Páginas

sábado, 28 de maio de 2011

Alguém pode responder isto sobre Campanha?

Maria Augusta Vasconcelos de Varginha comentando a notícia: Eu fico intrigada com o volume de informações que se referem a importância cultural de Campanha, não só aqui para a região do Sul de Minas, mas para todo o Brasil e que está guardada nas estantes das bibliotecas, museus, arquivos. Os moradores de Campaha, os campanhenses devem ter assistido a uma série semanal de reportagens sobre as mulheres em Minas, levada ao ar pela EPTV, há alguns dias, se falou de uma vereadora na década de 40 do século XX e POR QUE NÃO SE FALOU DESSA MULHER, DESSA FEMINISTA, DESSE JORNAL EM CAMPANHA NA DÉCADA DE 70 DO SÉCULO XIX? EU NUNCA VI NADA, ABSOLUTAMENTE NADA, EM CAMPANHA QUE FIZESSE REMISSÃO A ESSE JORNAL. POR QUE CAMPANHA NÃO DIVULGA: "ISTO É CAMPANHA!!!"??? É impressionante a riqueza cultural da cidade e ninguém faz nada!!!???

Prezada Maria Augusta, grato pelo retorno. Tomei a liberdade de divulgar a sua indignação.
Será que teremos uma resposta?
Quem viver verá!

E A NOSSA POBRE, RICA CATEDRAL?

Viajando pelo mundo virtual, acabei encontrando uma estudiosa sobre Campanha, residente em São João del-Rei que se diz indignada pelo fato de termos uma Catedral majestosa e não ter ninguém aqui com competência ou interesse para se fazer um projeto de restauração desta monumental obra, cartão postal da nossa Campanha. Inclusive ela cita duas igrejas que acabaram de ser restaurada Rosário de Betim e Rosário de Piranga que apesar de toda história fica longe da Catedral de Santo António.
Me lembro que em 2009 foi criado uma Comissão Pró Restauro.
Alguém saberia me dizer em que pé está a dita comissão?
Com tanto silêncio, será que já jogaram a toalha e ninguém sabe a quantas anda?
Campanhenses e amantes da nossa Campanha, vamos nos unir e fazer um trabalho sério  visando a recuperação deste prédio tão judiado. Quem vai nesta?
Faça o seu comentário. De a sua opinião. Quem poderia encabeçar este trabalho?

IV Encontro Municipal da Mulher Rural



A EMATER da Campanha contando com o apoio da Prefeitura Municipal, Câmara de vereadores,Sindicato Rural e Pronoama,contando ainda com a colaboração de funcionárias dos PSFs
realizou neste sábado 28 de maio o IV Encontro Municipal da Mulher Rural. O evento transcorreu durante todo o dia com diversas atividades para as dezenas de mulheres que lá compareceram. As 8:00 foi dado o início do evento com a apresentação do Hino Nacional seguido da palavra do Sr. Prefeito Municipal Roberto Silva. Segundo a Sra. Rosilene Oliveira Junqueira representando a EMATER o objetivo deste encontro é a valorização da mulher rural, como agente transformadora da realidade da família e da sua comunidade, visando um desenvolvimento sustentável com melhor qualidade de vida para todos. Foram abordados vários temas, tais como A Nova Mulher Rural - Mudanças de paradigmas, com o professor José Daniel Moura Souza. Outro tema importante foi A Saúde da Mulher,com o Dr. Sílvio César da Silva. Na parte da tarde a fisioterapeuta Flávia Ramos falou sobre a postura Correta no Trabalho. A nutricionista Ana Paula Souza Maia falou da importância da Alimentação Saudável. A última palestra coube ao Professor Fernando Nani que, atualmente esta como Secretário Municipal do Meio Ambiente que falou sobre a Cidadania Ambiental. Aliás, diga-se de passagem, o prof.Fernando vem realizando um trabalho notável visando o recolhimento de pilhas e baterias para reciclagem, o mesmo acontecendo com o óleo de cozinha. Falou na ocasião que já existem vários pontos de recolhimento por toda a cidade e que estará sendo distribuído glicerina as pessoas que gostam de fazer sabão, substituindo a soda cáustica que também é muito danoso ao meio ambiente. Para encerrar aconteceu o sorteio de vários brindes acompanhado de um lanche delicioso.

Marlene, um exemplo de superação.

A ACE/SENAI promoveram um curso de corte de costura durante alguns meses e terminou nesta semana com a diplomação de todos os alunos de Costura e Mecânica. As nossas homenagens a todos que participaram deste curso profissionalizante, que preparou mais de 50 pessoas para o mercado de trabalho. Mas, uma pessoa merece destaque pela sua determinação, superação, dedicação e amor. Estou falando da senhora Marlene Patrício Ferreira que , em agosto de 2010 perdeu a guarda de seus dois filhos Lucas (8) e Luana (6) por estar embriagada juntamente com seu companheiro Luiz. Na mesma semana Marlene percebeu que teria que ter atitude e passou a participar das reuniões do Amor Exigente semanalmente. Ela mudou do lugar onde morava, procurou novas amizades, adotou uma nova postura de vida e finalmente fez este curso profissionalizante que veio a somar as outras habilidades que ela já tem. No curso de corte de costura, obteve um ótimo aproveitamento e teve um relacionamento excepcional com os colegas.Marlene agora esta prestes a ganhar mais um filho e está muito confiante na justiça que lhe retirou o casal de filhos, esperando te-los de volta antes do bebe nascer. A sua parte foi feita, está recuperada. Agora é só aguardar que, as autoridades que lhe tiraram os filhos façam a sua parte. Parabéns e boa sorte Marlene.

As reuniões do AMOR EXIGENTE são realizadas toda quarta-feira das 19 as 21 horas no CRAS, a rua Evaristo da Veiga 543. Se você convive com alguém que tenha dependência química, procure uma orientação, um apoio nas reuniões do AE. Estamos a sua espera.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Jornal Campanhense "O Sexo Feminino" - O primeiro do gênero no Brasil

            Todos nós temos que render nossas homenagens a esta mulher extraordinária que foi dona Francisca Senhorinha da Motta Diniz. Natural de São João del-Rei optou em  transferir residência para Campanha, por ter encontrado aqui um clima cultural favorável para os seus ideais. Uma mulher muito a frente de seu tempo. Vejam que em 1873 ela já tinha a visão de que as mulheres não vieram para ser servidoras de seus maridos. Naquele tempo ela já defendia a importância da mulher saber mais do que as obrigações domésticas, como também estudar e fazer a sua própria carreira. Imaginem as caras dos homens daquele tempo ao terem que conviver com uma mulher que falava com eles de igual para igual. Uma mulher que foi idealista ao ponto de fazer esse jornal semanário defendendo aos interesses da mulher. Aos interessados, a coleção completa de "O Sexo Feminino" se encontra na Biblioteca Nacional.
Ah dona Francisca Senhorinha da Motta Diniz quanta falta a senhora faz aqui nos dias de hoje.
                                                                

Meu dever é falar, não quero ser cúmplice

E olha que no texto abaixo nem se comenta sobre as aberrações do MEC...
O kit anti-homofobia nós vamos pagar por ele só 3 milhões de reais. Você concorda com isto? Não, né. Mas vai pagar assim mesmo.
E os erros ortográficos que deixam os ignorantes constrangidos. Quem tem conhecimento, quem estudou não fica constrangido de ser nivelado por baixo?

Mon devoir est de parler, je ne veux pas être complice. (Émile Zola) Meu dever é falar, não quero ser cúmplice. (...) (Émile Zola)
Foi uma tragédia fartamente anunciada. Em milhares de casos, desrespeito. Em outros tantos, escárnio. Em Belo Horizonte, um estudante processa a escola e o professor que lhe deu notas baixas, alegando que teve danos morais ao ter que virar noites estudando para a prova subsequente. (Notem bem: o alegado “dano moral” do estudante foi ter que... estudar!).

A coisa não fica apenas por aí. Pelo Brasil afora, ameaças constantes. Ainda neste ano, uma professora brutalmente espancada por um aluno. O ápice desta escalada macabra não poderia ser outro.

O professor Kássio Vinícius Castro Gomes pagou com sua vida, com seu futuro, com o futuro de sua esposa e filhas, com as lágrimas eternas de sua mãe, pela irresponsabilidade que há muito vem tomando conta dos ambientes escolares.

Há uma lógica perversa por trás dessa asquerosa escalada. A promoção do desrespeito aos valores, ao bom senso, às regras de bem viver e à autoridade foi elevada a método de ensino e imperativo de  convivência supostamente democrática.

No início, foi o maio de 68, em Paris: gritava-se nas ruas que “era proibido proibir”. Depois, a geração do “não bate, que traumatiza”. A coisa continuou: “Não reprove, que atrapalha”. Não dê provas difíceis, pois “temos que respeitar o perfil dos nossos alunos”. Aliás, “prova não prova nada”. Deixe o aluno “construir seu conhecimento.” Não vamos avaliar o aluno. Pensando bem, “é o aluno que vai avaliar o professor”. Afinal de contas, ele está pagando...

E como a estupidez humana não tem limite, a avacalhação geral epidêmica, travestida de “novo paradigma” (Irc!), prosseguiu a todo vapor, em vários setores: “o bandido é vítima da sociedade”, “temos que mudar ‘tudo isso que está aí’; “mais importante que ter conhecimento é ser ‘crítico’.”

Claro que a intelectualidade rasa de pedagogos de panfleto e burocratas carreiristas ganhou um imenso impulso com a mercantilização desabrida do ensino: agora, o discurso anti-disciplina é anabolizado pela lógica doentia e desonesta da paparicação ao aluno – cliente...

Estamos criando gerações em que uma parcela considerável de nossos cidadãos é composta de adultos mimados, despreparados para os problemas, decepções e desafios da vida, incapazes de lidar com conflitos e, pior, dotados de uma delirante certeza de que “o mundo lhes deve algo”.

Um desses jovens, revoltado com suas notas baixas, cravou uma faca com dezoito centímetros de lâmina, bem no coração de um professor. Tirou-lhe tudo o que tinha e tudo o que poderia vir a ter, sentir, amar.

Ao assassino, corretamente , deverão ser concedidos todos os direitos que a lei prevê: o direito ao tratamento humano, o direito à ampla defesa, o direito de não ser condenado em pena maior do que a prevista em lei. Tudo isso, e muito mais, fará parte do devido processo legal, que se iniciará com a denúncia, a ser apresentada pelo Ministério Público. A acusação penal ao autor do homicídio covarde virá do promotor de justiça. Mas, com a licença devida ao célebre texto de Emile Zola, EU ACUSO tantos outros que estão por trás do cabo da faca:

EU ACUSO a pedagogia ideologizada, que pretende relativizar tudo e todos, equiparando certo ao errado e vice-versa;

EU ACUSO os pseudo-intelectuais de panfleto, que romantizam a “revolta dos oprimidos”e justificam a violência por parte daqueles que se sentem vítimas;

EU ACUSO os burocratas da educação e suas cartilhas do politicamente correto, que impedem a escola de constar faltas graves no histórico escolar, mesmo de alunos criminosos, deixando-os livres para tumultuar e cometer crimes em outras escolas;

EU ACUSO a hipocrisia de exigir professores com mestrado e doutorado, muitos dos quais, no dia a dia, serão pressionados a dar provas bem tranqüilas, provas de mentirinha, para “adequar a avaliação ao perfil dos alunos”;

EU ACUSO os últimos tantos Ministros da Educação, que em nome de estatísticas hipócritas e interesses privados, permitiram a proliferação de cursos superiores completamente sem condições, freqüentados por alunos igualmente sem condições de ali estar;

EU ACUSO a mercantilização cretina do ensino, a venda de diplomas e títulos sem o mínimo de interesse e de responsabilidade com o conteúdo e formação dos alunos, bem como de suas futuras missões na sociedade;

EU ACUSO a lógica doentia e hipócrita do aluno-cliente, cada vez menos exigido e cada vez mais paparicado e enganado, o qual, finge que não sabe que, para a escola que lhe paparica, seu boleto hoje vale muito mais do que seu sucesso e sua felicidade amanhã;

EU ACUSO a hipocrisia das escolas que jamais reprovam seus alunos, as quais formam analfabetos funcionais só para maquiar estatísticas do IDH e dizer ao mundo que o número de alunos com segundo grau completo cresceu “tantos por cento”;

EU ACUSO os que aplaudem tais escolas e ainda trabalham pela massificação do ensino superior, sem entender que o aluno que ali chega deve ter o mínimo de preparo civilizacional, intelectual e moral, pois estamos chegando ao tempo no qual o aluno “terá direito” de se tornar médico ou advogado sem sequer saber escrever, tudo para o desespero de seus futuros clientes-cobaia;

EU ACUSO os que agora falam em promover um “novo paradigma”, uma “ nova cultura de paz”, pois o que se deve promover é a boa e VELHA cultura da “vergonha na cara”, do respeito às normas, à autoridade e  do respeito ao ambiente universitário como um ambiente de busca do conhecimento;

EU ACUSO os  “cabeça – boa” que acham e ensinam que disciplina é “careta”, que respeito às normas é coisa de velho decrépito,

EU ACUSO os métodos de avaliação de professores, que se tornaram templos de vendilhões, nos quais votos são comprados e vendidos em troca de piadinhas, sorrisos e notas fáceis;

EU ACUSO os alunos que protestam contra a impunidade dos políticos, mas gabam-se de colar nas provas, assim como ACUSO os professores que, vendo tais alunos colarem, não têm coragem de aplicar a devida punição.

EU VEEMENTEMENTE ACUSO os diretores e coordenadores que impedem os professores de punir os alunos que colam, ou pretendem que os professores sejam “promoters” de seus cursos;

EU ACUSO os diretores e coordenadores que toleram condutas desrespeitosas de alunos contra professores e funcionários, pois sua omissão quanto aos pequenos incidentes é diretamente responsável pela ocorrência dos incidentes maiores;

Uma multidão de filhos tiranos que se tornam alunos -clientes, serão despejados na vida como adultos eternamente infantilizados e totalmente despreparados, tanto tecnicamente para o exercício da profissão, quanto pessoalmente para os conflitos, desafios e decepções do dia a dia.

Ensimesmados em seus delírios de perseguição ou de grandeza, estes jovens mostram cada vez menos preparo na delicada e essencial arte que é lidar com aquele ser complexo e imprevisível que podemos chamar de “o outro”.

A infantilização eterna cria a seguinte e horrenda lógica, hoje na cabeça de muitas crianças em corpo de adulto: “Se eu tiro nota baixa, a culpa é do professor. Se não tenho dinheiro, a culpa é do patrão. Se me drogo, a culpa é dos meus pais. Se furto, roubo, mato, a culpa é do sistema. Eu, sou apenas uma vítima. Uma eterna vítima. O opressor é você, que trabalha, paga suas contas em dia e vive sua vida. Minhas coisas não saíram como eu queria. Estou com muita raiva. Quando eu era criança, eu batia os pés no chão. Mas agora, fisicamente, eu cresci. Portanto, você pode ser o próximo.”

Qualquer um de nós pode ser o próximo, por qualquer motivo. Em qualquer lugar, dentro ou fora das escolas. A facada ignóbil no professor Kássio dói no peito de todos nós. Que a sua morte não seja em vão. É hora de repensarmos a educação brasileira e abrirmos mão dos modismos e invencionices. A melhor “nova cultura de paz” que podemos adotar nas escolas e universidades é fazermos as pazes com os bons e velhos conceitos de seriedade, responsabilidade, disciplina e estudo de verdade.
(Tributo ao professor Kássio Vinícius Castro Gomes)
Igor Pantuzza Wildmann, Advogado – Doutor em Direito. Professor universitário.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Nossa língua. Temos que acompanhar


Embora eu não concorde com o emprego de certos termos, temos que nos acostumar com as terminologias usadas hoje, ou vamos correr o risco de não entender as conversas.
Cabe a cada um saber empregar os termos com as pessoas certas, nas horas e lugares certos.


TE ATUALIZA AI, VÉIO(A)!
As  mudanças dos anos 70/80 para os dias de hoje:
Antes era:
Agora é:
creme rinse
condicionador
obrigado
valeu
é complicado
é foda
collant
body
rouge
blush
ancião e coroa
véi
bailinho e discoteca
balada
japona
jaqueta
nos bastidores
making off
cafona
brega
programa de entrevistas
talk-show
reclame
propaganda
calça cocota
calça cintura baixa
flertar, paquerar
dar mole
oi, olá, como vai?
e aê?
cópia, imitação
genérico
curtir, zoar
causar
mamãe, posso ir?
véiaaaa, fui!!!
legal, bacana
manero, irado
mulher de vida fácil
garota de programa
legal o negócio
xapado o bagúio
pasta de dente
creme dental
cansaço
estresse
desculpe
foi mal
oi, tudo bem?
e aê, belê?
ficou chateada
ficou bolada
médico de senhoras
ginéco
superlegal
irado
primário e ginásio
ensino fundamental
preste atenção!
se liga!
por favor
quebra essa
recreio
intervalo
radinho de pilhas
ipod
manequim
modelo e atriz
retrato
foto
jardineira
macacão
mentira
kaô
saquei
tô ligado
entendeu?
copiou?
gafe
mico
fofoca, ti-ti-ti
babado
ha ha ha
uhauhauhauha
fotocópia
Xerox
brilho labial
gloss
bola ao cesto
basquete
folhinha
calendário
empregada doméstica
secretária
faxineira
diarista
vou verificar
vou estar verificando
madureza
supletivo
vidro fumê
insulfilm
posso te ligar?
posso te add?
tingir uma roupa
customizar
dar no pé, ir embora
vazar
embrulho
pacote
lycra
stretch
tristeza
deprê
beque
zagueiro
rádio patrulha
viatura
atlético
sarado
peituda
siliconada
professor de ginástica
personal
quadro negro
board
babosa
aloe vera
lepra
hanseníase
Ave Maria!!!
Afffff!!
caramba
caraca
namoro
pegação
laquê
spray
de montão
pracarai!
derrame
AVC
chapa dos pulmões
raio-x
sua bênção, papai
"qualé", coroa?
você tem certeza?
ah! fala sério!
banha
gordura localizada
alisamento
chapinha
buteco no fim do expediente
happy hour
costureira
estilista
negro
afro-descendente
professora
tia, profe
senhor
tiozinho
bunduda
popozuda!
Amorrrrrrr!
Benhhêêêêê!
desculpe, mas esta questão que você me submeteu é impossível de cumprir!
nem fudendo!
olha o barulho!
ó o auê aí ô!
E aí mano(a) véi, atualizô  ?
Agora vaza geral aí pra galera atualizá
também, tá ligado(a)?

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Aniversariantes do GBV em maio

No dia 21 o casal Manoel e Itair completaram 45 anos de vida matrimonial e no dia 23 foi a amiga Lilita que chegou aos seus 82 anos de vida. O Grupo Bem Viver se sente engrandecido com companheiros tão valorosos como os acima citados. Parabéns.

Grupo Bem Viver - Programação de junho de 2011

GRUPO BEM VIVER
Programação de junho do GBV 2011


31 de maio – Reunião de diretoria em nossa sede as 15h00min. José Milton, Thereza Ramos, Gorete, Bila, Manoel, Conceição, Nena, Suzana e Aloísio.

A partir da primeira reunião do mês de junho, as pessoas que quiserem trocar informações sobre os trabalhos manuais que sabem fazer, poderão levar seus conhecimentos e artes a partir das 14h00min. Os que quiserem aprender são bem vindos.

01 de junho – Bingo.

08 de junho – Escambo. Antigamente era comum as pessoas trocarem prestação de serviços ou produtos sem o envolvimento de dinheiro. Era chamado de escambo. Você vê ai em sua casa algo em bom estado, que não esta sendo útil para você e está só entulhando e leva este produto para trocar por algo em bom estado que está entulhando na casa de outra pessoa, mas que poderá ser útil para você.

15 de junho – Como você vê seus companheiros?  

22 de junho – Quadrilha. Quem quiser participar, passe seu nome para a Bila. A nossa professora em folclore Margarida, marcará com vocês os dias de ensaio.

28 de junho - Reunião de diretoria em nossa sede as 15h00min. José Milton, Thereza Ramos, Gorete, Bila, Manoel, Conceição, Nena, Suzana e Aloísio. Tema principal. Comemoração dos 9 anos do GBV. Apresentem-nos suas sugestões.

29 de junho aniversariantes do mês: 01 = Maria Nani, 02 = Itair, 04 = Adelina, 25 = Zeza, 28 = Manoelina. Se o seu nome ficou de fora, entre em contato com a diretoria para regularizar o seu cadastro.

Acompanhem a nossa programação e vejam as fotos de nossos eventos na internet. Visite o blog www.istoecampanha.blogspot.com,
Enviem-nos seus e-mails e de seus amigos e parentes, principalmente os que residem fora, para que saibam as coisas boas que acontecem aqui em Campanha.

Nunca se ache demais,
Pois tudo que é demais sobra
Tudo que sobra é resto
E tudo que é resto vai para o lixo.
(Anônimo)

Para nós, você é muito importante.
Cada um a sua maneira tem o seu papel importante na sociedade.
Acredite em você, seja importante para a sua família, para o seu grupo e para a sociedade.
José Milton – Presidente do GBV

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Cavaleiros da Campanha rasgam novas trilhas

Olá amigos,
visitem o site dos Papa Tropa e curtam um pouco do que esta galera anda fazendo.
Vem ai uma programação sensacional.
Um abraço a todos e boa sorte.
Na volta me mandem algumas fotos para divulgação.
http://www.ospapatropa.com.br/

sábado, 21 de maio de 2011

Fertilizante GEOMAN será produzido em Campanha



Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade: Testes agronômicos indicam o ganho de produtividade obtido com o produto
Créditos: Divulgação
O fertilizante organomineral da Geoman vem demonstrando resultados muito satisfatórios. Testes agronômicos acompanhados por técnicos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) indicam o ganho de produtividade obtido com o produto. Com a aplicação de uma dosagem de 400kg/ha de fertilizante mineral (dose de NPK 52-132-00), comumente empregado nas lavouras no Brasil, foi possível produzir 12,9 ton/ha de milho. Já com o fertilizante OM da Geoman com 55% da dose de NPK (dose de NPK 28-72-00), chegou-se a 13,7 ton/ha.

O controle de qualidade e padronização do produto final são outras vantagens do fertilizante produzido pela companhia. "Hoje, os fertilizantes orgânicos e organominerais produzidos no país são concebidos de forma artesanal, o que não permite ao produtor assegurar que lotes diferentes tenham as mesmas quantidades de nutrientes e micronutrientes. Como a Geoman tem acesso a um grande volume de matéria-prima, é possível garantir continuidade na produção. Além disso, com o monitoramento minucioso de todo o processo, desde a compostagem até a produção do fertilizante, asseguramos um produto de qualidade superior ao encontrado hoje no mercado", analisa Kenedy Carvalho, diretor operacional da Geociclo.


Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade: Nos testes é visível a diferença dos resultados entre os tipos de adubação utilizados
Créditos: Divulgação
Veja quais são as vantagens do produto: aumenta a população de microorganismo benéficos ao solo e plantas; reduz o custo direto de fertilização em até 20% em relação à fertilização mineral; aumenta a produtividade; retém e facilita a absorção de nutrientes slow release; previne a contaminação de rios e lagos por não permitir a lixiviação provocada por produtos químicos utilizados na agricultura; protege o solo da salinização por altos níveis de fertilização mineral.

Outras vantagens são: apresenta simultaneamente elevado teor de NPK e matéria orgânica compostada; propriedades mecânicas superiores (dureza, geração de pó, densidade, uniformidade); diminui a lixiviação de nutrientes minerais; quelatiza nutrientes e liga os elementos à matéria orgânica do solo; desagrega as argilas em solos compactados; dá coesão aos solos arenosos; aumenta a capacidade de troca catiônica (CTC); facilita o transporte de nutrientes até as raízes das plantas; tem efeito quelante sobre Fe, Mn, Zn, e Cu; e, previne a erosão do solo.

PROCESSO DE PRODUÇÃO

Resultado de três anos de intensa pesquisa, a tecnologia de biodegradação acelerada desenvolvida pela Geociclo Biotecnologia é capaz de tratar resíduos orgânicos de diversas fontes, como lodo de estações de tratamento de frigoríficos, esterco de origem animal, torta de filtração e cinzas de caldeira, bagaço de cana, serragem, cama de aviários, resíduos urbanos orgânicos, entre outros, transformando-os em fertilizantes orgânicos e organominerais de alto valor agregado.

Os bioaceleradores são compostos por fungos e bactérias naturais acrescidos de nutrientes básicos para seu desenvolvimento. Esse conjunto promove a redução do nível de carbono orgânico e relação da C/N, a estabilização do composto e a eliminação do mau cheiro. A tecnologia é capaz de reduzir em 100 dias o processo de compostagem, gerando um fertilizante organomineral em cerca 20 dias. Desta forma, a produção em escala do produto torna-se possível, o que não acontece atualmente, já que a solução tradicional - compostagem natural - dura, em média, 120 dias.

Desta forma, o que a Geociclo propõe é uma solução integrada, que abrange todo o ciclo produtivo. A empresa analisa e planeja soluções personalizadas de acordo com o resíduo gerado e com o tipo de atividade do cliente. Este processo envolve a análise dos resíduos, o desenvolvimento da estrutura de engenharia, fabricação e a venda do fertilizante.

"Alguns clientes precisam apenas dar um destino correto aos seus resíduos. Em outros casos, a utilização, em suas atividades, do próprio fertilizante produzido, leva à redução dos custos com a aquisição do fertilizante mineral. Além disso, a aplicação de fertilizantes orgânicos e organominerais oferece vantagens agronômicas significativas. Analisamos cada caso individualmente, e desenvolvemos soluções específicas para cada cliente", explica Ernani Judice, diretor da Geoman.

A EMPRESA

A Geoman Fertilizantes é fruto da parceria entre a Granja Mantiqueira e a Geociclo Biotecnologia fundada pelo carioca Olavo Monteiro de Carvalho, presidente do Conselho do Grupo Monteiro Aranha, um dos mais importantes grupos empresariais do país. A nova empresa aproveita a tecnologia da segunda e os resíduos orgânicos gerados pela primeira, transformando-os em fertilizantes organominerais. A Geoman contará com duas fábricas: em Campanha (MG) e Primavera do Leste (MT).

A unidade de Minas Gerais terá capacidade para transformar 300 ton/dia de esterco de galinha em 200 ton/dia de fertilizante OM. Já a fábrica do Mato Grosso processará 400 ton/dia de esterco, transformando-os em 300 ton/dia de fertilizante OM. Até o fim de 2012, as duas unidades estarão em operação e produzirão 170.000 ton/dia do material.

O fertilizante organomineral da Geoman chegará ao mercado nos próximos meses.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

FLIC 2011 - FEIRA DO LIVRO DE CAMPANHA - MG.UM SUCESSO


De parabéns o José Reinaldo pela sua persistência e sucesso na realização de mais um evento cultural em Campanha. A FLIC 2011 que homenageou Padre Victor e Dom Inocêncio Enguelke.
Fica aqui a nossa torcida para que entre os milhares de estudantes que por la apareceram, possam um dia ser um dos nossos representantes na Câmara Municipal ou quem sabe em outros poderes olhando pela nossa cultura, pelas nossas questões sociais, pela nossa riquíssima história tão pouco valorizada e difundida.
Quem sabe um dia, eles chegando la, colocarão o nome de Padre Francisco de Paula Victor numa rua decente, a altura do grande homem que ele foi.
Quem sabe prestarão uma homenagem ao maior presidente que este pais já teve JK.
Quem sabe um dia nossos estudantes ainda criem um Grêmio Estudantil que possa, formar líderes para contestarem o que o MEC anda fazendo com a nossa educação.
Eu ainda continuo acreditando no Brasil, apesar dos nossos políticos fazerem de tudo para que percamos a esperança de dias melhores.
Ainda acho que a educação sendo norteada por princípios morais, éticos, cívicos, patrióticos e espirituais, farão do nosso Brasil uma grande Nação.

Mantiqueira + Geociclo = GEOMAN. O Meio Ambiente agradece.



O esterco de galinhas que era um grande problema para a Fazenda Mantiqueira, acabou sendo a solução para a Geociclo. E na parceria destas duas empresas, acabou surgindo o GEOMAN um fertilizante que vai revolucionar o mercado. O meio ambiente agradece.




Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade

noticias :: Por Editor em 20/05/2011 :: imprimir   pdf   enviar   celular
.

Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade:
Créditos: Divulgação
A Geociclo Biotecnologia, empresa de soluções ambientais, e a Granja Mantiqueira apresentaram ao mercado, no dia 18 de maio de 2011, os resultados dos fertilizantes fabricados a partir da biodegradação acelerada de resíduos orgânicos e minerais. Durante o evento, batizado de Dia de Campo, realizado em Santana da Vargem (MG), foram feitas visitas por três estações de plantio de milho onde foi empregado o fertilizante organomineral da Geoman, marca criada a partir da parceria entre as duas empresas

Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade

Entre os principais diferenciais do produto estão o aumento da produtividade e a redução do custo direto de fertilização, já que é possível aplicar uma dosagem menor de NPK por hectare com um desempenho superior. Isso ocorre, dentre outros, por reter e facilitar a absorção de nutrientes slow release, evitando assim que haja perda dos nutrientes por lixiviação, o que também previne a contaminação de rios e lagos.


Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade: Testes agronômicos indicam o ganho de produtividade obtido com o produto
Créditos: Divulgação
O fertilizante organomineral da Geoman vem demonstrando resultados muito satisfatórios. Testes agronômicos acompanhados por técnicos da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) indicam o ganho de produtividade obtido com o produto. Com a aplicação de uma dosagem de 400kg/ha de fertilizante mineral (dose de NPK 52-132-00), comumente empregado nas lavouras no Brasil, foi possível produzir 12,9 ton/ha de milho. Já com o fertilizante OM da Geoman com 55% da dose de NPK (dose de NPK 28-72-00), chegou-se a 13,7 ton/ha.

O controle de qualidade e padronização do produto final são outras vantagens do fertilizante produzido pela companhia. "Hoje, os fertilizantes orgânicos e organominerais produzidos no país são concebidos de forma artesanal, o que não permite ao produtor assegurar que lotes diferentes tenham as mesmas quantidades de nutrientes e micronutrientes. Como a Geoman tem acesso a um grande volume de matéria-prima, é possível garantir continuidade na produção. Além disso, com o monitoramento minucioso de todo o processo, desde a compostagem até a produção do fertilizante, asseguramos um produto de qualidade superior ao encontrado hoje no mercado", analisa Kenedy Carvalho, diretor operacional da Geociclo.


Fertilizante reduz em até 20% custo de fertilização e aumenta produtividade: Nos testes é visível a diferença dos resultados entre os tipos de adubação utilizados
Créditos: Divulgação
Veja quais são as vantagens do produto: aumenta a população de microorganismo benéficos ao solo e plantas; reduz o custo direto de fertilização em até 20% em relação à fertilização mineral; aumenta a produtividade; retém e facilita a absorção de nutrientes slow release; previne a contaminação de rios e lagos por não permitir a lixiviação provocada por produtos químicos utilizados na agricultura; protege o solo da salinização por altos níveis de fertilização mineral.

Outras vantagens são: apresenta simultaneamente elevado teor de NPK e matéria orgânica compostada; propriedades mecânicas superiores (dureza, geração de pó, densidade, uniformidade); diminui a lixiviação de nutrientes minerais; quelatiza nutrientes e liga os elementos à matéria orgânica do solo; desagrega as argilas em solos compactados; dá coesão aos solos arenosos; aumenta a capacidade de troca catiônica (CTC); facilita o transporte de nutrientes até as raízes das plantas; tem efeito quelante sobre Fe, Mn, Zn, e Cu; e, previne a erosão do solo.

PROCESSO DE PRODUÇÃO

Resultado de três anos de intensa pesquisa, a tecnologia de biodegradação acelerada desenvolvida pela Geociclo Biotecnologia é capaz de tratar resíduos orgânicos de diversas fontes, como lodo de estações de tratamento de frigoríficos, esterco de origem animal, torta de filtração e cinzas de caldeira, bagaço de cana, serragem, cama de aviários, resíduos urbanos orgânicos, entre outros, transformando-os em fertilizantes orgânicos e organominerais de alto valor agregado.

Os bioaceleradores são compostos por fungos e bactérias naturais acrescidos de nutrientes básicos para seu desenvolvimento. Esse conjunto promove a redução do nível de carbono orgânico e relação da C/N, a estabilização do composto e a eliminação do mau cheiro. A tecnologia é capaz de reduzir em 100 dias o processo de compostagem, gerando um fertilizante organomineral em cerca 20 dias. Desta forma, a produção em escala do produto torna-se possível, o que não acontece atualmente, já que a solução tradicional – compostagem natural – dura, em média, 120 dias.

Desta forma, o que a Geociclo propõe é uma solução integrada, que abrange todo o ciclo produtivo. A empresa analisa e planeja soluções personalizadas de acordo com o resíduo gerado e com o tipo de atividade do cliente. Este processo envolve a análise dos resíduos, o desenvolvimento da estrutura de engenharia, fabricação e a venda do fertilizante.

"Alguns clientes precisam apenas dar um destino correto aos seus resíduos. Em outros casos, a utilização, em suas atividades, do próprio fertilizante produzido, leva à redução dos custos com a aquisição do fertilizante mineral. Além disso, a aplicação de fertilizantes orgânicos e organominerais oferece vantagens agronômicas significativas. Analisamos cada caso individualmente, e desenvolvemos soluções específicas para cada cliente", explica Ernani Judice, diretor da Geoman.

A EMPRESA

A Geoman Fertilizantes é fruto da parceria entre a Granja Mantiqueira e a Geociclo Biotecnologia fundada pelo carioca Olavo Monteiro de Carvalho, presidente do Conselho do Grupo Monteiro Aranha, um dos mais importantes grupos empresariais do país. A nova empresa aproveita a tecnologia da segunda e os resíduos orgânicos gerados pela primeira, transformando-os em fertilizantes organominerais. A Geoman contará com duas fábricas: em Campanha (MG) e Primavera do Leste (MT).

A unidade de Minas Gerais terá capacidade para transformar 300 ton/dia de esterco de galinha em 200 ton/dia de fertilizante OM. Já a fábrica do Mato Grosso processará 400 ton/dia de esterco, transformando-os em 300 ton/dia de fertilizante OM. Até o fim de 2012, as duas unidades estarão em operação e produzirão 170.000 ton/dia do material.

O fertilizante organomineral da Geoman chegará ao mercado nos próximos meses.

FONTE

Monte Castelo Ideias
Bruna Coutinho - Jornalista
Telefone: (21) 3232-4600