a primeira de uma série de fotos que passarei a publicar diariamente, das bandas, conjuntos e corais da nossa Campanha.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

JOSÉ AUGUSTO DE MELLO FERREIRA LOPES

Gente que brilha!


Há algum tempo havia um programa na saudosa Rádio Difusora da Campanha, que se chamava “Tempo Livre” apresentado pelo diretor daquela emissora Rubens Ramos de Oliveira. E toda semana o jornalista José Luiz Nogueira da Silva prestava uma homenagem a alguém da nossa sociedade que havia prestado algum serviço à comunidade, intitulado, GENTE QUE BRILHA.
Um dia ele começou assim...
O homenageado de hoje tem um amor ilimitado por este chão. Campanha é a sua alegria constante e a sua preocupação maior. Discreto, sóbrio, educado, generoso e de uma cativante solidariedade com os menos favorecidos pela sorte, José Augusto de Mello Ferreira Lopes dá permanentemente o mais comovente exemplo de dedicação e amor às crianças assistidas pela AMAE.
José Augusto, o dia que você propôs a colocar um sorriso nos lábios das crianças deficientes, condicionando-as a uma vida quase normal, você ganhou o respeito de uma cidade inteira e as bênçãos do Senhor das Almas, porque tem amparo uma criança fisicamente carente!
Tem no coração a generosidade, a humildade e o desprendimento. Valores espirituais destinados aos bons e aos justos, e é por isso que você ganha todos os dias, o sorriso das crianças, o respeito dos adultos, a proteção dos anjos e as graças de Deus.
De todas as iniciativas de José Augusto de Melo Ferreira Lopes, destacamos: a oficialização do feriado de dois de Outubro; sua luta inglória para a localização do Centro de Triagem Postal da ECT no Palmela – essa batalha você perdeu porque interesses desconhecidos e inconfessáveis foram mais fortes do que seu amor pela nossa Campanha. E a criação da AMAE em nossa cidade, cuja inauguração aconteceu dia 01 de Setembro de 1968. Essa obra, José Augusto, vai ficar para a posteridade como símbolo de um grande amor filial, porque é um presente que você deu ao seu pai, como recompensa por ele ter ensinado você a gostar tanto da Campanha. Como estou falando da AMAE um dos nossos mais ricos patrimônios, instituição modelo do Estado de Minas, não posso deixar de citar o comando seguro, eficiente, desprendido, inteligente e dedicado de Arminda Ferreira de Melo presidente da AMAE. Campanha nunca vai poder pagar a ela essa dívida de gratidão. Obrigado Arminda. E obrigado também a todos os funcionários abnegados da AMAE que dão exemplo do mais puro e dignificante de amor ao próximo.
O anonimato é a posição social preferida daqueles que repudiam a autopromoção, o egoísmo e a individualidade. E a sua vaidade é subjetiva. O que revela humildade e simplicidade, valores que definem a bondade de coração de coração e a pureza da alma. O seu profundo amor pelas coisas da Campanha é uma herança paterna. É um amor que se torna mais grandioso, porque a sua genealogia condicionou sua personalidade com os mais sublimes sentimentos humanos: Nobreza de conduta, firmeza de caráter e grandeza de propósitos. Que bom que você é assim! Conversar com você nos dá uma certa angústia porque sentimos as presenças inesquecíveis de Paulino Araújo, seu pai e do Paulo seu irmão e ficamos morrendo de saudades. Para ele Campanha foi sempre a melhor e mais bonita cidade do mundo.
José Augusto de Mello Ferreira Lopes! É enriquecedor e altamente gratificante para um ser humano, ser o fundador de uma instituição do gabarito da AMAE. E um envaidecimento natural e compreensível, mas por ser excessivamente modesto, você permitiu que essa vitória ficasse no seu subjetivo, ignorada pela maioria da população.
“Dar a César o que é de César” sempre foi o princípio que norteou minhas redações. De tudo que você fez pela nossa cidade, o mais comovente e sensibilizante, foi procurar amparar os anjos da terra para receber as bênçãos dos anjos do céu.
Fica aqui registrada a nossa homenagem, o nosso afeto e o nosso muito abrigado à José Augusto de Mello Ferreira Lopes, o Zé do Paulino por você ser tão gente. Gente que a gente gosta, porque você é realmente: gente que brilha.

RESUMO BIOGRÁFICO
José Augusto de Mello Ferreira Lopes nasceu em Campanha – MG dia 22 de Janeiro de 1918
Filho de Guiomar de Mello Ferreira Lopes e Paulino de Araújo Ferreira Lopes.
Irmão de Lourdes, Célia, Celina, Hercília, Terezinha e Paulo.
Casou-se com Clara Junqueira Ferreira Lopes dia 11 de Outubro de 1947.
Pai de Maria Helena, José Milton, Maria Célia, Maria Clara, Marcelo e Fernando.
Sogro de Sebastião Ferreira de Andrade, Reinaldo de Paula Moreira, José Severino Salgado, Rosemary Ribeiro e Rosemeire dos Santos.
Avô de Suzana, André, Alexandre, Glauber, Marco Aurélio, Igor, Fabíola, Tadeu, Olavo, Gabriel, Fernanda, Ana Clara, Ana Flávia e Guilherme.
Bis avô de Gabriela, Caio e Lívia.
Estudou na Escola da dona Tatá e depois na Escola Normal Oficial da Campanha.
Católico, devoto de São José foi Congregado Mariano durante muitos anos.
Uma pessoa de muita determinação. Durante mais de 30 anos foi fumante e percebia o quanto aquilo era ruim tanto pra ele como para as pessoas ao seu lado. Um belo dia prometeu para si mesmo, de hoje em diante não fumo mais e parou. Não foi fácil, mas com determinação, conseguiu.
Começou a trabalhar na loja de seu pai, Foto Araújo como fotógrafo e retocador. Mas esta não era a sua vocação. Logo entrou para os Correios na diretoria sediada aqui em Campanha. Nas horas de folga era corretor de seguros e vendia títulos de capitalização. Uma das maiores alegrias de sua vida foi quando teve um título de capitalização vendido por ele, sorteado e assim pode entregar uma casa a dona Geralda Bonfim.
Sempre foi muito inquieto, apesar de calmo, com relação às coisas da Campanha.
Era um empreendedor nato. No início dos anos 50 associou-se ao senhor Carlos Ribeiro e criaram a Leiteria São José, hoje Padaria São José.
Anexo à casa do senhor Ari do cinema, onde hoje se encontra a Móveis Francine, ele abriu a Casa de Móveis Estoliar.
No início dos anos 60 ele abriu a Casa Lopes, uma loja de artigos para presentes e materiais elétricos. Trabalhavam lá Bila Bianchi, Vítor Júdice de Brito e Ernane Rezende Castro. Esta loja era no prédio onde hoje está o Casarão das Peças, naquela parte de cima onde havia a auto-escola. No final dos anos 60 ele construiu com seu irmão Paulo o prédio onde ele ficou com a parte comercial e assim transferiu a loja da Rua Direita para onde hoje está a Foto Fênix.
 Ele ficava indignado de não termos o dia da cidade. Mesmo sem ser vereador, trabalhou para que fosse criado o feriado do dia da cidade em 2 de Outubro, o que aconteceu através do amigo Dr. Manoel Alves Valladão em 1972.
Nos anos 70 comprou a Farmácia do senhor Estevinho Cesarino, que se aposentou, mas continuou dando nome e trabalhando diariamente. A farmácia passou a se chamar Farmácia Santa Teresinha.
Depois de muitas viagens a Belo Horizonte contando com o apoio do deputado Carlos Eloy e do Coronel Pitalluga conseguiu para Campanha um posto de atendimento do Funrural, que funcionou durante quatro anos anexo ao Foto Araújo. O posto de atendimento só fechou porque foi encampado pelo INSS.
Mas, sem dúvida alguma, o que mais o orgulhava foi ter conseguido ao lado de muita gente boa e sensível fundar a AMAE uma escola modelo da nossa cidade. Durante vinte e dois anos, desde a sua criação ele foi o tesoureiro da entidade e frequentava a escola diariamente, não deixando que nada faltasse aos alunos e funcionários da casa.
No dia oito de Janeiro de 2010, ele partiu para uma nova dimensão, deixando um belo exemplo a ser seguido.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O OVO E A GALINHA


Outro dia eu falei de um ovo que meu avô encontrou na hora que foi anunciado o fim da segunda guerra mundial. Olha ai, o ovo e a galinha. Você poderá ve-lo no Museu Regional do Sul de Minas, aui em Campanha.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

REUNIÃO DA CÂMARA. IPTU

Há muito tempo eu não assistia uma reunião da Câmara Municipal e ontem resolvi dar uma chegada por lá.
Já no final da reunião o vereador Creone Sales disse que, estava sendo questionado por alguns eleitores sobre a legalidade do IPTU deste ano, mais uma vez por decreto do prefeito e comentou sobre o reajuste. O que é que eu falo pra eles, questionou o vereador? O presidente da casa ainda lhe perguntou "teve aumento"? Creone ainda disse isto é inconstitucional e poderá dar uma grande prejuízo pra cidade se alguém entrar na justiça  e eles me falaram que vão entrar.
O tema parece que seria sério e imaginei que poderíamos começar a assistir um bom debate, ao menos uma preocupação por parte dos nossos representantes. Que nada, ninguém se abalou. Logo passaram para um outro assunto e foi dado por encerrada a reunião. Fica a pergunta. Quem arcará com o prejuízo do município se a justiça resolver atuar.
Pelo que sei, o reajuste do IPTU é um projeto enviado pelo prefeito à Câmara, estudado, discutido e votado pelos vereadores para entrar em vigor no ano seguinte. Mas desde o inicio deste mandato as coisas não tem acontecido assim. Mas quando no primeiro ano mostrei a um vereador um documento do Supremo tribunal respondendo a esta consulta, a resposta que tive foi a seguinte. Tá tudo certo, esse cara que anda mexendo com isto, é um chato. Depois de ouvir isto de um vereador que teóricamente seria oposição o negócio é deixar nas mãos da justiça Divina.
Este blog está aberto a todos que puderem justificar esta atitude aos seus eleitores.

terça-feira, 5 de julho de 2011

ENCONTRO DE CAMPANHENSES E AMIGOS 2011.

Entre os dias 7 e 12 de Outubro próximo, temos a intenção de realizar aqui em Campanha, um encontro de Campanhenses e amigos. No decorrer dessa semana estaremos promovendo alguns eventos, sendo que o dia mesmo do encontro deverá ser num final de semana. Sexta e Sábado com eventos para todas as idades.
Para que tenhamos uma ideia do interesse e da participação de vocês, por favor me retornem fazendo seus comentários, sugestões e confirmando se tem interesse em participar. Pode parecer que ainda está muito longe e Podem responder na caixa de sugestões aqui ou pelo e-mail uma hora você responde. Não, por favor responda agora mesmo para que tenhamos condições de recebe-los bem.mailto:bem.jmfenix@uaisol.com.br e ainda pelo tel.35-3261.1380 e 35-9916.0434 e falar com José Milton.

NOVAS INSTALAÇOES DO SEBO CULTURAL.

Com muita honra recebi a visita do presidente da ONG SEBO CULTURAL, Sr. Geraldo Nogueira que, nos informou sobre as novas instalações da biblioteca, agora na Vila Vicentina. A casa conta com mais de mil exemplares a disposição de vocês que quiserem adquirir por um preço simbólico. Atendimento normalmente pela parte da manhã. A tarde também, o senhor Geraldo atende, mas gosta de dar uma saída para rever amigos e bater um papo na praça Dom Ferrão. se quiserem agenda um visita, podem ligar 3261.1120

XXVIII GRANDE CORRIDA DA INDEPENDÊNCIA

Vem ai a 28ª Grande Corrida da Independência, ligando este ano Curitiba PR à Campanha MG passando por São Paulo. O Professor Rubens Ramos de Oliveira que é o idealizador e responsável pela corrida, nos informou que, neste ano serão 21 atletas amadores divididos em três grupos de 7 corredores. Serão 800 km em 64 horas, média de 12,5 km por hora. Durante todo o trajeto cada atleta fará em média 34 km em revezamento.

Saída de Curitiba PR dia 25 de Agosto, quinta-feira as 9h:00 e chegada na Campanha MG dia 27 de Agosto, sábado às 20h:00 no Campanha Esporte Clube.

Para maiores informações entrem em contato com Rubens Ramos de Oliveira (19 3631.3342 ou (19) 8166.6215 ou por e-mail rubens.esporte@hotmail.com

Dona Alice Nogueira Lemes, rumo ao centenário.


ALICE NOGUEIRA LEMES – 99 anos

No dia 06 de julho de 1912 nascia em São Gonçalo do Sapucaí, bem aqui pertinho hoje, mas naquele tempo, longe toda vida, a menina ALICE NOGUEIRA.
Por volta dos anos 30, havia aqui em Campanha um pé de valsa, que vez por outra marcava presença nos bailes da vida em São Gonçalo do Sapucaí. Era o jovem Eulálio Lemes Júnior, Lalico como era carinhosamente chamado. Num destes bailes, os olhares apaixonados dos jovens Lalico e Alice se cruzaram e logo em 1937 já estavam casados e vieram moram em Campanha por toda a vida.

O casal teve cinco filhas, Sandra Maria, Ângela Maria, Maria Tereza, Maria Betânia e Ana Maria. Conta hoje com 11netos e 17 bisnetos, como ela mesmo diz, cada um mais bonito e inteligente que o outro.
Dona Alice sempre levou uma vida dedicada à família. Sofreu muito com a perda de duas filhas Sandra e Betânia. Mas mesmo com tanto sofrimento, não se deixou abater acreditando sempre na misericórdia Divina.

Fez parte da Congregação Sagrado Coração de Jesus e juntamente com D. Othon Motta ajudou a fundar a Casa da Criança em Campanha. Uma grandiosa obra que veio a atender dezenas e dezenas de famílias.

Com sua companheira inseparável, Dona Ordália Horta, visitava periodicamente o Morro dos Pintos (Bairro Canadá) cuidando dos pobres e desamparados, especialmente após a perda de suas filhas.

Mulher e mãe exemplar que, traz no seu semblante a tranqüilidade do dever cumprido na sua trajetória de vida. Uma mulher vitoriosa, exemplar, que do alto dos seus 99 anos, ainda consegue ser um exemplo de vida para todos nós que, temos o prazer e a honra de te-la como amiga.

Parabéns dona ALICE NOGUEIRA LEMES, rumo ao centenário.

José Milton
 
 
 
 
 
 

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Mutirão da Saúde.

Um belo trabalho...

No dia primeiro de Julho, de manhã a Prefeitura Municipal da Campanha, através do Departamento de Saúde sob a coordenação da competente Dra. Marina Vilhena, realizou um belo trabalho na praça Dom Ferrão. Durante cinco horas aproximadamente foi realizado o Mutirão da Saúde, focando a prevenção ao câncer de próstata. Surpreendente mesmo, foi a participação de mais de quatrocentos homens procurando se prevenir deste mau. Os homens que geralmente reticentes, são mais durões ou relaxados com estas coisas, desta vez aderiam a esta campanha. Segundo me informou a Dra. Marina, a iniciativa foi da enfermeira chefe do PSF Milton Xavier de Carvalho , o do Centro que, contou com o apoio do farmacêutico bioquímico Henrique Sagres. Há de se destacar o empenho de todos os funcionários que lá estiveram tratando a todos com urbanidade e indo além. Algumas pessoas aparentemente saudáveis, ao terem medidas suas pressões, foi constatado que estavam muito altas e imediatamente foi providenciado uma ambulância para que fossem conduzidos até o pronto socorro para exames mais detalhados. O SUS da Campanha teve a parceria do Laboratório IPD de Varginha que prometeu entregar todos os exames até o dia 19 de Julho. Parabéns a administração municipal por estar se preocupando com a prevenção das doenças e a concientização da pessoas, especialmente dos homens que parece, estão ficando mais espertos. A prevenção ainda é o melhor remédio, sai mais em conta e evita tantos sofrimentos e gastos.

Na foto acima, mostra a serviço de cadastramento de todos os interessados em fazer o exame.

Apesar do sol, todos os senhores precavidos aguardaram na fila sem reclamar e com muito bom humor, em média 15 minutos.



Esta foi a equipe que cuidou da prevenção ao câncer de próstata, no último final de semana, aqui em Campanha.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

MEMORIAL DO CLUBE CONCÓRDIA NO SINDICATO RURAL

O Sindicato Rural da Campanha que tem na sua presidência a senhora Stela Maria de Araújo Foreste, deu um novo visual nas suas instalações internas dinamizando assim os serviços prestados. Com a sensibilidade, carinho e cultura que lhe é peculiar prestou uma significativa homenagem ao Clube Concórdia que outrora ali funcionava. Contratou os serviços profissionais da arquiteta Anita Fonseca que com muito gosto criou painéis lindíssimos usando fotos do acervo do Foto Araújo que, aquela época cobria todos os eventos artísticos alí realizados. É uma verdadeira viagem no tempo, lembrando eventos e artistas renomados que frequentavam Campanha até a década de 50.  Sé a título de curiosidade. A política em Campanha era muito acirrada e quem era simpatizante de um partido não era bem visto pelos seus adversários ao ponto de termos aqui os clubes sociais para cada um. O Clube Concórdia era do PSD e a Recreativa era da UDN.
Mas esta é uma outra história que uma hora nós vamos comentar. Parabéns Stela pelo trabalho que vem realizando.