Páginas

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O GLAMOUR DAS DEBUTANTES DOS ANOS 70.

                      Nos anos 70 a vida social na Campanha era muito intensa. Todos os anos uma das festas mais esperadas era o Baile de Debutantes. Um festão com muito glamour, conjuntos ou orquestras sensacionais, muita gente bonita, elegante, bem vestidos. Um festa aguardada pela sociedade campanhense durante todo o ano. A responsabilidade de tudo era do Lions Clube que tinha a colaboração da equipe de domadoras sob a liderança de dona Maria Helena Valladão Nogueira e a coordenação artística de dona Finéas Vilhena Skau. Feliz de quem curtiu aqueles tempos. Quem viu, viu, só nos resta a saudade. Quem não viu, paciência, vai tendo que aguentar os funk, rap e sertanejo universitário.

PERFIL DE ESCRITOR BRASILEIRO NÃO MUDA HÁ 52 ANOS.

Perfil do escritor brasileiro não muda desde 1965, diz pesquisa da UnB

Paulo Lannes - Metrópoles 
Uma pesquisa realizada na Universidade de Brasília (UnB) traz um relato desanimador sobre a literatura nacional: as grandes editoras seguem publicando obras de escritores brasileiros com o mesmo perfil há mais de 50 anos. O trabalho compreende livros nacionais lançados entre 1965 e 2014. Mais de 70% deles foram escritos por homens, 90% são brancos e pelo menos a metade veio do Rio de Janeiro e de São Paulo.

A análise também entrou no enredo da literatura nacional, chegando à conclusão de que os personagens retratados se aproximam da realidade dos escritores. Cerca de 60% são protagonizados por homens, sendo 80% deles brancos e 95% heterossexuais.

“Os dados mostram que há uma homogeneidade entre os escritores e os romances publicados no Brasil. Isso praticamente não mudou ao longo das décadas. É muito preocupante”, afirma a professora do Departamento de Teoria Literária Regina Dalcastagnè, coordenadora da pesquisa.

Pesquisa
O trabalho, realizado pelo Grupo de Estudos em Literatura Contemporânea da UnB ao longo de 14 anos, contou com a participação de mais de 30 universitários. A pesquisa fez um recorte por editoras em três períodos diferentes.

O primeiro deles foi entre 1965 e 1979, que contava com publicações da José Olympio e da Civilização Brasileira. O segundo recorte foi de 1990 a 2004, com a presença da Companhia das Letras, da Rocco e da Record. Já o último compreende 2005 a 2014 e quase as mesmas editoras, trocando apenas a Rocco pela Objetiva.

“Com a pesquisa, percebemos que as editoras não estão dispostas a diversificar o cenário literário. Assim, caso o leitor esteja atrás de literatura produzidas por mulheres, negros e de diferentes regiões terá que buscar independentes, com menor alcance às livrarias brasileiras”, conclui Regina Dalcastagnè.

Confira, em detalhes, o resultado do estudo da UnB:

DEPOIS DA MORTE.

DEPOIS DA MORTE



Resultado de imagem para depois da morte visão espírita
Depois da morte
É bastante comum se ouvir comentários de que quem morre não volta. Em torno desta assertiva, muitos ousam afirmar que, portanto, ninguém tem certeza se há mesmo algo para além deste mundo.

Estão equivocados, contudo, os que assim pensam e se expressam. Os Espíritos retornam, sim, depois da morte física, para atestarem o seu amor aos que deixaram na Terra.
Ou para dizerem da sua dor, do seu arrependimento por algumas atitudes tomadas, enquanto estavam por aqui.
Você pode pensar que tudo isso é somente uma questão de crença.
Mas, não é verdade. Se você é cristão, deve recordar que o nosso Mestre e Senhor deu a maior prova de que se pode retornar após a morte.
Enquanto entre os homens, Ele, certo dia, subiu ao Monte Tabor e ali, ante os apóstolos Pedro, Tiago e João, conversou com os Espíritos materializados de Moisés e Elias.
Ora, Elias era um profeta que morrera há muitos séculos. Moisés, da mesma forma.
Portanto, eram Espíritos que ali se manifestaram, conversando com Jesus.
Depois da morte na cruz, Jesus se apresenta para Maria Madalena, no Jardim das Oliveiras.
Ela O reconhece como sendo o seu Senhor. E, sai, feliz, para a cidade, a fim de contar a novidade para os amigos do colégio apostólico.
No caminho de Emaús, dois discípulos encontram um estranho que segue com eles. Conversam a respeito dos últimos acontecimentos de Jerusalém.
A prisão do Mestre, o julgamento arbitrário na calada da noite, o suplício, a morte na cruz.
O estranho lhes fala e os elucida a respeito de coisas que não haviam entendido.
Quando chegam ao seu destino, convidam-no a ficar com eles. Afinal, desce a noite.
Durante a refeição, ao partir o pão, eles se dão conta que aquele é o Mestre que voltara do vale da morte.
No cenáculo, Jesus aparece aos apóstolos reunidos. Identifica-se: Sou Eu, não temais!
Fica com eles. Conforta-lhes os corações.
Aparece e desaparece, muitas vezes, em lugares totalmente fechados.
Em outro momento, os aguarda na praia. Orienta-os no rumo da divulgação da Sua doutrina.
Depois de quarenta dias, aos olhos de uma quase multidão de 500 pessoas, Ele desaparece.
Mais tarde, apareceria presente outra vez, no caminho de Damasco, para o jovem de Tarso.
Não somente aparece. Mas indaga e orienta a Saulo acerca do que deve fazer.
E, ainda, apareceria ao velho apóstolo Pedro, na Via Ápia, na manhã de luz, a caminho de Roma.
Aonde vais, Senhor? Indaga o velho apóstolo.
Eu vou para Roma, Pedro, para tornar a ser crucificado. Vou para ficar com os meus, desde que tu os abandonas.
E Pedro, envergonhado, volta para o cárcere, entregando-se voluntariamente, a fim de morrer, pouco tempo depois com heroísmo.
Ora, se nosso Modelo e Guia tantos exemplos deu de que o Espírito vive e retorna após a morte física, que desejamos mais para crer?
* * *
A morte não é o fim. É a continuidade da vida em outra dimensão.
Você pode não crer e achar que está certo.
Ou você pode pensar a respeito e concluir que racionalmente assim deve ser.
Somente não negue aos amores que partiram a sua certeza de que eles continuam a amá-lo, além das fronteiras da vida física.
Pense nisso!
Redação do Momento Espírita.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

SOS SANTA CASA.

                    Tem coisas que nós só valorizamos quando precisamos, e exatamente por isso não ficarei chateado se não entenderem esta mensagem. É sinal de que, graças à Deus você não precisou, mas poderá precisar.

                    Há anos temos ouvido falar das dificuldades pelas quais passa a Santa Casa de Misericórdia da Campanha. Sabemos de boa parte das responsabilidades, mas não vem ao caso agora, procurar de quem é a culpa. O que importa, é que a nossa secular Santa Casa hoje, vive a pior situação de toda a sua história. Ela só não fechou as portas, porque a lei não permite que os contratos nas carteiras de trabalham  sejam rescindido sem o pagamento devido. Assim sendo, eles não podem sair e nem arrumar outro emprego. Vale lembrar que, muitos deles são pais e mães de família e mesmo que não fossem, todos tem seus compromissos, suas dívidas e graças a esta situação humilhante estão inadimplentes e vários lugares. Agora em dezembro, segundo me foi dito la dentro, eles entrarão no sexto mês de atraso dos salários, e outros benefícios, nem pensar.

                    Apesar de tudo, o atendimento que prestam aos pacientes e acompanhantes é o melhor possível, sempre com um sorriso, boa educação e presteza. Estas pessoas são seres humanos, tem sentimentos, necessidades e merecem uma atenção, um carinho, uma solidariedade, o mínimo de interesse da nossa comunidade, principalmente das autoridades e de todos nós cidadãos, que a qualquer momento podemos precisar dos seus cuidados.

                    O custo mensal da Santa Casa, deve girar em torno de mais ou menos 150 mil reais. Que sugestão de renda a Santa Casa poderia ter para honrar com os seus compromissos e oferecer um atendimento de qualidade à nossa população?

POSSIVELMENTE NUMA QUERMESSE DA CAMPANHA.

 
Nesta foto aparecem o Brasa, Zé Cuidado, Mario Lúcio, dona Benedita Roquim, , atrás Marcelo Ribeiro, Haroldo Roquim, Iolanda Lima, Laila Direne e Hercília Ferreira Lopes. A foto foi irada pelo José Silva de Cambuquira.

PRÊMIO INFANTIL DE AÇÕES DE INCENTIVO À LEITURA.

'A menina que indica livros' ganha prêmio por vídeos no YouTube e ações de incentivo à leitura

G1 - 06/12/2017
Mais de 150 vídeos no YouTube com indicações de livros, 14 piqueniques para troca de livros e 500 exemplares doados são apenas alguns dos números que Catarina, de 11 anos, coleciona em sua carreira de "fada dos livros". Essa trajetória de envolvimento com a literatura rendeu, nesta semana, o troféu de primeiro lugar na 2ª edição do Prêmio IPL - Retratos da Leitura.
Moradora da Zona Leste de São Paulo, Catarina começou a carreira de booktuber há três anos sob o olhar atento da mãe Carla Bertulucci Trigo, de 43 anos. Foi inclusive durante um jantar em família que a ideia surgiu.
"Estávamos jantando e comentando sobre os vídeos de maquiagem das minhas amigas. E falei que eu queria fazer vídeo também, mas de alguma coisa que eu gostasse muito. Então falei “eu podia falar sobre o livro 'Menina Bonita do laço de fita'! Meus pais acharam legal e fui correndo pro quarto ensaiar. Na manhã seguinte, minha mãe me ajudou a fazer o vídeo e postei no Facebook, prometendo que eu faria aquilo todas as quartas feiras", lembra Catarina.
Na escola a iniciativa chamou a atenção dos professores e de lá saiu o nome da página. "Quando já tinha uns 4 ou 5 livros indicados, a coordenadora da escola onde eu estudo me chamou pra perguntar se eu queria responder uma entrevista para o jornal da escola. Eu fiquei muito feliz e fizemos no dia seguinte", conta Catarina.
Três anos depois e já com um site estruturado (www.ameninaqueindicalivros.com.br), o primeiro prêmio coloca a booktuber como a segunda vencedora do prêmio IPL na categoria mídia. No ano passado, o vencedor da categoria foi a prestigiada Revista Emília. Neste ano, em segundo lugar ficou o programa "Quarta Capa", da PUC TV Minas, de Belo Horizonte/MG, seguido em terceiro lugar para o "Blog do Galeno", do Instituto Ideall, em Ribeirão Preto/SP.

Exemplo e apoio
A trajetória de "A menina que indica livros" confirma duas observações usualmente feitas por especialistas: o exemplo dos pais é fundamental para que as crianças gostem de ler e a prática deve ser feita com liberdade.
Carla, mãe de Catarina, é psicóloga e sempre gostou de ler. " Creio que o interesse da Catarina pela leitura surgiu sim do exemplo em casa e também dos passeios que a gente sempre fez com ela, estimulando a sede de conhecimento", disse.
Atualmente, os pais ainda participam das rotinas de gravação e contato com seguidores ou até mesmo editoras. "Num certo momento, ela mesma vai querer assumir as postagens, contatos, etc... E tenho certeza que o público irá notar esta transição. Nos vídeos mesmo já notamos que ela tem se preocupado mais em ser mais crítica e falar mais sobre os livros, no início era só indicação e pronto. Creio que num determinado momento ela partirá para resenhas escritas mais elaboradas também. "
Se depender da vontade de Catarina, as resenhas de fato tendem a ficar cada vez mais criteriosas. Agora no 6ª ano do ensino fundamental, ela é fã de ciências, redação e já tem seus planos para o futuro. "Quando crescer, gostaria de publicar vários livros, ser uma escritora famosa. E penso em fazer faculdade de biologia", conta.

Veja abaixo os demais premiados do Prêmio IPL.

Cadeia produtiva
A Literatura no Cárcere – A formação do eu – Giostri Editora LTDA - São Paulo/SP;
Programa de leitura Adote um Escritor - Câmara Rio-Grandense do Livro - Porto Alegre/RS
Carrinho de livros – Solisluna Design Editora - Lauro de Freitas/BA

Organizações Sociais Civis
Tô na rede Pará - Instituto de Políticas Relacionais - São Paulo/SP,
Passaporte para o futuro - Fundação Gaúcha dos Bancos Sociais / Banco de Livros - Porto Alegre/RS
Projeto Círculos de leitura - Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial- São Paulo/SP

Bibliotecas
Programa Prazer em ler - RNBC - Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias- Salvador/BA
Ler é legal – Ministério Público do Distrito Federal e Territórios – Brasília/ DF
Leitores e mediadores em ação – Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage – Juiz de Fora/ MG

A BELEZA DE CADA UM.

A Beleza de Cada Um - Momento Espírita

Postado por Patrizia Gardona


No momento em que a mídia enfatiza a beleza como questão de êxito para o sucesso e condição para se enriquecer de forma muito rápida;
no momento em que se observa que muitos dos nossos jovens estão mais preocupados em mostrar e explorar o corpo, do que em conquistar valores reais;
cabe-nos proceder a uma pequena pausa para meditação a respeito dos caminhos que temos buscado trilhar e daqueles que estamos apontando para os nossos filhos.
Conta-se que um homem acabrunhado entrou em um templo para fazer as suas orações. Em determinado momento, confidenciou a Deus:
Senhor, eu estou aqui porque em templos não há espelhos, pois nunca me senti satisfeito com minha aparência.
Então, na intimidade da consciência, ele começou a ouvir uma voz que lhe dizia, com entonação paternal:
Meu filho, nenhuma das minhas obras surgiu ou ficou sem beleza, pois, lembre-se, que tudo criei com amor.
A aparente feiura é resultado da miopia dos homens, que não sabem, por vezes, descobrir a beleza oculta.
De toda forma, lembre que não importa se o seu corpo é gordo ou magro. O que tem capital importância é que ele é o templo do Espírito imortal. Merece toda a consideração, pois, graças a ele, o Espírito atua no mundo para seu próprio crescimento.
Não importa se seus braços são longos ou curtos. O que tem valor é o desempenho do trabalho honesto que executam.
Não importa se as suas mãos são delicadas ou grosseiras. Sua função é distribuir o bem às outras criaturas. É acarinhá-las e lhes transmitir bem-estar.
Não importa a aparência dos pés. Sua função é tomar o rumo do amor e da humildade.
Não importa o tipo de cabelo, cor, comprimento e se existe ou não numa cabeça. O que importa são os pensamentos que por ela passam e que ela transmite, como criação sua, beneficiando ou destruindo seus irmãos.
Não importa a forma ou a cor dos olhos. O que importa é que eles vejam o valor da vida e, assim ilustrados, colaborem para demonstrar esse valor a outros tantos seres que não gozam da mesma facilidade.
Não importa o formato do nariz. O que importa é inspirar e expirar bom ânimo, entusiasmo, fé.
Não importa se a boca é graciosa ou sem atrativos. O que importa são as palavras que dela saem, edificando vidas ou destruindo pessoas.
Se você não está feliz com a sua aparência física, medite a respeito. Olhe-se no espelho, outra vez, e descubra o brilho dos seus olhos graças ao amor que lhe vai na alma.
Agradeça a possibilidade de um corpo para viver sobre a Terra, nosso lar e nossa escola.
Finalmente, recorde de grandes vultos da Humanidade, que não ganharam prêmios ou foram admirados pela sua beleza física, mas transformaram as comunidades, influenciaram o mundo com seus gestos extraordinários.
Lembre da pequenina irmã Dulce, da Bahia, da também pequena em estatura Madre Teresa de Calcutá.
Por fim, de nosso Francisco Cândido Xavier que, de sua casa, em Uberaba, portador de variadas complicações físicas, espalhava luz para o mundo, através das suas mãos envelhecidas pelo tempo.
Pense nisso.